Campanha a Governo

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, ainda não sinalizou que está disputando as eleições municipais, para que, daqui a 16 meses – abril de 2006 – afaste-se da Prefeitura para poder disputar o Governo do Estado. Mas também, até agora, em nenhum dos seus discursos ou entrevistas, garantiu que permaneceria à frente da Prefeitura por quatro anos. Quando se fala nessa questão de eleições estaduais, Déda tangencia, diz que está pensando no pleito de agora e que “isso é coisa para pensar depois”. De fato o é, levando-se em consideração que o chamado acordo do interior não funcionou. Os municípios estão absolutamente soltos, sem seguir qualquer orientação quanto a uma unidade, prevendo as eleições majoritárias de 2006. O acordo do interior foi uma posição tomada logo depois que o então senador José Eduardo Dutra (PT) disputou o segundo turno para o Governo do Estado, em 2002, apoiado por um bloco coeso de partidos que faziam oposição ao engenheiro João Alves Filho. Como o pleito foi bem disputado, as oposições imaginaram que poderiam se manter unidas inclusive no interior, com o objetivo de preparar o eleitorado para a disputa pelo Palácio dos Despachos em 2006. Pretendiam eleger o maior número possível de prefeitos e vereadores, fechando todas as regiões e reduzindo o poder de fogo do PFL, que sempre foi forte nos municípios, principalmente os do alto sertão. Deu xabu. O acordo amplo de partidos de oposição não conseguiu ultrapassar as fronteiras de Aracaju. As divergências interioranas já estão provocando alguns ressentimentos, que serão expostos após as eleições. Bom, mas o prefeito Marcelo Déda, que não revela desejos de disputar o Governo em 2006, está dando alguns passos inteligentes, que podem despertar qualquer analista para as suas intenções. Em uma das cidades de maior potencialidade eleitoral, ele já divide as lideranças. Em Lagarto, por exemplo, o grupo liderado pelos Reis e pelo prefeito Zezé Rocha já está com Marcelo Déda desde 2002, quando apoiou o senador José Eduardo Dutra. Agora ele parte para uma nova conquista: o grupo de Chico de Miguel, com o objetivo de dividir Itabaiana. A candidata à prefeita por Itabaiana, deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), contará com a presença de Déda em seu palanque, sempre que possível, num gesto político claro de dividir as tendências eleitorais de uma das mais agitadas eleições municipais e estaduais. Lá, quem não é Luciano Bispo, está com Chico de Miguel, sem risco de aparecer mais ninguém. E assim o será em 2006. Em Itabaiana, inclusive, estão confirmando presença para o comício de Maria Mendonça amanhã, em Itabaiana, o prefeito Marcelo Déda, o presidente da Petrobrás José Eduardo Dutra, o deputado federal Jackson Barreto (PTB), a deputada Ana Lúcia (PT), o ex-governador Albano Franco (PSDB) e mais outros integrantes das oposições, para caracterizar bem que o município estará dividido agora e dentro de mais dois anos. Mesmo que haja essa mistura de petistas e tucanos, que a nível nacional é pecado mortal. Em Boquim, a título de homenagear o ex-deputado Joaldo Barbosa (PL), assassinado às vésperas de sua posse, o prefeito Marcelo Déda também vai participar do comício de Pedro Barbosa (irmão de Joaldo), candidato à Prefeitura daquela cidade. Sem dúvidas, o prefeito de Aracaju será o divisor de votos a nível nacional. Assim, essa polarização já está começando a se formar e deve se estender até 2006 onde, é possível, a disputa seja com o governador João Alves Filho (PFL), que tentará a reeleição. Esses exemplos demonstram que, embora o acordo do interior não vingou em relação às candidaturas proporcionais e majoritárias, a divisão política do estado começa a se definir, de forma clara e evidente, entre o prefeito Marcelo Déda e o governador João Alves Filho. O surgimento do senador José Almeida Lima como candidato a governador ainda é hipótese, mas que tem possibilidade natural e começa a se caracterizar como possível. Entretanto, nos comentários políticos, os estrategistas enxergam um princípio de entendimento entre o governador João Alves Filho e o prefeito Marcelo Déda, com o objetivo de agradar o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A realidade dessa aproximação seria para facilitar a liberação de recursos para Sergipe, o que facilitaria a administração estadual. Nota-se, entretanto, que se João Alves poupa Lula e Déda, castiga sem dó o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, colocando-o como inimigo número 1 de Sergipe. Isso teria uma explicação: em 2006, o candidato a governador será Dutra, enquanto Marcelo Déda disputaria o Senado Federal. GILMAR Os deputados que integram o bloco do Governo na Assembléia Legislativa, não contam mais com o colega Gilmar Carvalho (PV). Eles agora formam uma bancada de 15 com o presidente Antônio Passos. Para o bloco, “Gilmar vota contra o Governo e é carta fora do baralho”. OPOSIÇÃO O deputado Gilmar Carvalho não se preocupa com isso, porque realmente passou para a oposição e vota contra o Governo. Gilmar, inclusive, já havia advertido, desde junho, que tomaria outra posição em agosto, desde quando não teve condições de disputar a Prefeitura. ESQUEMA O Governo marcou um esquema pesado para aprovação da emenda, porque manteve os 15 deputados do bloco em plenário. Até a deputada Celinha Franco (PPS), que estava com problemas de saúde e faltaria, adiou o tratamento médico e foi votar. ULICES O deputado Ulices Andrade (PSDB) votou em favor da Emenda Constitucional, porque considera que o programa de reforma do Estado foi feito em Minas, com sucesso. Explicou que a Fundação Dom Cabral foi contratado pelo governador Aécio Neves (PSDB) e fez projeto idêntico: “é uma proposta do nosso partido e não podia votar contra”, disse. DÉDA Ao participar de comício da candidata à prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB), o prefeito Marcelo Déda (PT) está trabalhando para 2006. Com certeza espera contar com os votos do grupo liderado por Chico de Miguel, para uma possível candidatura ao Governo do Estado. BOQUIM Quanto à participação de Marcelo Déda no comício do irmão de Joaldo Barbosa em Boquim, ele diz que é questão de solidariedade à família do deputado assassinado. Embora tenha esse sentido, Déda também vai conseguir a simpatia da ala que faz oposição aos Fonseca naquela cidade. ELEIÇÃO O bem conceituado integrante do Governo do Estado acha que o clima em Aracaju não é de eleição municipal. Está tudo muito tranqüilo… Ele acha que o candidato deveria ter sido preparado desde o ano passado, porque já se sabia que o adversário seria Marcelo Déda. ESCÂNDALO O deputado federal João Fontes (PSol) está integrado a um grupo que levanta vários órgãos de um dos governantes e tem encontrado escândalos. Diz que são coisas graves, inclusive com dinheiro depositado em conta de gente grossa da política de Sergipe. O trabalho vem sendo mantido em sigilo. CARINHO João Fontes, que ouviu ontem uma entrevista do governador João Alves Filho no rádio, notou que ele fala com muito carinho sobre Marcelo Déda e o presidente Lula. Num diálogo rápido com João Alves através do rádio, Fontes disse que o “PT é muito parecido com o PFL”. O governador respondeu: “mas nós somos mais autênticos”. GILTON O presidente do PTN, Gilton Garcia, disse ontem que foi convidado por Marcelo Déda, através de Edvaldo Nogueira, para participar da campanha petista. “Sem troca e sem barganha” – disse. Gilton participa das reuniões de presidente de partidos todas as segundas-feiras e diz que se sente muito bem junto aos petistas. AGREGAR Gilton Garcia acrescentou que o prefeito Marcelo Déda está convencido de que se não agregar novas forças, não ganha no primeiro turno, que é o seu objetivo. Garcia admite que em política um grupo isolado não ganha eleição em lugar nenhum. Deu como exemplo o próprio Lula, que só foi eleito depois que abriu o PT para composições. BRANCA O candidato a vereador Banca de Neve (PDT) faz sua campanha na zona norte de Aracaju e prevê que “o prefeito Déda terá uma grande surpresa nessa região”. Apesar de apoiar José Renato a prefeito, Branca de Neve disse que Susana trafega bem na zona Norte “e pode deslanchar em cima do pecado que o prefeito cometeu na área social”. SILVEIRA Por decisão judicial, o Diretório Municipal do PFL, de Itabianinha, retornou às mãos do ex-deputado Ilzo Silveira, hoje aliado de Raimundo Vieira, candidato a prefeito pelo PP. Com a decisão, fica difícil a candidatura de Renildo Santana pelo PFL, que está sem partido e subjudice. O nome próprio de Renildo é Manuel Elias… INAUGURAÇÃO A candidata à prefeita pelo PPS, deputada Susana Azevedo, inaugurou o seu comitê de campanha ontem, com a participação dos políticos que a apóiam. Já a partir de domingo a campanha de Susana Azevedo estará nas ruas, inclusive com bandeiras, adesivos, outdoor e todo material publicitário. Notas FABIANO O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) votou favoravelmente ao Projeto de Emenda Constitucional, porque recebeu uma equipe de funcionários da Emsetur que se mostrava preocupada com a extinção da empresa, onde esse pessoal tem o seu salário, mais plano de saúde e está lá há alguns anos. Fabiano disse que procurou as lideranças do Governo na Assembléia Legislativa e disse que votaria na PEC, desde que a Emsetur fosse transformada em Superintendência. Como isso foi definido ele cumpriu a palavra. DISCUSSÃO O deputado Gilmar Carvalho (PV) reclamou do colega Fabiano Oliveira o voto em favor do PEC. Fabiano explicou que está na oposição e continuará nela até o final do atual mandato, mas se colocará sempre em defesa do setor turístico no Estado. Disse que negociou com o legislativo, foi atendido e votou. Fabiano lembrou que desde as eleições estaduais de 2002 que o chapéu de couro não coube em sua cabeça e lembrou que Gilmar será bem vindo à oposição, mas ele passou todo esse período votando no Governo. LAGARTO A disputa eleitoral em Lagarto está acirrada, com as diferenças pequenas entre os três candidatos. O prefeito Zezé Rocha (PTB), candidato à reeleição, continua na frente seguido de perto pelo ex-prefeito Cabo Zé. Mais embaixo vem o deputado Walmir Monteiro, que apresentou um crescimento. O grupo político liderado pelo prefeito Zezé Rocha está mais preocupado, porque alguns aliados descontentes com a administração preferiram migrar para Walmir Monteiro, que melhorou sua posição. É fogo O secretário de Justiça, Emanuel Cacho, foi recebido ontem, às 15 horas, pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. André Barros e Gilvan Manoel inauguraram a sua agência de notícias, que conta com uma equipe eficiente de colunistas, entre eles Cláudio Nunes e Rita Oliveira. O objetivo da agência é fornecer informações através da Internet e com um Informativo confidencial de oito páginas, só para assinantes. O ex-governador Albano Franco (PSDB) continua fazendo política de forma branda. Prefere ficar afastado das campanhas. Jorge Alberto realiza amanhã uma carreata pelas principais avenidas de Aracaju, dando início à sua campanha. Em todo o Estado as campanhas estão com pouca movimentação. Os candidatos alegam falta de dinheiro. Uma coisa está bem clara, a cada ano o período de campanha encolhe mais, porque se gastam menos recursos. O líder das oposições na Assembléia Legislativa, Belivaldo Chagas, ficou irritado com os deputados do bloco que votaram a favor do Governo. A maior reclamação dos parlamentares da oposição é porque ainda não viram o projeto de reforma, elaborado pela Fundação Dom Cabral. O deputado estadual Mardoqueu Bodano (PL) destacou, na Assembléia Legislativa, a passagem do Dia do Agricultor. Alguns candidatos a vereador estão se virando sozinhos, porque sentem que as campanhas majoritárias estão paradas. O Governo estuda a possibilidade de reduzir o Imposto de Renda que incide sobre as aplicações no mercado de ações. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais