Cusco-Peru: Da série lugares que amamos

0
O patrimônio histórico se alia aos saberes dos cusqueños e turistas ávidos por conhecê-los na secular Plaza das Armas

Sabe aquelas cidades onde somente flanar por suas ruas já vale a pena a viagem? Cusco é bem assim, um museu a céu aberto, cheia de ritos, tradições, saberes e lendas. Cidade situada no sudeste do Vale de Huatanay ou Vale Sagrado dos Incas, região dos Andes Peruanos, com população de pouco mais de 300mil hab, Cusco é a capital do departamento e da província de Cuzco, no Peru, mas não se configura somente como uma cidade qualquer, que ocupa um espaço em um mapa ou desenha uma região populacional dentro do globo terrestre. Cusco é muito mais.

Ruas charmosas do bairro San Blass

Vai além de construções seculares incas, ruínas e sítios arqueológicos, prédios históricos religiosos, e resumi-la a ser somente passagem para conhecer Machu Picchu é uma grande heresia. Por esse motivo já bastaria sê-la um dos destinos mais disputados por turistas da América do Sul, mas além da parte física, o seu povo, são verdadeiros tecelões e guardiões dos saberes incas e indígenas, em que as tradições milenares emanam junto aos complexos arquitetônicos, fazendo dela um espelho reluzente do tempo, da história e da arte.

Saberes e costumes milenares nas ruas de Cusco

São os cheiros, as cores, os sabores, os costumes, o patrimônio imaterial, que também os transformam em cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, berço e capital do Império Inca, Patrimonial da História Nacional, Capital Turística do Peru, Patrimônio Cultural da Nação e um dos polos gastronômicos mais apreciados da cozinha Neoandina. Quantos status para decifrá-la.

Patrimônio Histórico e Cultural aliado aos saberes de um povo fazem de Cusco uma cidade a ser amada

Cortada por montanhas de solo árido e clima frio, a 3.400 metros de altitude, não se sabe ao certo a data da sua fundação, mas acredita-se que a mais de 3 mil anos já existia povoamento ali, consagrando-a como a cidade habitada mais antiga da América.

Completamente cortada por montanhas

Lendas atribuem a sua fundação ao Inca Manco Capac no século XI e XII. Desde então, Cusco foi considerado o mais importante centro administrativo e cultural do Tahuantinsuyu ou Império Inca. Mitos ou lendas, as paredes de granito dos palácios Inca estão lá, bem como os monumentos ao Deus Sol, a trilogia do Condor, do Puma e da Serpente; as construções em pedra  e os templos imponentes que carregam a força dos indígenas e dos espanhóis.

É no tecer das cores das mantas, no quéchua do falar, na criação das lhamas, alpacas e vicunhas, no cultivo da variedade de milhos e de batatas, no manipular dos alimentos de rua que os cusquenhos mantém os milenares saberes.

Jardim Sagrado e Corincacha é o Templo do Sol, um dos lugares mais visitados na zona urbana de Cusco

Por tudo isso, Cusco já se configuraria como um destino bem diferente do que se imagina em folhetos de turismo. Listar seus postos turísticos é um trabalhoso decorrer de um exercício de resumo, que para muitos dariam até uma tese de estudo, tamanho a quantidade de lugares para ser visitados.

Por ter a melhor rede hoteleira do interior do país, por ser lá um infinito convergente de turistas do mundo todo, onde o andarilho divide a mesma praça que o hóspede da rede Marriott Luxury, Cusco é uma cidade de luz própria.

Plaza das Armas, ao fundo, a catedral basílica da Virgem de Assunção

Ao anoitecer, as montanhas sobressaltam rodeando a cidade no piscar das luzes e o burburinho dos restaurantes da Praça das Armas falam várias línguas, ao olhar da Catedral Basílica da Virgem Assunção e da Basílica da Mercedes.

Catedral basílica da Virgem de Assunção

Nos bairros San Blass e San Francisco, imponentes templos católicos confabulam com imagens sacras e mitos incas em um mesmo altar-mor. As ruínas do Qoricacha e do Saqsaywaman adormecem aos olhos dos turistas.

Calle Hatunrumiyoc resguarda a misteriosa parede denominada de Pedro dos 12 Ângulos

A calle Hatunrumiyoc resguarda a misteriosa parede denominada de Pedra dos 12 Ângulos em frente ao Palácio Arcebispal. Perto dali,o Mercado Municipal San Pedro tradições das vestes são tecidas por senhoras em máquinas de costura, enquanto que em barracas coloridas sucos de frutas regionais acompanham sem cerimônia as sopas de frango, de quinoa, ceviches e chicha morada. Cerimônia se revela ao centro do mercado com as imagens de Nossa Senhora das Mercedes e São Pedro envoltos de oferendas e velas.

Flanar pelas belas ruas de pedra da cidade completam o roteiro, afinal, a noite é tempo de deixar o tempo passar mais um pouquinho para curtir os bons sabores da culinária neoandina. O primeiro dia de conhecimento é só o cartão de boas-vindas.

Palácio Arcebispal e azulejaria cusquenha

Dicas de Viagem

Altar-mor da igreja de São Pedro

Os melhores meses para se conhecer Cusco ficam entre maio a outubro, quando chove menos, mas faz pouquinho de frio. É também quando acontecem tradicionais festividades com Inti Rayme, festa do Deus Sol, em 24 de junho, e o Warachikuy, do Colégio Nacional de Ciências, no segundo domingo de setembro (aguarde novo post sobre essa festividade);

Nos arredores de Cusco, as artesã tecem famosas  tapeçarias

Cusco possui uma infinidade de tipos de hospedagem, desde hostel, pousadas, hotéis, hotéis boutiques, conventos e albergues. A maioria deles fica no Centro Histórico e imediações do bairro San Blass.

Perceba que a rede hoteleira oferece um serviço diferenciado, por conta dos turistas que dormem em Cusco e saem nas primeiras horas do dia para ir a Machu Picchu, como serviço diferenciado de lanche e horário do café da manhã, disponibilidade de kits lanches, disponibilidade de chá da folha de coca 24h ao dia, entre outros serviços.

Mercado de São Pedro e religiosidade

A questão do mal da altitude não é lenda. Algumas pessoas sofrem com dor de cabeça, dores abdominais, enjoos, náuseas, calafrios. Outras apenas sofrem com um dos sintomas ou o conjunto deles e outras não sentem nada. A melhor dica é ao chegar em Cusco descansar um pouco e evitar fazer esforço físico.

O chá da folha da erva não é recomendado consumir ao anoitecer e antes de dormir. Há pessoas que apresentam picos de elevação de pressão arterial.

No mercado de São Pedro, a diversidade do artesanato junto com a folha de coca. Tradição

A automedicação não é recomendada, mas nas farmácias cusquenhas vendem livremente um composto para o mal da altitude chamados de soroche. Consulte os componentes da fórmula antes de tomá-la.

Não deixe de conhecer o mercado São Pedro. O local é onde os moradores fazem suas compras diárias e muitos turistas aproveitam a localidade para conhecer melhor o cotidiano.

Pelas ruelas da zona rua o transporte é bem interessante

Nos pontos turísticos de Cusco, vende-se um ticket da Prefeitura Municipal que dar acesso aos principais pontos turísticos, a exemplo de ruínas e igrejas. Todos os principais deles são pagos, por conta disso, o ticket é bem-vindo para quem quer conhecer com detalhes. Há um ticket de acesso a cinco atrações católicas, a exemplo das duas principais basílicas, do arcebispado e da igreja de São Brás.

Diversidade pelas ruas de Cusco, onde reúnem-se gente de todo o mundo

O mercado de artesanato da avenida do Sol é uma boa pedida para comprar souvenires e artesanatos. Vale a pena uma pechincha.

Cusco também é ponto de partida para vários outros passeios pelo Vale Sagrado. Consulte um agente de viagem na cidade.

Gastroterapia

Ceviche é um dos pratos estrelados da culinária peruana

No mercado São Pedro o visitante terá o contato com as comidas diárias do cusquenhos, a exemplo de pescados (truta), mariscos e tipos de ceviches, preparados sem nenhuma cerimônia e servidas ali mesmo. Há também uma sopa bem apreciada por moradores, com um pedaço de frango debulhado aos olhos do turista. O caldo de sabor apurado leva ervas e especiarias, a exemplo de alguns tipos de pimentas, como a ají, e ganha partes do frango.

Chicha morada é um suco de milho roxo

Degustar da Chicha Morada, um suco de milho escuro adocicado faz parte das iguarias locais, além de embalagens de um torresmo de porco misturado a um grão de milho assado na brasa, como se fosse um amendoim brasileiro. Mas não esqueça! Esses são os traços básicos da comida peruana Neoandina que corre o mundo. Cusco também tem bons restaurantes de nossa fase e também da culinária internacional.

Batata huacaina faz parte da culinária crioula
Comentários