Aracaju (SE): encante-se pela bela e acolhedora capital

0
Vista do bairro 13 de Julho a partir do rio Sergipe

É chegar o final do ano e junto com a data muitos brasileiros tiram e desejam momentos de férias. Para fechar 2019 em grande estilo, o Tô no Mundo convida a arrumar as malas e partir para a capital dos sergipanos, Aracaju. A cidade mostra os seus encantos e se consagra como um dos principais destinos de férias nas prateleiras das principais agências de turismo do país.

Cidade planejada, com pouco mais de 650 mil habitantes (Dados IBGE 2019), transporte público que liga os principais pontos turísticos, grandes centros comerciais, infraestrutura moderna com ares de cidade em desenvolvido, Aracaju convida a um roteiro que une pontos turísticos tradicionais e passeio que só Sergipe lhe apresenta.

A cidade é propícia ao turista que gosta de passeios diurnos e burburinho noturno pertinho do hotel, na orla da Atalaia. Por estar situada no litoral, com 30km de praias, seis deles na orla da Atalaia, e ainda perto de cidades históricas e do rio São Francisco, a capital se revela como uma das mais encantadoras entre as nordestinas, por poder unir vários passeios em um só destino: do ecoturismo as praias, do litoral ao sertão. Afinal, o que está esperando?

Praias de Aracaju

Aracaju possui uma faixa litorânea que permite o banho de mar desde a praia dos Artistas (mais perigosa por ser próxima da bifurcação com o rio Sergipe), até as praias da Atalaia e da rodovia Inácio Barbosa (José Sarney).

Cinelândia, na praia de Atalaia, é uma boa opção de praia no verão

Para quem gosta do pé na areia e com uma grande faixa propícia a corrida matinal, a orla da praia de Atalaia é bem aparelhada turisticamente. É lá onde também se concentram os principais hotéis e a noite há música ao vivo nos bares e restaurantes. Não deixe de conhecer o Oceanário de Aracaju, o Monumento aos Desbravadores e a região dos Lagos. Também não deixe de conhecer o monumento do Caranguejo Gigante na Passarela do Caranguejo.

Para quem gosta de mais tranquilidade e bares e restaurantes com boa infraestrutura de praia, a rodovia Inácio Barbosa é uma boa opção. Pode-se chegar até lá de transporte público ou de táxi. O trecho que compreende o clube da AABB lota nos finais de semana.

Rodovia Inácio Barbosa

A dica é percorrer a rodovia até se engraçar com uma das dezenas de bares à beira-mar, a exemplo dos indicados Adriano’s, Mar de Espanha, do Dedinho de Prosa, do Parati, Com Amor e Duna’s.

O restaurante Sollo fica à frente do Aruanã Eco Hotel e é um dos principais restaurantes com pratos mais elaborados, unido o regional com a cozinha criativa dos chefs.

Não deixe de fotografar também: Região dos lagos da orla da praia de Atalaia e Oceanário de Aracaju – Um dos belos cartões-postais de Aracaju, a região merece uma caminhada entre os lagos e visita ao Oceanário, gerenciado pelo projeto Tamar. A dica é deixar para o fim de tarde, quando o pôr do sol é um aliado para uma boa foto.

 Quebrar caranguejo na praia de Atalaia e rodovia dos Náufragos

É um típico hábito do sergipano, até comparado com terapia. Trocar o garfo e faca pelo martelinho é uma boa pedida para quem quer saborear a carne do crustáceo. Caranguejo cozido, quebrado de caranguejo ou de aratu, pastel, ensopado, fritada, qualquer uma das iguarias valem a pena, principalmente se for avistando a bela orla da praia de Atalaia, em um dos bares da Passarela do Caranguejo, ou à beira-mar na rodovia Inácio Barbosa, antiga José Sarney.

Conjunto arquitetônico das praças Fausto Cardoso e Olímpio Campos – Centro

Praça Fausto Cardoso, no Centro de Aracaju

Projetado num tabuleiro de xadrez, o centro de Aracaju é recheado de prédios históricos e bons locais para se descobrir num roteiro a pé. A dica é iniciar na praça Fausto Cardoso e tê-la como ponto de referência.

Escola do Legislativo, palácio-museu Olímpio Campos, palácio da Justiça, antiga sede do Ministério Público e Assembleia Legislativa compõem a emblemática praça da capital sergipana. Também fica no seu entorno a famosa ponte do Imperador, construída para o desembarque do rei em visita à Sergipe. Vale a pena flanar pela praça observando também outros prédios ao seu redor.

Mais a frente, já na denominada praça Olímpio Campos, a rua do Turista ou antiga Rua 24horas funciona pertinho da catedral metropolitana. Há comercialização de artesanatos, lojas de serviços, infraestrutura para o turista relaxar, além de bares e restaurantes.

Avenida Rio Branco e o tradicional to-to-tó

Lá também fica a Catedral Metropolitana de Aracaju, um dos mais significativos monumentos da arquitetura religiosa. Atualmente passa por um grande processo de restauro, mas continua aberta ao público.

Nos arredores da praça Olímpio Campos, vale a pena clicar prédios que registraram a história de Aracaju. Do lado direito da catedral fica o prédio da Arquidiocese de Aracaju e da antiga Prefeitura de Aracaju; ao fundo, o Memorial do Judiciário.

Não deixe também de registrar os prédios que ficam em frente à catedral, a exemplo da Câmara de Vereadores e da Procuradoria do Estado, além do lendário Cacique Café e Bistrô e da galeria de artes Álvaro Santos.

Ao atravessar a Rua do Turista chega aos calçadões das ruas João Pessoa e Laranjeiras, onde se concentra o centro comercial. Dê uma passadinha na igreja de São Salvador. Vizinho a ela aproveite para comer uma tradicional patanisca (bolinho português) na Luzitânia, do português Abel.

Não deixe de fotografar também: Vista do rio Sergipe na área dos mercados centrais – Do atracadouro onde ainda serve de ponto de embarque da travessia Aracaju- Barra dos Coqueiros, a agradável vista dos casarões comerciais na avenida Rio Branco com as antigas embarcações denominadas de tó tó tós dão um tom bucólico e pesqueiro ao centro da capital sergipana.

Mercados setoriais

Complexos de mercado do Centro de Aracaju

A dica é passar pela praça General Valadão, pertinho dali, e conhecer o Centro Cultural de Aracaju e o Centro Zé Peixe. Percorrendo mais à esquerda, passando pelo atracadouro, chega ao complexo de mercados setoriais da capital sergipana.

Mercados Thales Ferraz, Augusto Franco e Albano Franco compõem um conjunto de centros comerciais onde a sergipanidade está presente. Doces de Propriá, rolo de fumo de Lagarto, queijo de Nossa Senhora da Glória, artigos de barro de Santana do São Francisco estão presentes no mercado de artesanato Thales Ferraz, com seu relógio ao centro e rodeado por bares e restaurantes. Entre os mercados Thales Feraz e Antônio Franco a denominada Passarela das Flores faz jus ao nome por ser lá onde comercializam arranjos e flores naturais.

No mercado Antônio Franco, ervas, artesanato e artigos religiosos, além de gêneros alimentícios tão o tom das vendas. No mercado Maria Virgínia Leite Franco o dia a dia dos sergipanos estão presentes nas cores e cheiros de frutas, verduras e granjeiros.

Não deixe de fotografar: Vista do mercado Antônio Franco– Do segundo andar do tradicional mercado Antônio Franco, quatro restaurantes em casa ponta do estabelecimento fazem dali o ponto de encontro privilegiado a beira do rio Sergipe. Vale a pena curtir e clicar os arcos de cada ponta do mercado, além de ver um pouco do cotidiano daquele espaço.

Dicas de almoço no centro da cidade: Mercado Thales Ferraz, Cacique Senac Bistrô, Caçarola, Café do Museu, Espaço Zé Peixe

 Museus de Aracaju

Citei aqui o Centro Cultural de Aracaju, instalado na praça General Valadão, no centro da Aracaju. O turista pode apreciá-lo através de um passeio integrando aos mercados setoriais e calçadões.

Museu da Gente Sergipana – O Museu da Gente Sergipe não deve ser ignorado. Há uma vasta programação cultural neste final de ano, além do acervo e arquivo interativo através do qual o visitante pode apreciar da cultura sergipana.

Museu da Gente Sergipana vale a pena a visita

Considerado um dos principais museus do gênero do país, o Museu da Gente Sergipana possui mostras temporárias e permanentes, em um espaço completamente interativo. O Café da Gente também chama atenção. O espaço cultural fica na Av. Ivo do Prado, 398, Centro, Aracaju – SE. Telefone:(79) 3218-1551. Funciona de terça a sexta, das 10h às 17h, sábado e domingo, das 10h às 15h.

Palácio Museu Olímpio Campos – Fica na praça Fausto Cardoso e há um café bastante procurado por sergipanos e turistas. É lá onde estão mobiliários, objetos, obras de arte do século XIX, que adornaram muitos atos públicos da história de Sergipe, por ser ali local onde por muito tempo o governo recebia autoridades. Construído para ser a moradia dos governadores, a arquitetura do palácio já é um convite ao clique.

Palácio Museu Olímpio Campos

O palácio possui um sistema de visitas guiadas, de terça a sexta, das 10 às 17h; sábados e Domingos, das 9 às 13h.

 Vista da Colina do Santo Antônio

Vista da Colina de Santo Antônio

O local recebe muitos turistas por ser uma representatividade da fundação da cidade de Aracaju. Por ficar em um local alto, é um mirante natural da cidade, onde também pode ser visitada a igrejinha do Santo Antônio. O passeio pode ser feito aliado a uma visita a rua de São João, no bairro Industrial, e uma visita a orla do bairro, com uma bela vista da ponte Aracaju- Barra dos Coqueiros.

 Orla pôr do Sol – Mosqueiro

Pôr do Sol no rio Vaza-Barris
Ola pôr dol sol

Sem sombra de dúvida a região do Mosqueiro, na zona de expansão de Aracaju, na orla Pôr do Sol, é um dos locais mais bonitos da cidade e onde o turismo mais se profissionalizou nos últimos anos.  Os passeios pelos braços do rio Vaza-Barris reúnem momentos de contato com a natureza, relaxamento e descontração com paradas para banho em bancos de areia e locais de agradável beleza. Não deixe de fazer o passeio à Croa do Gore, do Viral e dos Namorados e aproveitar a despedida do Astro Rei na orla, da qual nomeia o espetáculo.

Há também bons restaurantes na localidade onde podem ser degustados os sabores regionais.

Não deixe de fotografar – Pôr do Sol –Nos finais de semana há uma maior concentração de turistas e sergipanos praticando esportes náuticos na região. No final da tarde, a região fica bem atrativa por conta do pôr do sol e de restaurantes com música ao vivo, além do retorno de turistas dos passeios. A dica é programar a ida para apreciar o espetáculo do pôr do sol na região às margens do rio.

 Gastronomia

Nos últimos anos Aracaju tem recebido uma gama de estrelados restaurantes, com festivais de comida criativa, além de chefs que passeiam pelo regional, alicerçado também na cozinha internacional. Como nos grandes centros, Aracaju possui das mais variadas cozinhas que passeiam pela francesa, peruana, mediterrânea, japonesa, chinesa, árabe, além das delicias mineiras, baianas, paraibana. Os principais restaurantes ficam na Atalaia, 13 de Julho e Garcia. A dica é consultar um guia de turismo disponível ou uma agência de viagem e sempre exigir o Cadastur, é um direito seu enquanto viajante e um dever dos profissionais de turismo.

Há de convir que os mercados centrais são, sem sombra de dúvida, onde o turista pode conferir de perto as tradições olfativas e degustativas das cidades. E Aracaju não foge à regra.

Delícias juninas durante todo o ano

Em Sergipe, a boa representatividade da culinária junina pode ser apreciada durante todo o ano em um espaço do mercado Antônio Franco, bem pertinho da Passarela das Flores. É nos mercados onde o turista poderá encontrar desde as tradicionais guloseimas regionais, a exemplo da canjica, mungunzá, zarolho, pé de moleque, beiju molhado; os bolos de puba, milho e tapioca, mingaus e licores e o amendoim cozido de Sergipe, Patrimônio Imaterial do Estado devido ao cozimento à base de água, sal e limão.

Um outro sabor bem sergipano é o gostinho da mangaba. Nas sorveterias da orla da Atalaia ou no bairro Castelo Branco, a frutinha de gosto doce, mas viscoso, é um dos símbolos de Sergipe e não poderá deixar de ser apreciada.

Comidinhas do Cacique Chá Bistró- Senac

No Cacique Bistrô

O Cacique Chá, tradicional espaço da sociedade sergipana, foi reformada e hoje é o Cacique Chá Bistrô Senac contando com um cardápio bem sergipano. O pirão de capão, o cozido sergipano, a feijoada, a vaca atolada, além do cachorro quente do Seu Tobias e diversos doces, como o brownie de amêndoas com sorvete de tapioca, acompanhado de um bom suco de mangaba fazem do Cacique uma boa referência da culinária sergipana, aliado ao bom serviço.

O restaurante ainda resguarda painéis originais do artista Jenner Augusto, cuidadosamente restaurados na recente reforma do local. O Cacique Chá funciona na Praça Olímpio Campos – Praça da Catedral de Aracaju, Centro.

Ainda está indeciso? Outros destinos bem pertinho de Aracaju

Conhecer Sergipe é especial por apresentar diferentes opções em um só destino, pois tudo fica bem perto da capital, desde os roteiros de aventuras ao ecoturismo, turismo rural, gastronômico, de praias ou cidades históricas.

Primeira capital de Sergipe – São Cristóvão

São Cristóvão e Laranjeiras são para quem gosta de cidades históricas. Brejo Grande fica na foz do São Francisco e proporciona um banho bem relaxante em uma região de singular beleza. Propriá para quem quer se debruçar nas feiras locais do interior do Baixo São Francisco. Parques da Serra de Itabaiana e dos Falcões, Reserva Biologia Santa Izabel, em Pirambu; Ilha da Sogra, na praia do Saco, são roteiros que envolvem aventura e ecoturismo. A Ilha Mem de Sá desenvolve o turismo de desenvolvimento de base sustentável comunitária. Todos esses destinos são recomendados e podem ser feitos através de bate-volta, caso o turista queira aproveitar um pouco mais dos encantos de Sergipe sem sair de Aracaju. O Cânion do São Francisco, no complexo Xingó, em Canindé do São Francisco, é a principal atração do interior que merece um final de semana a parte por sua beleza e infinidades de atrações, a exemplo do passeio pelo cânion e Paraíso do Talhado, ao Ecoparque do Cangaço, a Trilha da Grota do Angico, à Fazenda Mundo Novo, intercalado com as cidades vizinhas de Alagoas de Piranhas, Entremontes e Delmiro Gouveia. Consulte cada um dos roteiros clicando neles e descubra Sergipe.

Fotos: Silvio Oliveira

Curta nossas redes sociais:   Insta      Facebook Silvio Oliveira       Tô no Mundo

Comentários