Baía Formosa (RN): encanto entre Rio Grande do Norte e Paraíba

0
Praia do Sagi, um paraíso na divisa entre o Rio Grande do Norte e Paraíba, um atrativo que deve ser visitado

Sabe aqueles lugares que antes de conhecê-los não se cria expectativa e ao estar lá a surpresa se transforma em encanto? Baía Formosa, município distante 96km da capital potiguar, Natal, com pouco mais de 8.500 hab (Estimativa IBGE), faz parte dessa lista de cidades que encantam. Com um litoral entrecortado por rios e lagoas, áreas de preservação ambiental de manguezais e dunas, além de praias que vão desde as mais visitadas até as mais primitivas, a Baía Formosa faz jus ao nome.

Baía dos Golfinhos vista do mirante na cidade de Baía Formosa para a praia do Porto, uma bela paisagem logo que chega

O passeio geralmente inicia no mirante da Baía dos Golfinhos, logo na entrada da cidade, com vista para a praia do Porto. A vista enche os olhos dos turistas e se percebe que a praia bem abaixo entrecortada por falésias é uma das mais frequentadas por moradores e visitantes. Ganha o nome de Baía dos Golfinhos por ser uma área de avistagem dos mamíferos, que chegam em cardumes para se alimentarem. Nem sempre eles dão o ar da graça, por isso, ganharam o nome de “Ali Ali”, “Cadê Cadê”, “Lá lá”, “Aculá”. Brincadeiras à parte, a paisagem recompensa e se percebe o porquê que a região foi palco de gravação da novela Flôr do Caribe, da Rede Globo, com os protagonistas Grazi Massafera e Henri Castelli.

São mais de seis praias quase que intocadas até chegar ao paraíso da praia do Sagi

As praias a seguir são as de Cacimba e Bacupari com pousadas e bons restaurantes a disposição do turista.  Em Bacupari há um ponto de apoio para se contratar passeios de buggy, principal meio de transporte da região para se conhecer os belos cartões-postais. O farol de Bacupari corta a imagem das dunas e vegetação, ora de cactáceos, ora de restinga litorânea. São seis praias quase paradisíacas a seguir até chegar ao Museu e Cemitério da Tartaruga Marinha, através do qual se pode conhecer desde ossadas de baleias, golfinhos, peixes  a tartarugas.

Museu e cemitério marítimo é uma da paradas do passeio de buggy pelo litoral sul potiguar

A praia seguinte é a do Sagi, que ganha esse nome por conta do rio que entrecorta a região.  Ainda em descoberta pela leva de turistas que visitam o litoral potiguar anualmente, Sagi nomeia a região do vilarejo, última praia do Rio Grande do Norte. Percebe-se que não demorará muito para surgir construções na área da praia quase que deserta, mas de grande beleza e contato com a natureza. A surpresa é a parada na Cachaçaria e Pousada Nativos, onde se pode apreciar, gratuitamente, de mais de 18 tipos de sabores de cachaça fabricadas artesanalmente.

Ana Terezinha aguarda na cachaçaria Nativos que disponibiliza mais de 18 rótulos feitos artesanalmente, uma beleza a beira-mar

Ana Terezinha é a anfitrião que há cinco anos empreende a cachaçaria. A meladinha, uma mistura de limão com mel, a de murici, de jaca, de caju e de cravo e canela são as mais procuradas. A garrafa custa R$ 12, mas há outros rótulos que chegam a custar R$ 750 reais.

Rio Sagi com o mar promovem uma paisagem sem igual, com tirolesa e passeios entre braços de mangues

Já na divisa com a Paraíba, o cenário de beleza fica completo com o encontro do rio Guaju e o mar, com parque eólico ao fundo. A parada para banho e visita a um parque de energia eólica se completam com passeios pelos braços de mangues do rio, além de uma tirolesa sobre uma pequena lagoa (R$10). Há também passeios de barcos entre manguezais, habitat natural do caranguejo.

Praia do Sagi
Praia do Sagi
Praia do Sagi
Concentração de turistas e buggys na praia do Sagi

A duração da parada fica ao gosto do turista, mas ainda há muito o que se conhecer na região. A entrada na Mata Estrela está por vir, uma Área de Proteção Ambiental com mais de 2mil hectares de restinga de Mata Atlântica e habitat de primatas. Passa-se por trilhas entre mangues e pequenas árvores, algumas delas, a denominada Pau Rosa, possui uma seiva viscosa e que se friccionada na pele exala um perfume sem igual. “É o fixador do perfume Chanel number five”, conta Tarcísio, Zé Brejo, o bugueiro gente boa da Baía Formosa.

Lagoa da Araraquara

Tarcísio tira caju do pé, desliga o motor do buggy e pede para sentir o ar-condicionado natural, prontifica-se para clicar as fotos, conta histórias e piadas dos moradores do vilarejo do Sagi, até explicar que a próxima parada é a lagoa Araraquara, mais conhecida como Lagoa da Coca-Cola, nome devido a coloração escura da água por conta da presença de iodo e de ferro, e da decomposição de folhas das árvores.

Lagoa da Araraquara é parada para banho

Depois de banhar-se na lagoa, a próxima parada é no mirante natural da Bela Vista, onde se tem uma panorâmica da praia  do Farol e da Barreirinha. O passeio dura, em média, cinco a seis horas.

Ao desembarcar na praia de Bacupari, a dica é degustar das delícias da pousada e restaurante Chalemar, com a bela vista da praia. O destino rio Grande do Norte só estar começando.

Dicas de viagem

O passeio completo bate e volta partindo dos principais hotéis de Natal e disponibilizado pela Potiguar Turismo (CVC Natal), custa R$ 65 mais R$ 80 do buggy  (opcional). O buggy completo custa R$ 320 para até quatro pessoas. Telefone de contato Potiguar Turismo (84) 99118 0958 ou (84) 3343-6435. Vale a pena fazer o passeio.

Povoado próximo do rio Guaju

O acesso a cidade de Baía Formosa é fácil partindo pela BR 101, entre João Pessoa e Natal. A estrada a esquerda para quem parte de Natal é a RN 062 e não tem errada, é sinalizada e o moradores são muito solícitos, sempre dispostos a ajudar.

Farol de Bacupari

O guia de turismo Radamés é um dos que compõe a equipe da CVC Natal e presta serviços à Potiguar Turismo. Profissional, é um verdadeiro artista e contador de história, conhece a região e é recomendado para quem visita o Rio Grande do Norte. Telefone (84) 99811 5567.

Baía Formosa

O passeio bate e volta partindo de Natal pela Potiguar Turismo tem como base de apoio a Pousada e Restaurante Chalemar, uma boa opção com piscina, sombreiros à beira-mar. O cardápio é variado e deve-se solicitar o prato ainda antes de seguir para o embarque do passeio de buggy, porém, mesmo ainda assim o serviço é demorado. Não há indicação de outras opções.

Na praia do Sagi há pequenas pousadas e restaurantes e se configura como uma boa opção para quem quer com a natureza e com os moradores, estimado em pouco mais de 800.

Gastroterapia

Peixe grelhado com camarão do Chalemar

Farto e saboroso, o peixe Pescada grelhado com camarão, alcaparras e champignon, acompanha batata souté e um arroz fininho, bem típico do Rio Grande do Norte. Aliás, o cardápio potiguar é bem agraciado de camarão e há até rodízios do crustáceo em restaurantes da capital. Conta-se que pela grande salinidade das águas, a temperatura e a presença do sol quase que o ano todo, faz com que o camarão se reproduza com mais constância. Por conta disso, o camarão é base de vários pratos da culinária potiguar, a preços convidativos.

*Passeio realizado com apoio da Potiguar Turismo, receptivo da CVC Natal

Curta nas redes sociais

Instagram                        Facebook                      Tô no Mundo

Comentários