Alvistas ainda sonham com João candidato

0

Alguns aliados e políticos ligados ao ex-governador João Alves Filho (DEM), tentavam passar ontem, 11, a idéia que a eleição em Aracaju terá uma “reviravolta”. E sabe qual será a reviravolta? A renúncia de Mendonça Prado e o anúncio da candidatura de João Alves a prefeito de Aracaju. Se pela legislação essa idéia é possível, politicamente seria uma estratégia suicida do ex-governador.


 

Se ele fosse candidato deste a convenção, João Alves certamente teria um percentual bem melhor do que Mendonça e com certeza do que o senador Almeida Lima. Porém, João não quis e há um mês convocou uma coletiva para negar estes mesmos boatos e reafirmar o compromisso com Mendonça. Agora seria um suicídio político porque o número de indecisos fica no percentual de 10% e uma candidatura de João retiraria eleitores de Almeida, mas não afetaria a campanha de Edvaldo Nogueira.

 

O que faz alguns aliados de João Alves “plantarem” esse boato é o próprio desespero que vem sendo demonstrado pelo ex-governador no horário eleitoral quando se referiu as pesquisas eleitorais. Este espaço tem credibilidade para questionar as pesquisas, porque faz isso desde 2006. E por isso mesmo não publica os números atuais, por ter sérias discordâncias com as metodologias usadas. Porém, o governador tem memória curta, porque em 2006, dois dias antes da eleição o jornal da família dele publicou de uma só vez quatro pesquisas que apontavam a eleição dele. Deu no que deu.

 

Seria bom João Alves entrar na campanha agora. Já que poderia recuperar o posto de líder da oposição que Almeida Lima está tomando de maneira inteligente. Já pensou João na campanha sem usar o verde? Já que o verde dele, que foi usado com competência em 2006, foi herdado por Almeida Lima, que numa estratégia correta colocou a campanha na rua à frente de Mendonça, forçando o  candidato do DEM usar hoje um tímido azul e branco.

 

João Alves esperava que a transferência de voto dele e Maria ocorresse para o genro, Mendonça Prado. Mas não aconteceu. Um fato decisivo foi a exploração política da doença da senadora. O aracajuano tem sentimento, mas não aceita que usem uma doença desta forma. Os marqueteiros de Mendonça quebraram a cara com a veiculação exagerada da imagem de Maria do Carmo.  Com certeza João não será candidato e a dúvida é se Almeida Lima terá cacife suficiente para levar a eleição para o 2º turno. Se levar, ganhará como prêmio o PMDB, se não levar pode arrumar as malas do partido…

 

Será que João Alves surtou?

O jornalista Adiberto, descreveu como primor a situação do ex-governador: “O ex-governador de Sergipe, João Alves Filho (DEM), parece não  acreditar na capacidade de discernimento dos aracajuanos. Para espanto  de todos, o democrata foi ao horário eleitoral gratuito insinuar que  as pesquisas divulgadas até agora sobre as eleições em Aracaju são falsas. Na tentativa de justificar o discurso, Alves Filho acusa o  governo do Estado de usar a força do poder para evitar a veiculação  das verdadeiras consultas de opinião pública. Ora, estaria o  ex-governador esquecido de que nas eleições passadas foi justamente o DEM que tentou – e quase conseguiu – impedir que a TV Sergipe  divulgasse uma pesquisa do Ibope? Ao fazer tão ilação, o “pefelista”  afronta todos os institutos que realizaram e registraram pesquisas na  Justiça Eleitoral de Sergipe. Além disso, deixa transparecer que enxerga o eleitor aracajuano como um inocente. Com todo respeito, no  interior afirma-se que o sujeito surtou quando acha que todo mundo é  idiota, incapaz de saber o que é uma falácia”.

 

Mendonça vai criar “via alternativa”

Uma solução que viabilize a atividade dos vendedores ambulantes na região central de Aracaju, de forma ordenada e sem provocar prejuízos aos comerciantes estabelecidos, foi debatida entre os trabalhadores informais e Mendonça Prado, candidato a prefeito de Aracaju, no início da noite da quarta-feira, 10 de agosto. “Meu lema é deixar o povo trabalhar”, afiançou o democrata, comprometendo-se a apresentar o Projeto Via Alternativa, para garantir segurança e dignidade ao trabalhador informal em Aracaju. A reivindicação dos ambulantes aconteceu durante visita da comitiva 25, liderada por Mendonça Prado, aos vendedores de lanches, churrasquinhos, queijos, frutas e verduras, atendendo a convite dos próprios trabalhadores que denunciam perseguição por parte dos fiscais do poder público municipal.

 

Ainda sobre obras do governo do Estado

O artigo sobre as obras do governo estadual, publicado na terça-feira, 09, ainda repercute. O secretário da Infra-Estrutura, Oswaldo Nascimento, ligou para este jornalista e deseja explicar alguns pontos. Este jornalista entende que, pelas informações recebidas por engenheiros (do próprio governo), os orçamentos da área, não estão sendo competentes suficientemente para que as empresas eficientes e qualificadas na ISO ou não, executem as obras com o lucro necessário para suas sobrevivências. Aqui, quando se fala em lucro, se fala em algo transparente, já que o atual governo pregou mudanças.

 

Análise de uma obra não é empírica e sim técnica!

A obra da ponte Mosqueiro-Caueira tem um projeto, e, com base neste, é possível provar tecnicamente sua viabilidade econômica e seu preço real! Qualquer leigo não deve entender o porque da falta de análise do assunto! Nem de uma conclusão comprobatória que elimine a discussão sobre o “sexo dos anjos” e adiante  processo que deve estar angustiando o governador! Este jornalista tem vários leitores e até amigos que atual nesta área no Governo do Estado, mas não pode deixar de afirmar que a pasta está mais política que técnica. E, neste caso, a política só andará se tiver um bom funcionamento técnico! Obs: antes que alguém ligue ou envie e-mail questionando o conhecimento deste jornalista sobre o assunto: estudei edificações na antiga ETFSE, no tempo em que realmente se aprendia.

 

Ananias e a centena de processos

O leitor desculpe, mas este jornalista não vai, por enquanto, escrever sobre o parlamentar Ananias e seus inúmeros processos. Dá para escrever um livro. Aliás, num país sério, sei não…

 

Dinheiro sobrando no IBGE?

O MPF bem que poderia dar uma olhada nos gastos do IBGE em Sergipe. Saiu da antiga sede por conta que o prédio foi condenado pela Defesa Civil. Alugou uma sede de um antigo colégio e, segundo informações, gastou cerca de R$ 100 mil na reforma. Além disso, o aluguel é de R$ 10 mil.

 

Clientes e funcionários merecem respeito

O Posto Banese do Mercado Central de Aracaju tem uma excelente localização, por ser um local onde se precisa de dinheiro para fazer compras. Mas a fila é discutível, por ficar no meio do mercado, junto às bancas e aos transeuntes. Isso mesmo. Existe alguma segurança para um cliente/feirante que fica com um pacote de dinheiro numa fila no meio do mercado? Um leitor enviou uma foto que mostra todo o descaso com os clientes. É preciso que a diretoria do Banese tome as providências devidas. É preciso tratar o cliente com dignidade. Ele é a razão da existência de qualquer empresa. Além disso, os funcionários também merecem um posto bancário com um pouco de conforto e segurança. E a solução está no próprio mercado, lá existem várias salas vazias.

 

Inquéritos e sabotagem

Sobre as denúncias de sabotagem que os serviços do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho poderia estar sofrendo, o governador Marcelo Déda afirmou que está encarando com muita seriedade. “Tenho indícios de que algumas ocorrências graves aconteceram no hospital a partir de verdadeira sabotagem. Temos inquéritos em andamento, temos investigações sendo processadas, e temos, sobretudo, a firme decisão de não permitir que o comportamento de alguns comprometa a reputação de todos ou ameace a imagem de uma instituição que é vital para o povo de Sergipe”.

 

Máquina pública não será utilizada

“Todo mundo divulgou que o Ministério Público Federal tinha paralisado obras estaduais, mas pouca gente divulgou que foi feito um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) do Governo do Estado com o Ministério Público Federal, na pessoa do procurador Paulo Guedes”, comentou o governador Marcelo Déda. Sobre as paralisações, o Déda fez questão de deixar claro que o Governo do Estado cumpriu todas as determinações. “Nós simplesmente paramos qualquer obra, mesmo que previamente conveniadas, que estejam sendo realizadas dentro das cidades. Isso porque queremos que o MP tenha a tranqüilidade que a máquina pública não será utilizada para beneficiar ninguém”.

 

Obras continuam nas rodovias

O governador também falou do respeito à continuidade das obras em rodovias estaduais. “Ao mesmo tempo, tivemos a confiança do Ministério Público para continuar obras das rodovias estaduais, mas que passam por cidades, como é o caso da travessia de Ribeirópolis. Isso mostra, por um lado, o papel inestimável do MP na qualificação do processo político brasileiro. E, ao mesmo tempo, mostra que o Governo do Estado tem disposição e, sobretudo, tem fé na democracia e fará tudo para que ela seja respeitada”.

 

Carmópolis continua inovando na política

Carmópolis de fato é um local politicamente fascinante, não é que tem candidato pedindo voto para oposição. É o caso do candidato a vice-prefeito pelo PV Nailson Almeida. O mesmo insiste em dizer a todos que “foi inscrito sem seu consentimento” e que ele não é candidato de forma alguma, inclusive plotou todo o carro dele com adesivos da candidata a prefeita pelo PT, Esmeralda. Porém no programa eleitoral gratuito o candidato a prefeito pelo PV Cristovam Cordeiro pede veementemente voto para ele e pelo seu “vice” Nailson Almeida. Será??!!

 

Atenção MP: abatedouro em rua residencial

Moradores do conjunto Orlando Dantas, mas de perto da rua D, estão indignados com um vizinho. Ele resolveu fazer de uma residência um abatedouro de galinhas. Um caminhão chega de madrugada, acordando a todos e logo após começa o abate. Ele queima penas nos local e tudo mais. A Vigilância Sanitária já foi acionada, mas só pode entrar no local com ordem judicial. E o pior: eles estão sendo ameaçados se denunciarem na imprensa ou ao MP.

 

Ferindo a dignidade humana

Deu na coluna do amigo Osmário: Ainda por conta do programa eleitoral é deprimente fazer o uso da imagem de um ciclista atropelado e sofrendo na espera do socorro para servir de apelo para conquistas de votos em programa eleitoral. Se fosse um rico, garanto que nem pensar estaria na tela da televisão. É ferir a dignidade humana. Crime eleitoral é pouco”.

 

Bisturi com menina de 12 anos

E para ajudar Osmário: No mesmo programa, que prestou atenção apareceu uma menina de 12 anos que fez um parto por conta da demora do Samu. Um detalhe chamou a atenção: um bisturi ao lado da menina. É mole?

 

Salários dos servidores de São Cristóvão

O blog recebeu e-mails de servidores públicos da Prefeitura de São Cristóvão que ainda não tinham recebidos seus salários. O MP tem que ficar de olho, até porque a mudança de prefeito não justifica, já que os salários são do mês passado e a folha de pagamento deveria estar pronta.

 

STF nega pedido de Jackson em ação de peculato I

O Supremo Tribunal Federal negou provimento ao recurso do deputado federal Jackson Barreto de Lima (PMDB/SE) na Ação Penal (AP) 488, proposta pelo Ministério Público. Ele responde por peculato (desvio de dinheiro público) e suposto superfaturamento de reforma e ampliação da escola municipal Sabino Ribeiro durante o período em que foi prefeito de Aracaju. A obra foi feita entre 1987 e 1988, mas não foi terminada. No recurso, Jackson pedia que a Justiça revisse sua decisão de desconsiderar a oitiva de duas testemunhas de defesa – uma vive na França e outra no Equador. Na opinião do Ministério Público, o pedido para ouvi-las é apenas uma tentativa de retardar o processo até o ponto da prescrição do prazo. Isso porque os depoimentos das duas pessoas – engenheiros da construtora Delta – somente poderiam ser tomados mediante um pedido da Justiça brasileira (por carta rogatória) a juízes dos dois países onde as testemunhas vivem. Outros testemunhos já foram coletados na fase de instrução.

 

STF nega pedido de Jackson em ação de peculato II

A ministra Ellen Gracie, relatora da AP, considerou impertinente a produção de prova testemunhal dos fatos, especialmente pelo tempo já passado. Ela levou em conta o argumento da Justiça de Sergipe de que dificilmente os depoimentos seriam tão fiéis aos fatos depois de tantos anos, ainda mais num caso em que as testemunhas estariam distantes do crime. O deputado interpôs a apelação na tentativa de mostrar que a não-oitiva das testemunhas seria terminativa, pois inviabilizaria a sua defesa. Na opinião dele, o juiz teria usurpado seu direito ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório.Ellen Gracie, no entanto, ressaltou que “não há qualquer registro acerca da oitiva das testemunhas indicadas na fase anterior à deflagração do processo”. A ministra entendeu que o instrumento correto para pedir a reconsideração do caso deveria ter sido uma correição parcial, e não por apelação, como fez a defesa de Jackson Barreto. “A apelação é cabível contra decisões com força de definitivas, ou interlocutórias mistas, ou seja, aquelas que põem fim a uma fase do procedimento”, explicou Ellen Gracie. Segundo ela, a decisão de não convocar as testemunhas não pode ser considerada terminativa ao processo. Diante do erro formal sobre o instrumento de recurso, o ministro Marco Aurélio preferiu votar pelo seu não-conhecimento. O restante do Plenário votou de acordo com a relatora, negando o pedido. (STF).

 

Déda prestigia lançamento de livro do jornalista Marcos Cardoso

Na última quinta-feira, 11, o governador Marcelo Déda participou da noite de autógrafos promovida na Sociedade Semear pelo jornalista Marcos Cardoso para o lançamento do seu livro “Sempre aos Domingos”, uma coletânea de textos publicados em diversos veículos ao longo dos últimos 15 anos. Além de focar aspectos do universo político sergipano, o novo livro também aborda temas que envolvem personalidades, sociedade, cultura, economia e acontecimentos da sociedade sergipana e brasileira. Para o governador Marcelo Déda, Marcos Cardoso é um dos novos expoentes da imprensa sergipana, apresentando-se como um jornalista com boa base cultural. “Isso se transforma num alicerce sobre o qual ele ergue suas análises. Além disso, é um jornalista competente, um repórter que valoriza os fatos e que não transforma seus textos em meramente opinativos. Ao contrário, ele faz da sua opinião, sobretudo, um elemento de análise da vida política, social e cultural de Sergipe”, opinou Déda. (ASN).

 

Magno reúne coronéis da PM

O novo comandante da PM, coronel Magno Silvestre mostrou ontem, 11, desprendimento com o cargo ao reunir todos os coronéis, cerca de 30, para pedir apoio ao trabalho que será realizado nas eleições como também ao plano para intensificar o policiamento ostensivo em Sergipe. Na reunião, Magno disse que pretende comandar em conjunto. A intenção é boa, resta saber se todos deixarão de lado as vaidades pessoais em prol da melhoria da segurança.

 

Saída de Péricles repercute nacionalmente

Deu na edição do jornal Estado de São Paulo, da última quarta-feira, 10, na página Metrópole: “O comandante-geral da Polícia Militar de Sergipe, coronel Péricles Menezes, foi demitido ontem pelo governador Marcelo Deda (PT). O militar foi acusado de invadir uma chácara, com outros militares, na região metropolitana de Aracaju, à procura de sua filha, de 16 anos. A menina havia sido proibida de ir a uma festa pelo coronel, chateada saiu de casa na sexta-feira e no sábado foi para a festa. Em julho, a PM fez uma grande operação para procurar um cão bassê, o Pitoco, do filho do governador, que havia fugido da residencial oficial do governo sergipano”.

 

Lara Moura lidera a sucessão em Japaratuba

Com a proximidade da eleição municipal, o Instituto Soma realizou uma pesquisa para prefeito de Japaratuba e, de acordo com o levantamento feito, a candidata Lara Moura (PR), da coligação “A Mudança que o povo quer”, lidera a sucessão com 52,9% das intenções de voto contra 37,9% do também candidato Hélio Sobral (PMDB), da coligação “A vontade do povo”. Na terceira colocação vem Carlos Rocha (PSOL) com 1,5% das intenções. Dentre os que estão indecisos ou que ainda não sabem em quem votar o percentual é de 6,9%. Já 0,8% do eleitorado preferem votar em branco ou nulo. A pesquisa foi realizada no dia 2 de setembro e 573 pessoas foram entrevistadas. Registrada no Cartório da 11ª Zona Eleitoral, com o número 507/2008, a pesquisa tem uma margem de erro de 4% para mais ou para menos.

 

TCE julga dia 17 processo contra Flávio

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) realiza, a partir das 9 horas desta quarta-feira, 17/09, sessão extraordinária, para julgar o processo administrativo 424/2008, que tramita na Corte de Contas contra o conselheiro afastado Flávio Conceição de Oliveira Neto e também os processos incidentais. A notificação da parte já foi formulada pelo relator do processo, conselheiro substituto Luiz Augusto Ribeiro, na edição nº 25.591 do Diário Oficial do Estado, do dia 09/09. O advogado da parte também já foi notificado.

 

Apoio a Rogério

O secretário de Estado da Saúde, Rogério Carvalho, recebeu na quinta-feira, 11, o apoio espontâneo de um grupo de 200 servidores do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). Médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e funcionários da administração se reuniram com Rogério no auditório da Secretaria de Saúde, onde leram um manifesto de solidariedade a ele e em defesa do HUSE.  O cirurgião-geral Walberto de Oliveira, com 20 anos de serviços prestados ao HUSE, falou em nome dos servidores e disse que eles estavam ali para impedir que uma minoria de servidores destruísse o projeto da Secretaria de melhorar a saúde hospitalar e as condições de trabalho dos profissionais e funcionários da rede. Rogério Carvalho agradeceu a manifestação de confiança e afirmou que naquele momento nascia um novo tempo dentro do Hospital de Urgência de Sergipe. “Vocês estão revelando suas posições em favor do HUSE e sei que não permitirão que os interesses particulares vençam o coletivo”, disse o secretário, afirmando acreditar que as investidas contra o hospital partem de um grupo específico.

 

IPI-Exportação: repasse aos municípios cresce 42% I

 Um dos tributos arrecadados pela União é o IPI – Imposto sobre produto industrializado, cobrado sobre as operações que caracterizam a modificação da natureza, do funcionamento, do acabamento, da apresentação ou da finalidade do produto, ou ainda o aperfeiçoamento para consumo, tal como, a que, exercida sobre matéria-prima ou produto intermediário, importe na obtenção de espécie nova (transformação). Do montante arrecadado pela União, 10% (dez por cento) do IPI vai para os Estados e o Distrito Federal por intermédio do FPEX – Fundo de Compensação pela Exportação de Produtos Industrializados. De acordo com o superintendente de finanças públicas da Sefaz, Marcos Souza, “Os Estados transferem 25% (vinte e cinco por cento) dos recursos recebidos do FPEX aos seus respectivos Municípios, observados os mesmos critérios de rateio utilizados nos repasses diretos do ICMS”.

 

IPI-Exportação: repasse aos municípios cresce 42% II

No ano de 2007, foi transferido para os 75 municípios sergipanos, o montante de R$ 421.057,73. Agora em 2008, até o mês de agosto, já foram repassados R$ 597.591,04, representando um crescimento de 42% em relação a todo o exercício anterior. A seguir o ranking das 10 cidades contempladas com o maior repasse: Aracaju, R$ 161.268,15 ; Canindé do São Francisco, R$ 68.335,98; Laranjeiras, R$ 48.792,87; Estância, R$ 30.540,34; Nossa Senhora do Socorro; R$ 28.897,08; Rosário do Catete,       R$ 20.141,20; Capela,R$ 13.770,45; Itaporanga d´Ajuda, R$ 11.193,54; Itabaiana, R$ 10.704,57 e Lagarto, R$ 9.136,69.

 

I Fórum de Direito esportivo tem sergipano

O I Fórum de Direito de Desportivo está sendo realizado na cidade de São Paulo e acaba hoje, 12.  Representando a Ordem dos Advogados do Brasil/SE, indicado pelo Presidente da OAB Seccional Sergipe, Dr. Henri Clay Andrade, o Conselheiro Dr. Genisson Cruz da Silva, advogado militante na área do Direito Desportivo em nosso Estado. No Fórum estão sendo debatidos temas como a Lei Pelé e o Código Brasileiro de Justiça Desportiva e, ao final, as propostas serão encaminhadas ao Congresso Nacional e ao Conselho Nacional do Ministério dos Esportes. Na mesa do congresso, ao lado de César Britto, presidente Nacional da OAB, Rubens Aprobatto, presidente do STJD, Flávio D”urso presidente da OAB/SP,  especialista em direito esportivo, o advogado sergipano Genisson Silva, embora reconheça a contribuição dada pela Lei Pelé, esta precisa sofrer algumas alterações, principalmente em relação ao artigo 28 que trata da s indenizações, a questão do tempo de duração do primeiro contrato, bem como da adequação da bolsa aprendiz, para que o a contratação do atleta aprendiz não promova o encargo da contribuição previdenciária de 11%.     

 

DO LEITOR

 

Degrau

Jornalista  Abrahão:  Os ex-funcionários da Degrau que prestaram serviços   para  a  Secretária  de  Estado  da Fazenda estão constrangidos. O motivo   maior é que os prestadores não receberam seus direitos e não liberaram os  seus  FGTS.  Os  mesmos  reuniram-se  junto com o sindicato para tentarem   solucionarem os problemas onde foram cobrar os 4%. Os terceirizados foram   tratados  sem  resposta  e  estão  sem  saber  o  que  fazer.  Alexandro,   ex-funcionário  da Degrau está agindo ao lado do sindicato juntamente com   Galdine  onde  ambos  prometeram  um  mês  para regularizar a situação de   todos. Passado este período, não cumpriram com a palavra e o pessoal anda   preocupado,  pois  assinaram  uma procuração onde se encontra no poder do   sindicato. Obs: A Sefaz não tem nada haver com tal situação.

 

Manifestação pela paz em Ribeirópolis

A família NORONHA convida todos a participarem de uma passeata neste domingo, dia 14/09/2008, na cidade de Ribeirópolis, com saída da residência DA FAMÍLIA DE WELLINGTON NORONHA ( Rua Alexandre Menezes, 77), andando pelas principais avenidas da cidade e terminando na IGREJA MATRIZ SAGRADO CORAÇÃO DE SERGIPE, ONDE SERÁ CELEBRADA UMA MISSA DE MÊS, PELA PASSAGEM DE WELLINGTON NORONHA NO DIA 15/08/08. a passeata será: contra a violência; a favor da paz; contra o final das investigações no caso Wellington Noronha e a favor da justiça!!!! Compareceram todos vestidos de preto, PRETO, para simbolizar o luto pela violência que assola nosso país, nosso Estado, nossa região, nossa cidade; pelo término das investigações no caso Wellington; ou BRANCO, simbolizando o pedido de paz, o clamor pela justiça; LEVEM VELAS, simbolizando a luz que deverá iluminar a polícia e a justiça durante todo esse processo para que a verdade apareça (andaremos pela cidade com elas acesas, por isso façam proteção com garrafas pets ou outro similar); LEVEM CARTAZES, FAIXAS, com pedido por justiça, clamor pela paz, requerendo empenho da polícia e da Justiça neste assassinato, requerendo a presença efetiva da polícia nas ruas, etc.

 

Sobre a falta de espaço para os não-motorizados

Em reposta ao texto do arquiteto Cézar Matos, o leitor Fábio escreveu:  “Eu já havia pensado sobre isto. O quanto um shopping “popular” não privilegia os não-motorizados. Digo ainda, o mesmo local do bicicletário também serve para estacionamento de motos. Tenho moto e sou obrigado a estacionar “nos fundos do shopping”. Há também um estacionamento minúsculo em frente ao supermercado, mas totalmente desprovido de conforto, como cobertura que existe para as vagas dos carros. O espaço das motos é muito pequeno para o número de motos que vão até o shopping jardins. Você pode ir lá e verificar. Somos discriminados a todo instante no trânsito, os motoristas nos tratam como se fossemos marginais. Só você andando de moto pra sentir. Agora temos um shopping que também nos trata dessa maneira! Sou obrigado sempre a entrar pelos fundos do estabelecimento. É a sociedade que joga pra debaixo do tapete quem ela acha que não serve pra ficar na sala de visitas”.

 

Ainda sobre diploma de candidato de Graccho I

De um leitor (devidamente identificado): “A oportunidade de leitura deste “blog” na data de ontem (09/09/08), expondo o comentário do leitor André Andrade sobre o parecer favorável do TRE à candidatura de Cassinho de Quixabeira que apresentou um diploma falso à Justiça Eleitoral, é realmente aberrante. Quem lê pode mesmo não acreditar, tamanha é a afronta aos princípios da moralidade, da ética e da dignidade. Um parecer favorável a um indivíduo que comprovadamente se encoraja e ousa trapacear a lei, na verdade se concede um atestado para o vício da malandragem, para a prática da corrupção e para o desvio de caráter. Caso houvesse caráter numa pessoa como esta! E imaginem o perigo de um indivíduo apropriado destas práticas sendo um parlamentar, produzindo leis, fiscalizando um Executivo? Que perigo corre a sociedade de Graccho Cardoso! Inimaginável então, para quem não conhece de manhas, devem ter sido os termos da defesa deste candidato!”

 

Ainda sobre diploma de candidato de Graccho II

Continua o leitor: “Conseguirem convencer a maioria de um tribunal, de que um rapaz que mal freqüentou a escola (e disto Graccho Cardoso todo sabe) tem um diploma de formatura escolar, realmente é inimaginável. Bem… mas também pode ser que os magistrados do Tribunal Regional Eleitoral/SE, não tenham a experiência devida para lidar com falsificações “convincentes”. Talvez por isto, Cassinho de Quixabeira está sendo beneficiado. E por que o Ministério Público Eleitoral não se empenha nesta questão e colabora pelo bem   de Graccho Cardoso? Ainda é tempo? A sociedade deste lugar não deve permitir o seu próprio atraso. Tem que abominar tantas práticas de políticos que envergonham os homens de bem desta terra. Muitos, através de “diplomas verdadeiros” e de bancos escolares verdadeiros já conquistaram notoriedade e, inclusive se esforçam para ressaltar o berço de onde vieram. Agora, permitir que um ambicioso candidato, falsário de diploma, envergonhe toda uma gente… é demais! Nem mesmo porque o município registra à margem de 33% de analfabetos, isto pode acontecer.”

 

Ânimos alterados em Graccho I

Do leitor Ricardo: “Quero comentar como os ânimos estão alterados em Graccho Cardoso, e como o abuso do poder está demais na referida cidade. Aconteceu um aniversário no povoado Três Barras de um do filho de cidadão que por sinal é eleitor de Liro, conseqüentemente como lá a população é divida, maioria dos participantes era eleitor da coligação. Em um momento da festa chega sem convite algum um assessor do Juiz portado de uma denuncia da Coligação da Prefeita Criza, que ali seria uma manifestação política de Liro, resultado, chegando lá estava apenas os participantes e nada de Liro e seu vice, e o pior não estava portando mandato judicial para invadir uma propriedade particular. Quero lembrar que o dono do estabelecimento é maior e sessenta anos, e não houve respeito com o mesmo, infringindo a lei com danos moral ao idoso e tal situação causou além de um grande prejuízo, constrangimento a todos que ali estavam. É, vemos que o assessor passou em branco, com mais uma denuncia sem noção que os aliados da prefeita fizeram”.

 

Ânimos alterados em Graccho II

Continua Ricardo: “Parecem que estão brincando com coisa séria. Não se pode ir ao comitê, não se pode ter manifestações culturais na cidade, agora nem um aniversário se pode comemorar, vamos fazer o quê? Certamente fica todo o eleitorado de Liro ficar em casa. Interessante é que é proibido colocar outdoor da cidade, mais existem alguns da Prefeita espalhados e até agora ninguém foi lá tirar. Já que a justiça eleitoral está empenhada em combater os crimes eleitorais, o que podemos dizer do caso de Cassinho de Quixabeira que apresentou o documento falso a justiça e agora vai concorrer? E o que vai acontecer com a Prefeita Criza com o julgamento que nunca acaba? Como disse uma declaração enviada por um leitor essa semana, “quem sabe eu que sou um pobre eleitor, ou até mesmo o jornalista que cedeu o espaço, pode sofrer uma coisa com a lei por que falei demais”. Acho que realmente está virando desespero em Graccho Cardoso”.

 

Desprezo com o bairro Grageru

De uma leitora: “Tenho constatado que Aracaju nos últimos meses está suja, mal cuidada, um completo desprezo. O bairro grageru, por exemplo, apresenta ruas sujas, asfalto todo costurado (aquele bairro precisa urgentemente de um completo recapeamento asfaltico). Existe até uma casa no final da Av. Pedro Paes de Azevedo nº 665 que possui um pequeno pomar, provavelmente, invadindo área pública. O Centro Administrativo Gov. Augusto Franco está com suas ruas completamente cheias de buracos. Nós sempre nos orgulhamos de possuirmos uma cidade limpa e não é isso que temos observado”.

 

Transformando os fatos

Do leitor Ricardo: “Acho incrível a capacidade que os  políticos e empresários (que são os mesmos) tem de transformar as coisas. Vejamos o caso da operação Satiagraha (Daniel Dantas e cia), os elementos foram flagrados roubando e corrompendo, são criminosos. Agora querem culpar o delegado Protogénes por grampos ilegais, uso de agentes da Abin.Realmente querem desviar o foco da investigação. Quando ouço o nome Gilmar Mendes…”

 

Estado de emergência em São Cristovão

De um leitor: “Fiquei surpreso com a questão do estado de emergência decretada semana passada pelo 4º prefeito de São Cristóvão, Jadiel Campos, o primeiro ato dele no primeiro dia de prefeito, foi pintar toda de verde a sub-prefeitura do Conj. Eduardo Gomes, tirando a cor vermelha da última administração (O Falecido Zezinho da Everest) e ter reformado a fachada da prefeitura na cidade de São Cristóvão com as cores Creme, Branco e Vermelho, cores que dão alusão um certo candidato à eleição deste pleito eleitoral. Enquanto isso, os buracos continuam nas ruas e obras do gestor anterior encontram-se abandonadas…”

  

Servidor representa juíza por assédio moral I

Deu no site do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Sergipe – Sindiserj: “ O servidor Riedson da Silva Santos, escrivão da Comarca de Boquim/SE, apresentou ao Corregedor Geral de Justiça, representação de assédio moral contra a Juíza de Direito substituta da Comarca de Boquim Dra. Ana Luiza de Freitas Soares Alexandrino. Segundo o servidor, pessoa de conduta ilibada, que há mais de doze anos presta serviços a este Tribunal, aprovado que foi por concurso público, a Juíza em questão vem constrangendo a todos com ameaças de representação, bem como, não vem demonstrando nenhum sentimento de humildade e inclusive tratando o servidor Riedson e outros com frieza e denegrindo a imagem que ele demorou doze longos anos para criar. Os fatos que geraram esta representação partem das atitudes que a Juíza tem tomado contra o servidor que passarão a ser narrados: No dia 02/09 o servidor fechou o cartório da vara de Boquim as 14:10h, quando ouviu um grito estridente da Juíza na presença de várias pessoas que ali se encontravam, além dos demais serventuários para que o mesmo abrisse imediatamente o cartório, já que a Juíza queria  somente juntar uns documentos em um processo, ato que poderia ter sido tranquilamente feito no dia posterior, já que o referido processo encontrava-se concluso nas mãos da Juíza.

 

Servidor representa juíza por assédio moral II

Continua a matéria do site do Sindiserj: “Dois dias após, Riedson se atrasou por quinze minutos (horário tolerado pela legislação trabalhista), porque precisou levar a sua filha na escola e quando chegou para iniciar a sua labuta diária, foi logo interpelado pelos seus colegas para que fosse ao gabinete da Juíza imediatamente pois  a mesma se encontrava a sua  procura. Indo ao gabinete Riedson foi recebido com gritos pela Juíza na presença da digitadora e seus auxiliares, tentando intimidá-lo e determinando que o mesmo sentasse pois ele teria que ficar calado e somente ouvi-la. Foi aí que o servidor respondeu que não tinha feito nada de errado e pediu a Juíza que respeitasse a todos os demais e os tratasse com carinho e dignidade. Vale ressaltar que o servidor Riedson ao longo destes doze anos como serventuário deixou um “rastro de boas ações”, uma vez que se considera uma pessoa normal e nunca deixou que um cargo lhe subisse a cabeça. O SINDISERJ, lamenta profundamente episódios como estes, e se coloca a disposição de todos os serventuários da Justiça, através da sua assessoria jurídica, para qualquer esclarecimento e posterior tomada de atitude, bem como o Sindicatp está encaminhando a FENAJUD cópia desta matéria e da representação para que seja publicada no informativo nacional. As conseqüências do assédio moral atingem a auto-estima e a dignidade dos trabalhadores antes de se tornarem visíveis, quando chegam a se tornar. Estabelecer uma relação direta entre assédio e adoecimento nem sempre é fácil, principalmente porque as manifestações inicias tendem a aparecer das seguintes formas: ansiedade, estresse, depressão e outros males. Segundo a psicóloga Ana Paula Lopes, “a dificuldade de estabelecer um nexo causal pode ser explicada por um processo de banalização das humilhações e constrangimentos no local de trabalho. Mas o trabalhador acaba desenvolvendo doenças já existentes ou adquirindo outras. O assédio moral não pode ser segredo de Justiça”.        

 

Frase do Dia

“Amas a noite pelo poder de aniquilamento que encerra e sabes que, dormindo, os problemas te dispensam de morrer.” Carlos Drummond de Andrade.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários