Coisas de Política

0

Clube do Cavalo de Sergipe-Cavalos e Trilhas

                     

Em reunião ocorrida na residência do companheiro Henrique na noite da última quarta-feira, por volta das 20:00hs, foi realizada a 1ª Grande Assembléia entre os companheiros de Trilha de Sergipe.

Na oportunidade foi criado o Clube do Cavalo de Sergipe-Cavalo e Trilhas, e aprovado a chapa única:

Presidente Omar Ramos

Vice-Presidente: Kadu Ramos

Diretor Social Henrique Ramos

Diretor Jurídico Jorge Ramos

Diretor de Comunicação e Marketing – João Evangelista Ramos

Diretor Comercial Aldo Ramos

Diretor tesoureiro Marquinhos Ramos

Diretor Ambiental Jorge Amoroso Ramos Filho

Assim composta e aprovada a chapa ficou formidável, até porque ficou em família.

 

PS: O complemento do sobrenome Ramos foi só para descontrair a moçada é que verdade eu não sei o sobrenome de todos, como o do Xerife é Ramos até o meu também ficou Ramos.

 

1º Torneio de Esquipa de Malha dos Bois

 

Será realizada no dia 21 de abril de 2007 às 14 horas na cidade de Malhada dos Bois o 1º Torneio esquipa da cidade.

A organização é por conta dos amigos Julho, Genilson (Pai e Filho) e Jabá.

 

Premiação:

 

1º Lugar um carneiro e um troféu

2º lugar um carneiro e um troféu

3º lugar também um carneiro e um troféu.

O valor da inscrição é de apenas R$ 5,00, logo aos haverá o concurso do homem mais feio de Malhada dos Bois. (Têm um bocado).

 

Premiação:

 

1º lugar R$ 150,00

2º lugar R$100,00

3º lugar R$ 50,00

 

OBS: Só participarão do concurso pessoas do Município de Malhada dos Bois e dos seus povoados.

Apoio Cultural: João Evangelista

 

André Moura diz que Estado ajudará

os hospitais de Riachuelo e Neópolis

 

O deputado estadual André Moura, PSC, teve uma audiência com o secretário de Estado da Saúde, deputado Rogério Carvalho, PT, em companhia do prefeito de Neópolis, José Teixeira, para saber sobre os repasses de verbas para o Hospital Regional de Neópolis.

André disse que aproveitou para falar sobre o hospital de Riachuelo, defendendo um pleito do prefeito Antônio Carlos Franco Sobrinho.

André entregou uma pauta de reivindicações dos dois prefeitos, para que seja atendida, visando atender melhor os pacientes e impedindo que os hospitais não fechem prejudicando as populações.

Informou André que Rogério Carvalho foi bastante atencioso e a conversa foi proveitosa, uma vez que o secretário deu um alento para os dois prefeitos e garantiu o mínimo necessário para manter os hospitais abertos.

Rogério Carvalho já autorizou o pagamento das parcelas em atraso de dezembro, janeiro e fevereiro, para os dois hospitais.

Em abril, Rogério informou a André que vai autorizar os pagamentos de março para os dois hospitais.

André aproveitou para fazer outros pedidos e teve a resposta de Rogério que deixe ele [Rogério] reorganizar a Secretaria de Estado da Saúde, para poder atender as reivindicações.

Adiantou André que haverá uma reunião de Rogério com os prefeitos de Riachuelo e Neópolis, com a participação dos respectivos secretários municipais de Saúde.

 

Conceição Vieira destaca na AL

o Dia Nacional do Consumidor

 

A deputada estadual Conceição Vieira, PT, apresentou projeto de lei, disciplinando a publicidade dos bancos com relação aos empréstimos, informando corretamente o custo real da operação e no caso de produtos, o preço final, com a verdadeira taxa de juros.

Segundo ela, uma série de taxas é cobrada e o cliente não sabe. Ela diz que até a emissão do carnê é cobrada, sem que o consumidor tenha conhecimento.

Uma série de coisas vêm acontecendo nas instituições financeiras e no comércio, sem que os clientes tenham conhecimento.

Conceição Vieira quer que os bancos coloquem explicitamente para os clientes todos os custos da operação, com juros e taxas.

No caso de compras, Conceição Vieira quer que tudo seja explicado, como taxas de juros e preço final das mercadorias.

 

Cartelização na venda do cimento é

repudiada por Garibalde Mendonça

 

O deputado estadual Garibalde Mendonça, PMDB, protesta contra a cartelização na indústria do cimento, que vende o produto com preços absurdos em Sergipe, exporta para outros Estados e lá o consumidor paga até a metade do preço que é cobrado dos sergipanos.

Garibalde Mendonça já vem protestando contra essa prática desde o ano passado, quando convidou o Ministério Público e o Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Sergipe), para uma reunião.

Comentou que o Ministério Público iniciou um procedimento, para averiguar a situação e ouviu os diversos segmentos, para elaborar um documento.

Na terça-feira, o deputado encaminhou documento ao Ministério Público, para a promotora Maria Cristina da Gama e Silva Foz Mendonça, solicitando do MP o relatório da apuração do procedimento administrativo, quando foram ouvidos os representantes das indústrias do cimento.

Garibalde vai aguardar a posição do MP, para saber que caminhos serão tomados, inclusive com debates, envolvendo o Ministério Público e o Sinduscon, sobre a questão.

O deputado disse que não se pode admitir o absurdo de pagar R$ 17,00, pelo saco de 50 quilos de cimento em Sergipe, que produz e este mesmo produto é comercializado até por R$ 8,70, em outro Estado, para onde é exportado.

Wanderlê Correia pede redução

no preço do cimento em Sergipe

 

O deputado estadual Wanderlê Correia (PTB) voltou a condenar a suspeita da formação de cartel na venda de cimentos em vários estados do país, especialmente em Sergipe. O parlamentar afirmou que o custo do cimento é proibitivo e necessita ser revisto. “É preciso fazer justiça e corrigir essa distorção, pois uma mudança viria beneficiar a população pobre e baratear o custo dos imóveis”, explica Wanderlê.

O deputado disse que o preço do cimento encarece o valor dos imóveis em Sergipe. O preço do produto é um dos mais caros na lista de material de construção. “Isso representa um peso para quem constrói. Essa divergência de preços é absurda. Não é justo e merece uma explicação plausível”, observou.

O tema que Wanderlê trouxe ao plenário não é novo. A disparidade no preço do cimento para o consumidor final levou o deputado Garibalde Mendonça (PMDB) a solicitar a intervenção do Ministério Público Estadual. O deputado peemedebista também se pronunciou e disse que é preciso retomar a discussão. “O próprio Sinduscon tem que se envolver nesse processo. A provável cartelização do cimento está em outros estados”, disse Garibalde.

Wanderlê entende que a diferença no preço do produto que é produzido e vendido em Sergipe e em outros estados é absurda. “O mesmo cimento que é fabricado em Sergipe, que custa entre R$ 17 e R$ 19, é vendido em outros estados por R$ 11 o saco. E olhe que esses Estados ainda pagam o custo do transporte”, ressalta.

A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) diz que é vergonhoso o sergipano adquirir o cimento a R$ 17 quando em outros Estados se compra o mesmo produto a R$ 11. “As fábricas de cimento instaladas em Sergipe tiveram incentivos. E ao invés de comprarmos cimento mais barato, compramos mais caro”, alertou Susana, que defende uma ação junto à Secretaria de Direito Econômico (SDE), ligada do Ministério da Justiça.

A composição da obra, observa Wanderlê, é influenciada pelo cimento, um dos itens mais caros da construção. “Encarece o imóvel financiado e as obras públicas”, denunciou o deputado, que não entende o alinhamento de preços entre as principais indústrias do país.

O deputado lembrou artigo publicado na Gazeta Mercantil, que trata de uma investigação federal a respeito do assunto, e matéria na revista Veja que revela que o setor de cimento está na mira da Secretaria de Direito Econômico, que investiga oito dos 10 principais produtores de cimento do país, que dominam 90% do mercado.

 

Tânia Soares: renúncia na

Câmara tranqüiliza Chico Buchinho

 

“Renunciei ontem, as cinco da tarde, ao meu mandato de vereadora”. Assim a deputada estadual Tânia Soares (PCdoB) iniciou seu pronunciamento na tribuna para informar que não exercia mais o mandato de vereadora na Câmara Municipal de Aracaju. A parlamentar afirma que a medida se tornou necessária diante das discussões que surgiram em torno do assunto.

“Minha renúncia encerra a polêmica que estava deixando o vereador Chico Buchinho (PT) inseguro. O companheiro do Partido dos Trabalhadores estava se sentindo incomodado com a possibilidade de minha volta ao parlamento municipal”, explicou Tânia.

A deputada disse ainda que o PCdoB, seu partido, tem como principal marca a lealdade, o cumprimento de acordos firmados com os aliados. “A lealdade, como o destemor e o companheirismo, são características que muito me orgulha. Por isso decidimos formalizar a renúncia para que o vereador do PT, que assumiu em meu lugar, ficasse confortável”, disse Tânia, que assegurou em seu discurso que não manteve nenhum vínculo ou acordo com Chico Buchinho que garantisse vantagens. Toda a assessoria da deputada se desligou do gabinete na Câmara e passou a atuar no escritório na Assembléia Legislativa.

“Eu pedi afastamento porque buscava uma jurisprudência no caso, como aconteceu em outros Estados, como no Rio Grande do Sul. Esse anúncio é importante porque eu fui a segunda mais votada na eleição municipal e fui a quarta deputada mais votada na capital. Não nasci aqui, mas procuro honrar os interesses de Aracaju”, concluiu Tânia.

 

Augusto protesta contra o edital

da transposição do Velho Chico

 

O edital das obras da transposição das águas do rio São Francisco foi motivo de protesto do deputado Augusto Bezerra, PFL, que antes de entrar no tema principal, fez uma análise das declarações do ex-presidente da Fapese, José Roberto Lima, no sentido de que estranhava a posição do parlamentar, criticando a Fapese por promover licitação para obras no Detran.

Augusto Bezerra tinha denunciado José Roberto por ser presidente da Fapese e exercer a função de secretário-adjunto do Turismo. Zé Roberto disse que se afastou da presidência da instituição no início deste mês. Essa postura de Zé Roberto reforçou a denúncia de Augusto, no sentido de que Roberto estava exercendo ilegalmente o cargo de adjunto.

Augusto falou também sobre a circulação atrasada do Diário Oficial do Estado de Sergipe, obrigando o prefeito de Porto da Folha a anular licitação, para evitar ações na justiça, por conta desse atraso.

O deputado disse que a lei obriga que a licitação tem que ser de conhecimento público antes do dia da abertura das propostas. Como o Diário está circulando com atraso vários municípios como Carmopólis, Estância e Itabaiana estão com problemas, porque publicaram os editais no Diário e a edição saiu depois do dia da licitação.

Augusto também falou sobre declarações do líder do Governo na Assembléia Legislativa, Francisco Gualberto, que disse que fora agredido verbalmente por Augusto.

Transposição– O parlamentar pefelista informou que terá uma conversa com o presidente do parlamento estadual Ulices Andrade, PDT, para tentar impedir o início das obras da transposição das águas do rio São Francisco, que é ruim para o País, uma vez que a empreitada correta é a revitalização do “rio da integração nacional”.

Augusto disse que é importante que a Assembléia tenha uma posição firmada sobre o assunto, uma vez que o parlamento está na vanguarda contra a transposição, desenvolvendo palestras e outras ações, para mostrar a população que é fundamental revitalizar o rio.

 

Sugestão e informação para esta coluna pelo e-mail: joaoevangelista@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários