SES fala sobre câncer de mama com gestores dos 75 municípios

0
Ampliar os serviços de saúde, facilitar o acesso a exames de mamografia e empoderar as usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) são três pilares vitais para tornar a prevenção do câncer de mama um hábito entre as mulheres (Foto: SES)

Ampliar os serviços de saúde, facilitar o acesso a exames de mamografia e empoderar as usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) são três pilares vitais para tornar a prevenção do câncer de mama um hábito entre as mulheres. É o que afirma o enfermeiro e mestre em câncer de mama, Max Oliveira Menezes que, nesta terça-feira, 16, ministrou palestra sobre a temática para os gestores da Atenção Básica dos 75 municípios sergipanos, em evento realizado no auditório da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Na oportunidade, o palestrante mostrou que a prevenção é o método ideal, mas destacou que é fundamental que os gestores da saúde pública ofereçam as condições para o diagnóstico precoce, de forma que a mulher chegue ao serviço de saúde no estágio inicial da doença, o que permite uma abordagem terapêutica de sucesso e, consequentemente, uma melhor taxa de sobrevida. Com isso, garante ele, as taxas de mortalidade por câncer de mama cairão.

“ É importante que o SUS seja cada vez mais fortalecido, assim como é necessário que se consolide a Atenção Básica e se restitua o contato, o vínculo entre pacientes e profissionais de saúde. É também essencial o empoderamento da mulher para que elas possam reconhecer todas as alterações que ocorrem em seu corpo, especialmente na mama”, enfatizou o palestrante, defendendo o acesso fácil aos exames de mamografia e às avaliações feitas por profissionais de saúde, em especial enfermeiros, para um eficaz rastreamento dos casos de neoplasia mamária.

O Diretor de Atenção Integral à Saúde (Dais) da SES, João Lima Júnior, destacou a força de iniciativas como a desta terça- feira o avanço dos serviços. “ É  importante essa provocação para discussão da temática dentro dos municípios. A SES é condutora da política de saúde da mulher e é importante esse envolvimento com a Atenção Básica em temas estratégicos de média e alta complexidade. Parabenizo os organizadores por esse diálogo com os municípios”, disse.

A coordenadora da Atenção Básica do município de Frei Paulo, Deise Patrícia Freitas de Oliveira, também enfatiza a importância do evento como meio de diálogo coletivo sobre o câncer de mama. “Trabalhar a prevenção do câncer de mama é responsabilidade de todos nós gestores, por isso valorizo iniciativas como esta, que permitem uma ampla discussão sobre a temática”, salientou.

Informou que a prevenção é uma rotina em Frei Paulo, embora veja o Outubro Rosa como um evento necessário para a realização de ações de mobilização e discussão do assunto. Segundo a gestora, o município mantém convênio com o Hospital do Amor, em Lagarto, para os exames de mamografia. “Neste mês de outubro estamos realizando 215 mamografias, mas é importante ressaltar que este trabalho de rastreamento é feito regulamente em nosso município. E esses exames nos revelam que a incidência de câncer de mama em Frei Paulo é baixa. No último rastreamento que fizemos, a doença foi confirmada em duas mulheres. Elas estão em tratamento”, atestou.

A coordenadora da Atenção Básica do município de Neópolis, Tatiane de Lemos, considera a prevenção o método mais eficaz para se lidar com o câncer de mama, mas disse que o diagnóstico em estágio inicial da doença também é importante porque aumentam as chances de dura. E, segundo afirma, é por isso que o município oferece às mulheres na idade prioritária, entre os 50 e 69 anos, os exames de ultrassonografia e mamografia. “Atualmente  estamos com quatro mulheres em tratamento do câncer de mama e cinco cuidando do câncer de colo do útero”, informou.

Fonte: SES

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais