Cusco- Peru: Warachikuy, encenação de graduação Inca

0
Encenação do Warachikuy acontece em setembro e transforma as ruas de Cusco em uma festa

Os ritos, tradições, saberes, sabores e lendas fazem da Cidade de Cusco, no sudeste do Vale Sagrado dos Incas da região dos Andes Peruanos, um dos destinos mais visitados da América do Sul. A cidade chega a dobrar sua população sazonal em temporadas de alta estação, que perpassa pelos meses de maio a setembro. E é nesse período em que também acontece a cerimônia do Warachikuy, um misto de encenação teatral, religiosidade e rito, realizada na atualidade pelo tradicional Colégio Nacional de Ciências y Arte de Cuzco. O Tô no Mundo teve o privilégio de acompanhar a encenação do colégio, contando com mais de 1500 atores em cena nas Plaza San Francisco, em Cuzco. Planeje sua viagem para 2019, afivele as malas e curta essa emoção.

O Guerreiro é trazido pelos soldados incas para a celebração baseada num ritual milenar

O Warachikuy é em uma cerimônia inca e não uma festa milenar, através da qual os garotos da cidade participam das atividades, olimpíadas e rituais, como forma de mostrar que estão deixando a adolescência para entrar na maturidade. A palavra Warachicuy poder ser traduzida de forma livre do Quéchua como “cueca” ou “calça”, ou seja, “trocar a cueca”, e se equivale a uma cerimônia como o tradicional Inti Raymi, a Festa do Deus Sol, celebrada em 24 de junho.

Mais de 1500 jovens da cidade participam das celebrações

No passado o Warachicuy acontecia juntamente, com o Cápac Raymi, nas comemorações do ano novo andino, no período em que para a Astrologia o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do Equador, ou seja, no denominado solstício de verão, em 22 de dezembro.

Tradição acontece em frente do secular Colégio de Ciências de Cusco

A cerimônia tinha por objetivo colocar à prova as habilidades e destrezas dos jovens cusquenhos através de provas físicas de destreza e risco. Participavam somente os homens, de 18 a 20 anos de idade. Por conta disso, o Warachicuy era de estrema importância para as questões militares, pois servia como forma eficiente de selecionar soldados ao exército Inca, pois quem vencia as competições estavam aptos a serem verdadeiros defensores incas.

O Guerreiro Inca presidia as competições que se realizavam durante vários dias, em distintos lugares, com contundentes confrontações físicas. Os vencedores eram hierarquizados e declarados aptos para a guerra e para exercer funções de homens adultos.

Colégios das redes públicas e particular, instituições, ONGs, movimentos participam de desfiles

Para se ter uma ideia, o Colégio Nacional é uma instituição fundada por Simón Bolivar, por decreto em 1825, sobre a base do antigo Colégio São Bernardo, erguido para filhos de conquistadores. As vestimentas até hoje baseiam-se em trajes militares.

A encenação se divide em três partes: a primeira como parte ritual, de adoração e oferenda às divindades Incas; a segunda traz as competições propriamente ditas, com provas e combates; e a terceira apresenta as músicas e danças guerreiras Incas.

População retribui com a presença nas ruas

A população de Cusco corresponde ao dia de encenação e leva para as ruas da cidade, hasteamento da bandeira em repartições, desfiles de escolas públicas e privadas, militares; organizações não governamentais e governamentais, instituições civis, empresas, sindicatos saem as ruas para homenagear alguém ou algo e celebrar um acontecimento.

Os pais se aglomeram nas praças para observarem os desfiles, enquanto que a encenação do Warachikuy acontece nas escadarias do secular colégio, contando com atores vestidos de trajes milenares incas.

Encenação à parte, as igrejas também realizaram missas, rituais e cultos em homenagem aos santos católicas, mas com um grande sincretismo, trazendo à tona os mistérios dos costumes indígenas ancestrais.

Por isso, Cusco já se configuraria como um destino bem diferente do que se imagina em folhetos de turismo. Ao final do dia, no anoitecer, as ruas se despedem dos ritos e as montanhas sobressaltam rodeando a cidade no piscar das luzes e o burburinho dos restaurantes da Praça das Armas falam várias línguas, ao olhar da Catedral Basílica da Virgem Assunção e da Basílica da Mercedes.

Movimentos religiosos lotam as ruas , igrejas e templos

Nos bairros San Blass e San Francisco, imponentes templos católicos confabulam com imagens sacras e mitos incas em um mesmo altar-mor. As ruínas do Qoricacha e do Saqsaywaman adormecem aos olhos dos turistas.

No Mercado Municipal San Pedro de Cusco o vai e vem de turistas e comerciantes se despedem do dia. A estreita Calle Hatunrumiyoc, que resguarda misteriosa Pedra dos 12 Ângulos em frente ao Palácio Arcebispal, dá passagem para o descanso.

O mistério e a tradição adormecem, mas não se curvam ao sono e mostram sua face 24h depois. Cusco acorda para mais um dia de cor, cheiro, sabor e diversidade de saberes.

Dicas de Viagem

Os melhores meses para se conhecer Cusco ficam entre maio a outubro, quando chove menos, mas faz pouquinho de frio. É também quando acontecem tradicionais festividades com Inti Rayme, festa do Deus Sol, em 24 de junho, e o Warachikuy, do Colégio Nacional de Ciências.

Cusco possui uma infinidade de tipos de hospedagem, desde hostel, pousadas, hotéis, hotéis boutiques, conventos e albergues. A maioria deles fica no Centro Histórico e imediações do bairro San Blass.

Perceba que a rede hoteleira oferece um serviço diferenciado, por conta dos turistas que dormem em Cusco e saem nas primeiras horas do dia para ir a Machu Picchu, como serviço diferenciado de lanche e horário do café da manhã, disponibilidade de kits lanches, disponibilidade de chá da folha de coca 24h ao dia, entre outros serviços.

A questão do mal da altitude não é lenda. Algumas pessoas sofrem com dor de cabeça, dores abdominais, enjoos, náuseas, calafrios. Outras apenas sofrem com um dos sintomas ou o conjunto deles e outras não sentem nada. A melhor dica é ao chegar em Cusco descansar um pouco e evitar fazer esforço físico.

O chá da folha da erva não é recomendado consumir ao anoitecer e antes de dormir. Há pessoas que apresentam picos de elevação de pressão arterial.

A automedicação não é recomendada, mas nas farmácias cusquenhas vendem livremente um composto para o mal da altitude chamados de soroche. Consulte os componentes da fórmula antes de tomá-la.

Não deixe de conhecer o mercado São Pedro. O local é onde os moradores fazem suas compras diárias e muitos turistas aproveitam a localidade para conhecer melhor o cotidiano.

Nos pontos turísticos de Cusco, vende-se um ticket da Prefeitura Municipal que dar acesso aos principais pontos turísticos, a exemplo de ruínas e igrejas. Todos os principais deles são pagos, por conta disso, o ticket é bem-vindo para quem quer conhecer com detalhes. Há um ticket de acesso a cinco atrações católicas, a exemplo das duas principais basílicas, do arcebispado e da igreja de São Brás.

Milho faz parte de vários pratos da culinária peruana

O mercado de artesanato da avenida do Sol é uma boa pedida para comprar souvenires. Vale a pena uma pechincha.

Cusco também é ponto de partida para vários outros passeios pelo Vale Sagrado. Consulte um agente de viagem na cidade.

Gastroterapia

Carne de alpaca suculenta e com sabor adocicado

Come-se muito bem no Peru e não é por menos que a culinária peruana tem ganhado adeptos e fãs em todo o mundo. Das comidinhas de rua, aos mercados e restaurantes estrelados, o toque dos ingredientes andinos em Cusco e a ruralidade dos ingredientes fazem da culinária regional bem apreciada e considerada saudável, com toques apimentados e bem temperados de especiarias cultivadas pelos cusquenhos.

Variedades de milho e batata na culinária peruana

O milho e a batata estão quase que presentes em todos os pratos. O ceviche é um dos mais procurados, porém, há pratos que não devem ser desprezados, como a tradicional sopa crioula e a batata huancaina.

Batata huancaina é o sabor da cozinha Neoandina

Caso queira apreciar da culinária neoandina, base para a cozinha criativa peruana, e que hoje ganha um mundo pelas mãos dos grandes chefes, não deixe de reservar um lugar nos restaurantes da adjacência da praça principal. Pescados, ceviches e sopas são as estrelas do cardápio, porém, não esqueça também da culinária crioula, puxada pelos cortes de carne de vaca, alpaca e o cuy, um roedor bem apreciado na culinária andina, servido grelhado com acompanhamentos.

Comentários