Prontuário: 23 unidades devem receber sistema até o fim do ano

0
Secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza (Foto: SMS)

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), continua com a implantação dos prontuários eletrônicos. Até o momento, 12 Unidades Básicas de Saúde (UBS) receberam o novo sistema. A mais recente foi a UBS Fernando Sampaio, localizada no conjunto Castelo Branco. Até o fim deste ano, a previsão é que o sistema seja implantado em 23 unidades, além dos hospitais Fernando Franco e Nestor Piva e os Centros de Especialidades Médicas (Cemar) dos bairros Siqueira Campos e Farolândia.

Segundo a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, o sistema tem sido bem aceito pela população e pelo servidor. “Neste primeiro momento, a gente vem aperfeiçoando, cada vez mais, a implantação do prontuário, pois surgem dificuldades e questionamentos. É uma mudança no processo de trabalho, mas ajustes têm sido feitos para que a gente consiga, dentro do cronograma, implantar o prontuário nas 23 unidades até o fim do ano. Com isso, vamos melhorar o acesso da população e a forma de trabalho do servidor”, pontuou.
Além de substituir a ficha de papel, o prontuário cria um cadastro digital único do paciente, com o histórico de atendimentos, prescrições médicas, acesso a medicamentos e o estado de saúde. “Quando a gente não tinha o prontuário, as pessoas iam para a porta das unidades logo cedo, para ver quem iria ser atendido primeiro. Hoje, isso não ocorre porque o sistema trabalha com horário marcado. As pessoas já estão se acostumando com a novidade e isso vem organizando, de forma natural, a fila”, afirmou a secretária.
 
Integração
O sistema integrará as Redes de Atenção Primária (Reap), de Urgência e Emergência (Reue) e de Atenção Psicossocial (Reaps), e também os Centros de Especialidades Médicas (Cemar). Com o prontuário, será possível evitar a duplicidade de cadastros, economizar e sanar a perda de informações do paciente devido ao uso do papel. Além disso, também irá melhorar a produtividade, controlar o estoque da farmácia e dar mais segurança nas informações.
“Quando os equipamentos da saúde estiverem implantados e integrados, eles vão gerar informações que vão subsidiar o Planejamento de Políticas de Saúde. Eu vou saber, por exemplo, que na região do bairro Santa Maria há muitas crianças, então eu precise, talvez, trabalhar alguns programas voltados para a saúde da criança mais nesse local de que na região Norte”, explicou a secretária.
Fonte: PMA
Comentários