Coletiva única

0

Coletiva única

 

A demora de quase toda a imprensa para chegar, anteontem, à entrevista coletiva do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, é um caso inédito em nosso jornalismo. Na hora marcada, apenas a jornalista Aldaci Souza estava lá, sendo a única profissional na coletiva de um ministro de Estado. Assustado com a ausência de praticamente toda a imprensa, o governador Marcelo Déda (PT) pediu ao visitante ilustre que esperasse uns 15 minutinhos, só que não apareceu ninguém. Decepcionado, Bezerra foi embora. Depois que o ministro partiu, as equipes de jornalismo começaram a chegar ao Palácio, mas aí já era tarde. Os coleguinhas retardatários se contentaram com a entrevista do governador e as emissoras de TV tiveram que se socorrer com imagens da reunião entre Déda e o ministro, fornecidas pela Secretaria de Comunicação do Governo. Nunca na história deste país aconteceu coisa igual. Podem pesquisar!

 

Queixo duro

 

Antônio Samarone, superintendente da SMTT, é mesmo um cabra queixo duro. Ele deseja que as empresas Eliseu Kopp e Splice, responsáveis pela fiscalização eletrônica do trânsito, orientem ao pessoal da Prefeitura sobre como operar os pardais e lombadas eletrônicas. Ora, as empresas ganharam as concorrências para instalar, alugar e operar o sistema. Alguém precisa dizer a Samarone que, para seu pessoal aprender a operar os equipamentos, a SMTT precisará pagar por isso, pois ninguém fornece conhecimento de graça.

 

Sem mistério

 

Quando soube que foi supostamente denunciado porque recebeu doação na campanha da reeleição, em 2008, da empresa Splice, que opera controladores de velocidade em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) confirmou a doação e entregou a setores da imprensa a relação dos doadores. Edvaldo recebeu doações de 302 empresas, num valor total de quase R$ 2 milhões. A Splice doou R$ 20 mil, equivalente 1% desse total. O prefeito lembrou que todas as doações que recebeu foram legais, por isso mesmo teve as contas aprovadas sem ressalvas pelo Tribunal Regional Eleitoral.

 

Nota

 

Com o título acima, a coluna Periscópio do Jornal da Cidade publica hoje o seguinte: “Numa rápida avaliação sobre a segurança pública nos três últimos governos (Albano, João Alves e Déda), o deputado estadual Capitão Samuel (PSC) reprovou os governos dos dois primeiros e deu nota nove para o governo Déda. ‘Eu daria uma nota seis para o governo Valadares, nota nove para o governo Déda, nota quatro para o governo João Alves e nota três para o governo Albano. Por que eu daria nove pra Déda? Realmente, no governo dele a luta foi grande, mas nós conseguimos avanços por causa da nossa união’, destacou”.

 

Miséria preocupa

 

Enquanto liberam-se emendas do Orçamento da União para prefeituras contratarem shows caríssimos, um grande número de famílias sergipanas continua habitando casas de taipa. A reclamação é da deputada estadual Susana Azevedo (PSC). Ele disse que, outro dia, viu 15 miseráveis morando numa casinha de taipa quase caindo. “Ali não dava para residir uma pessoa, quanto mais 15”, disse. Susana defende que a Assembléia promova uma audiência pública para discutir sobre a miséria, que ainda é grande em todo o Estado.

 

Energia nuclear

 

A deputada estadual Conceição Vieira (PT) falou ontem sobre a importância da lei de sua autoria que obriga o motociclista a retirar o capacete para entrar em estabelecimentos comerciais. Foi durante reunião-almoço promovida pelo Fórum Empresarial de Sergipe. As entidades que integram o fórum aproveitaram a presença da deputada para aprovar documento sobre a instalação de usina nuclear em Sergipe. Elas entendem que antes é preciso fazer uma reavaliação dos sistemas de segurança e que haja uma ação integrada com os demais estados nordestinos.

 

Controle de perdas

 

Válvulas propagadoras de ondas, geofones, medidores ultrasônicos e GPS de alta precisão. Estes são alguns dos equipamentos de última geração que estão sendo utilizados pela Deso para descobrir com precisão vazamentos na tubulação da rede de abastecimento d’água. O projeto piloto, que visa controlar e reduzir as perdas causadas por fatores como vazamentos nas juntas das redes, deteriorização da tubulação e erros de medição, está sendo implantado no bairro Coroa do Meio, em Aracaju, devendo posteriormente ser estendido a toda a área metropolitana.

Prorrogação

A executiva nacional do PMDB aprovou ontem a prorrogação dos mandatos das direções nacional e estaduais do partido por mais dois anos. Com isso, o vice-governador de Sergipe, Jackson Barreto, continuará na presidência do partido no Estado até abril de 2013. Os integrantes da comissão executiva também aprovaram, por unanimidade, a obrigatoriedade da conclusão do curso preparatório para candidatos, elaborado e oferecido gratuitamente pela Fundação Ulysses Guimarães.

Lei ferida

Aracaju não cumpre a Lei Complementar que determina a publicação, em tempo real pela internet, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos estados, municípios e do Distrito Federal. As demais capitais também descumprem a legislação. Essa é a conclusão de dois estudos feitos pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), especializado em políticas públicas, orçamento e processo legislativo. Segundo a entidade, nenhuma das 27 capitais estaduais do país permite acesso total e pleno das informações orçamentárias.

Do baú político

 

No final da década de 70, a Justiça decretou a prisão preventiva do astrólogo Souza Filho, acusado de ter participado um homicídio. Com amigos influentes no governo, ele mandou recado dizendo que não se entregava e que a Polícia não o prendia vivo. Por azar, acidentou-se e teve que ser internado no Hospital de Cirurgia, em Aracaju. A Polícia cercou a unidade hospitalar, porém, misteriosamente Souza Filho conseguiu escapar. Dias depois, o então delegado de Maruim, capitão Tadeu Cruz, o prendeu ainda com a mão enfaixada. Ao interrogá-lo, o militar quis saber como o procurado conseguiu fugir do Hospital se toda a área estava cercada. “Porque seu colega foi mais inteligente do que você. Ele entrou em meu quarto como capitão e saiu promovido a major”, respondeu o desaforado astrólogo. A declaração irritou o governador José Rollemberg Leite, que mandou apurar o fato, mas as investigações terminaram, sem qualquer resultado prático, antes que Souza Filho ganhasse a liberdade, coisa que não demorou muito.

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais