Amado amante

0

Na condição de candidato independente ao Senado, o tucano Albano Franco vai poder pedir votos e ser votado pelos eleitores de seus quatro concorrentes, sem que estes se queixem de traição. Diferente de Valadares e Eduardo Amorim, Manoel Cacho e Machadão, que estão ‘casados’ na mesma coligação e, portanto, sentem-se obrigados eticamente a pedir votos para seus parceiros de alianças, Albano está livre, leve e solto para paquerar o eleitorado dos quatro. Alguém pode dizer que o tucano terá que pedir votos casados com o candidato do PV, Antônio Leite, mas é claro que ele não brigará com o cidadão que já decidiu dar um dos dois votos a Valadares, Amorim, Machado ou Cacho. Portanto, nesta campanha, Albano é o que se pode chamar de amado amante, que tem pelo eleitor um amor sem preconceito que faz as suas próprias leis. Essa condição sine qua non poderá catapultar a candidatura tucana, pois nenhum dos demais candidatos vai recusar um voto de quem já decidiu que o outro é de Albano, nem tentará convencer o eleitor do contrário, até porque, assim como em algumas relações conjugais, também na política, trair e coçar é só começar.

 

Chevette da Ivete

 

Campanha custa uma grana bruta. Para se ter uma idéia, um carro de som está sendo alugado por R$ 40 mil para dois meses de trabalho. Claro, o combustível é por conta de quem aluga. Como para fazer algum barulho é preciso alugar um número razoável de mini-trios, imagine a bufunfa que os partidos vão ter que gastar. Pior é que tem neguinho alugando carros de som tipo “não tem motor de arranco/ também não pega no tranco e rasgaram o couro do banco”.

 

Desendereçado

 

O candidato a deputado federal Márcio Macedo (PT) está distribuindo dois mil convites para a inauguração do seu comitê eleitoral, que acontecerá às 17 horas deste sábado. Informa que o evento será prestigiado pelo governador Marcelo Déda e o presidente nacional do PT, Zé Eduardo, e conclama os convidados a vestir a camisa vermelha e declarar apoio ao dono da festa. O único porém do convite, até de bom gosto, é que não informa o endereço do comitê. Alguém sabe onde fica?

 

Novos impugnados

 

A Procuradoria Regional Eleitoral de Sergipe contestou mais 11 candidaturas. A maior parte dos pareceres pede que o TRE indefira os registros por perda de prazo para desincompatibilização de cargo público, por ausência de filiação partidária no ato do pedido de registro e por dupla filiação a partidos. Os denunciados são os candidatos José Eraldo Santos Souza (PRTB), José Ubiratan de Oliveira Gregório (PTdoB), Manoel Messias Hipólito Filho (PR), José Carlos da Costa, José Francisco dos Santos Oliveira (PSTU); Moritos Matos da Silva (PDT), José Antônio Marques de Oliveira (PCB), Marcelo Augusto Felizola (PCB), Cezar Henrique Ramos (PCB), Wanderlê Dias Correia (PMDB) e Stoessel Chagas (PSTU).

 

Dinheiro a rodo

 

Conselho aos candidatos que estão com o caixa baixo: façam uma fezinha nas loterias da Caixa Econômica que, juntas, vão pagar esta semana aos sortudos R$ 25 milhões. Somente o prêmio da Mega-Sena, que será sorteado amanhã, será de R$ 9,5 milhões. A Timemania vai pagar R$ 6,5 milhões, a bolada da Dupla-Sena é de R$ 6,8 milhões, Lotomania, R$ 1 milhão, Lotogol, R$ 55 mil, e Loteca, R$ 1,5 milhão. É suficiente para bancar a campanha?

 

É, ou não é?

 

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B), disse ontem que não considera hospitais as unidades de saúde Fernando Franco e Nestor Piva. “Quero que tire essa nomenclatura, pois ambos são unidades de pronto atendimento”, afirmou o comunista. Quem não vai gostar disso é o candidato à Câmara Federal, deputado Rogério Carvalho (PT), responsável pela construção dos dois hospitais, quando era secretário da Saúde da capital.

 

A queixa é outra

 

A coluna recebeu e-mail do ex-candidato a vice-governador pelo PV, Caudomir Tavares, informando os motivos que o levaram a deixar o partido. “Saí do PV e ingressei no PCB, não por aguardar “ajuda” de Albano, mas por discordar exatamente do acordo entre o PV e o PSDB, que considero imoral, indecoroso. Nada contra o deputado, mas contra o que ele representa, principalmente pela sua defesa da instalação da usina nuclear, proposta combatida pelo PV (pelo menos por mim)”. Tá explicado.

Em obras

 

Visando propiciar mais agilidade nos serviços e oferecer mais comodidade aos clientes e empregados, a Deso está reformando a Loja de Atendimento ao Público situada em sua sede, na rua Campo do Brito, em Aracaju. Segundo o diretor de Administração e Finanças da empresa, Everton Teixeira, a reforma inclui obras físicas e a implantação de tecnologia moderna, como um painel eletrônico para senhas e um totem, também eletrônico, para que os usuários possam fazer sugestões, conseguir informações e verificar pesquisas relacionadas à Deso.

 

Escreveu não leu…

 

Mais da metade do eleitorado brasileiro (53,56%) são pessoas com nenhum ou poucos nível escolar: 33,09% têm primeiro grau incompleto, 14,57% apenas leem e escrevem e 5,9% são analfabetos. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que o Nordeste tem o maior número de eleitores analfabetos,11,05%. Os que apenas leem e escrevem – chamados de analfabetos funcionais – são 24,19% dos eleitores.

 

Corpo a corpo

 

A coligação que apóia a reeleição do governador Marcelo Déda (PT) promove às 16h de hoje uma caminhada em Aracaju. Com início marcado para a Praça Fausto Cardoso, a manifestação vai percorrer várias ruas do centro comercial até chegar na praça João XXIII, nas proximidades da Rodoviária Luiz Garcia. Domingo passado, a coligação de Déda promoveu uma carreata que saiu da Colina do bairro Santo Antônio e percorreu ruas e avenidas da capital. Os organizadores estimaram que mais de oito mil carros participaram do ato.

 

Sem acordo

 

A advogada do candidato a governador João Alves Filho (DEM) revelou ontem que ele não pode mais fazer uma transação penal se comprometendo a custear 10 mil cartilhas educativas, pois já fez esse tipo de acordo em processo anterior. O demista, que não pode comparecer a audiência de ontem na 3ª Vara Federal em Sergipe, está sendo processado por ter chamado de malandros os servidores da Controladoria geral da União. Como o acordo é inviável legalmente, João terá que responder o processo até o fim e, se condenado, cumprir a pena aplicada pela Justiça.

 

Do baú político

 

Em 1974, o ex-governador Leandro Maciel (Arena) não ouviu os amigos, que achavam seu discurso ultrapassado, e lançou-se candidato à reeleição para o Senado. O MDB apresentou o jovem médico Gilvan Rocha. No livro ‘A Tutela Militar em Sergipe 1964/1984’, o professor Ibarê Dantas escreve o seguinte: “Leandro Maciel, além de mostrar a condição física de seus 78 anos de idade, a gesticulação, o timbre de voz e o discurso indicavam inadequação às exigências da apresentação na TV. Do outro lado, o médico Gilvan Rocha, com apenas 42 anos de idade, sóbrio e de boa aparência, gestos disciplinados no exercício do magistério e apropriados para ambientes frios, com boa dicção diante das câmaras de TV, comunicava e persuadia. Abertas as urnas, o candidato do MDB obteve grande vantagem”. Gilvan conseguiu 103.454 votos, contra apenas 86.504 obtidos pelo caudilho Leandro Maciel que, em função da derrota, “aposentou-se” da política.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais