Déda, deputados e as chupetas

0

 

 

É inegável que grande parte da mudança pregada por Marcelo Déda, quando candidato a governador, ficou ainda no papel, porém é inegável também que na área do relacionamento com os políticos, ele inaugurou o estilo republicano em Sergipe, levando obras e ações para todos os 75 municípios sem levar em conta o partido e se o prefeito é da oposição ou não.

 

Estranhamente alguns deputados da bancada da situação começam a espernear pela imprensa. Como bem lembrou o leitor Messias Gonçalves é preciso arranjar muitas chupetas para estes “bebês” chorões.

 

Recentemente a deputada Suzana Azevedo reclamou que não é recebida pelo governador. Já André Moura levantou a voz para defender a prefeitura de Japaratuba, administrada pela esposa dele, no caso do uso irregular do ônibus escolar. E agora o deputado Adelson Barreto. Que incoerência. Mete o pau nos seus líderes e vai se confortar nos ombros daqueles que ajudaram a derrotá-lo em Socorro, quando apoiaram Fábio Henrique. Quanta hipocrisia. E os cargos e as indicações que ele fez nas diversas secretarias, especialmente na SEED, nas escolas de Nossa Senhora do Socorro, para as pessoas do seu grupo? É bom e cômodo, passar esses tempo todo se usufruindo e agora, prestes a um pleito, sai com essas pérolas. No caso de Adelson Barreto a preocupação dele é mais pertinente porque seus votos vêm do assistencialismo social por conta da falta do poder público na área da saúde. Se a saúde funcionar bem, ele tem que procurar votos em outras áreas.

 

O problema é que o relacionamento do Executivo e do Legislativo no sistema brasileiro é de promiscuidade. É uma troca de favores constantes. Essas “conversas” dos deputados não passam necessariamente por ações para comunidades. Todos têm indicações de cargos comissionados no governo e alguns outros precisam da estrutura governamental para se reelegerem, não só por conta destes cargos mais também através dos “contatos” empresariais”. Todo mundo sabe quem é quem em Sergipe. E literalmente a “vitória” as vezes aparece apenas para um candidato.

 

Por fim o blog aceita a sugestão do leitor Messias Gonçalves: Como o TSE proibiu a distribuição de camisas e outros brindes na campanha, seria de bom alvitre que Déda mandasse adquirir pelo seu comitê, aquelas tradicionais “chupetas”, que as mães usam quando os bebês choram. E compre mais chupetas, porque até outubro o choro vai aumentar em muito.

 

Déda processará João Alves

A declaração do ex-governador João Alves Filho, acusando o governador Marcelo Déda de ser o responsável por cerca de 400 mortes de pessoas, que segundo ele não foram atendidas no hospital João Alves, deixou indignado o atual governador. “Vou defender a minha honra”, avisou Déda que já contatou com um advogado.

 

Briga na Lama

Marcelo Déda disse ainda que a política é feita no campo das idéias, mas o ex-governador está baixando o nível e não é isso que a população espera dos homens públicos com ele. “A população quer ouvir idéias e não baixaria, por isso não aceitarei o convite de João Alves para brigar na lama”, avisou.

 

R$ 20 milhões para campanha

Tem vários candidatos a deputado estadual preocupados porque mudaram de partidos, principalmente para os chamados nanicos, com a promessa de que receberão uma ajuda substancial para suas campanhas. Um deles disse que o mentor de tudo disse ter R$ 20 milhões para gastar não só com a campanha para estadual, mas para a Câmara Federal e o Senado.

 

Pinturas em Lagarto

Em Lagarto, o prefeito gastou R$ 150 mil, através de carta-convite para pintar 10 escolas que não precisam de pinturas, mas para “adequar” a sua marca. Enquanto isso as ruas estão imundas e esburacadas. O Ministério Público está sendo acionado, mas por enquanto…nada.

 

Prefeitura rebate acusações de bancada do PDT

Na tarde de ontem, 3, o secretário Chefe de Gabinete da Prefeitura de Aracaju, Bosco Rolemberg (PCdoB), comentou as recentes declarações dos vereadores do PDT, que demonstraram insatisfação com a administração municipal após a nomeação da nova secretária de Administração, Lucivanda Nunes.  “Me causa estranheza porque nossa posição é de fazer um esforço constante para que essa unidade e co-participação no município seja exercida plenamente”, disse o secretário.

 

Bancada rejeitou

Bosco explicou que a Secretaria Municipal de Administração foi rejeitada pela bancada de vereadores do PDT em reunião ocorrida ao final de 2009, com as presenças do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e do presidente estadual do partido, deputado Ulisses Andrade, além dos parlamentares Fábio Mitidieri, Moritos Matos e Ivaldo José. “O partido, oficialmente, manifestou posição de não interesse na ocupação do espaço na Secretaria de Administração. Essa foi a conclusão do encontro”, comentou.

 

Quebra de continuidade

Segundo o secretário, com a saída do pastor Daniel Fortes, o prefeito precisou nomear outro secretário para não haver a quebra da continuidade nas atividades da administração municipal. “A partir daí a secretária Lucivanda Nunes foi nomeada, acumulando o cargo com a secretaria de Controle Interno”, esclarece o Chefe de Gabinete, destacando que ficou surpreendido com o pronunciamento do vereador Ivaldo José, que em sessão da Câmara Municipal, na última segunda-feira, declarou tal insatisfação.

 

Bandeira

Depois que este espaço denunciou que a bandeira hasteada na Praça da Bandeira encontrava-se em farrapos, o órgão responsável pediu ao Corpo de Bombeiros para retirá-la do mastro. Só falta agora hastear uma nova.

 

Estande de tiro virtual I

Ainda no comando do coronel Magno a PM elaborou um projeto, muito bom por sinal, para instalação de um estande de tiro virtual, um equipamento de alta tecnologia para treinamento de tiro. este projeto foi encaminhado para a secretaria nacional de segurança pública (Senasp) através de nossa similar aqui no estado (SSP).

 

Estande de tiro virtual II

A boa notícia é que o referido foi aprovado com louvor pela Senasp e em breve os policiais sergipanos contarão com mais esse instrumento para aperfeiçoamento de nossos profissionais. a notícia não tão boa assim é que, estranhamente, o projeto mudou de autoria, consequentemente de destinatário. Pois, ao passar pela SSP, mudaram tudo como se fosse a polícia civil que houvera elaborado o dito projeto. Resta saber o que fará o comando da PM, junto ao governador, pois esse estande é efetivamente da PM, o que não impede, claro, de ser utilizado pela polícia civil.

 

Outro estande de tiro

há alguns meses atrás o deputado federal Mendonça Prado dedicou uma emenda ao orçamento do governo federal à PM de Sergipe. São 2 milhões de reais para a construção de um estande de tiro para a PM.  Há notícias de que na SSP já estão elaborando o projeto do estande com destino também idêntico ao estande virtual, ou seja, a policia civil. Vale lembrar que a PM possui um efetivo quase 6 vezes maior que civil, e possui também instalações próprias para a instalação dos dois estandes, coisa que a civil não possui.

 

Disputa entre estudantes

Foi lamentável ver que interesses financeiros estão levando estudantes das redes particular e pública discutirem ontem durante a coletiva do reitor da UFS. Algumas escolas particulares estão extrapolando, jogando os estudantes contra os estudantes da rede pública. Estão criando um clima péssimo, de segregação. Este jornalista fala com a tranqüilidade de quem estudou na rede particular (Salesiano, Visão e Dinâmico) e também na rede pública, com o curso de edificações na antiga ETFSE.

 

Incentivo ao embate

As cotas chegaram em todo país e é uma realidade que não tem volta. Dividir os estudantes não é solução, é criar um problema grave demais. Este espaço sempre abriu e continuará abrindo o espaço para discussão, mas não incentivará o embate entre estudantes, principalmente quando por trás existe o interesse financeiro. Alguém já lembrou que com o sistema de cotas a rede pública será fortalecida e a rede particular enfraquecida. É só comparar os números daqui há alguns anos.

 

Ressoante

Fábio Henrique disse o que fora dito pelo empresário Laércio Oliveira (PR) há alguns dias atrás. “Não existe isso de aliado de primeira ou última hora. Aliado é aliado”. Essa frase está ressoando pelas rodas da política e dentro dos partidos que compõem com Déda.

 

Reconhecimento

O empresário Laércio Oliveira foi lembrado pelo prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique, como um dos potenciais candidatos à deputado federal que poderão receber o seu apoio. Laércio tem serviços prestados ao povo socorrense como empresário e gerador de empregos para muitos moradores da cidade, também esteve com Fábio em sua campanha, desde o início e desfruta de uma relação pessoal muito boa com o prefeito pedetista.

 

Ciosp: atitude correta do MPE

O promotor Deijaniro Jonas, do MPE, está de parabéns por solicitar que os atendentes do Ciosp recebam um treinamento de emergência. O MPE agiu com correção, já que algumas “lideranças” da PM querem retirar das ruas cerca de 100 policiais militares para colocar no Ciosp. Atitude desnecessária, basta que os supervisores sejam oficiais. Tem uma liderança da PM que anda “muito nervosa” e não esquece deste jornalista todos os sábados. Talvez porque este jornalista saiba de tudo que ele faz nos bastidores.

 

Atitude correta do Sinpol/SE

Vários leitores elogiaram a nota do Sinpol/SE, publicada ontem neste espaço sobre o uso dos veículos da Polícia Civil de maneira irregular. Muitos entenderam que o comportamento do sindicato é totalmente diferente das várias entidades de policiais militares que nunca se manifestam quanto aos descalabros praticados por seus associados.

 

Quantos inquéritos abertos

O blog aproveita também para cobrar do Ministério Público sobre os inquéritos abertos com base nas inúmeras denúncias. Quantos já foram abertos?  Quantos foram punidos? Ou o MP não está fazendo a sua parte?

 

Banho Doce: leitor quer saber

O leitor que caminha nas proximidades do banho doce na praia de Aruana, quer saber porque a placa da obra está no chão há algum tempo. Com a resposta a Emurb.

 

Mandado de Segurança

Nova sistemática do Mandado de Segurança Alterações e Inovações Introduzidas pela Lei Federal Nº 12.019/2009, é o  tema de uma palestra que será proferida nesta quinta-feira(4), a partir das 8h30, no auditório José Rollemberg Leite do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, localizado na praça Fausto Cardoso, nº 112, centro de Aracaju.A palestra será ministrada pelo jurista baiano Fredie Didier – mestre pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde é professor de Direito Processual Civil, e Doutor pela PUC/SP. É autor de várias obras sobre Direito Processual civil.

 

Qualidade

Enquanto na parte técnica, a TV Sergipe está avançando com a tecnologia digital, na parte do jornalismo deixa a desejar. Ontem, 03, uma reportagem no Globo Esporte, sobre natação comparou os atletas aos mosqueteiros, sem nenhum sentido. Ficou no ar a impressão que o repórter não tinha o que falar e fez a desastrosa comparação.

 

Dia da Mulher

Na próxima segunda-feira, 8, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), vai realizar a 6ª edição do Troféu Núbia Marques. A intenção é homenagear mulheres de destaque que ajudaram a construir uma sociedade cada vez mais justa e igualitátia. A cerimônia de premiação ocorre a partir das 17h30 na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease).

 

Troféu Núbia Marques

O evento integra a programação do aniversário de Aracaju, que neste mês de março completa 155 anos. O Troféu Núbia Marques foi criado no ano de 2004 e, desde então, reconheceu e coroou o trabalho de profissionais de diversas áreas, como artistas, jornalistas, lideres comunitárias, empresárias, juristas, médicas, atletas, pesquisadoras e servidoras municipais. O nome do prêmio é homenagem à assistente social, jornalista, professora, poetisa e escritora sergipana Núbia Marques. Núbia Marques foi uma intelectual de prestígio, engajada nos movimentos em defesa da anistia, da igualdade de gênero e da democracia.

 

Ana Lucia participa de evento na BA e PE

A deputada estadual Ana Lucia (PT) participa até a próxima sexta-feira, 5, do Encontro Nacional de Combate à Desertificação, organizado pelo Governo Federal, através do Ministério do Meio Ambiente, que acontece concomitantemente em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE). O evento tem como prioridade estimular a criação de planos estaduais de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca e iniciou na quarta-feira, 3.

 

 

DO LEITOR

 

Eleição ou prostituição?

Do leitor Messias Gonçalves: “O ser humano por natureza já é um ser político. Segundo os gregos, ser político como definiu Platão, deveria ser um propósito no qual todos deveriam se dedicar. Então o que é afinal de contas ser político? As pessoas que se propõe a levar as suas vidas através das políticas partidárias, devem primeiro ter as coincidências e o respeito para com os seus e também para com os seus eleitores. Transpondo para a nossa realidade brasileira e sergipana, destacamos pouquíssimos políticos engajados com a essência dessa escolha, como forma de vida. Dentro da política partidária, o maior mal existente, sem sombra de dúvidas é a corrupção. Agora, se há o corrupto, é porque existe o corruptor e também o corrompido. Quando vimos grandes empresários entrando na política partidária, logo vem uma pergunta: Quais os interesses? Como se gasta tanto, se com salários recebidos durante os mandatos, não chegam nem perto do que fora investido? Na verdade, são poucos que tem projetos, lutas e causas que procuram defender dentro dos seus mandatos. Veja os casos da deputada Ana Lúcia, Iran Barbosa. Defendem e lutam por políticas publicam especificamente voltadas para a educação. O também deputado professor Wanderlê, tem trabalhado incansavelmente no seu mandato, na defesa do meio ambiente e de suas, quer seja no combate as suas causas, como apontando soluções. O deputado federal Jackson Barreto, encontrou no transporte público uma bandeira de luta, alem do seu trabalho em buscar recursos para os municípios sergipanos. Assim é o caso do também deputado federal Valadares Filho. Insistentemente na câmara federal, vem lutando pela juventude, pelo esporte e pelo lazer, assim com pelo turismo. Esses são alguns exemplos. Sabemos que existem mais algumas dúzias que poderão se encaixar. Diferentemente desses citados, há aqueles que se acham no direito de exporem situações ditas de bastidores, numa demonstração que não tem compromissos com a coisa publica. Já ouvimos dizerem que:- “se eu não ganhar a próxima eleição, abandonarei a vida política”. “É com o salário de parlamentar que eu pago multas”. É o cúmulo dos cúmulos. Onde estão as causas sociais, que deveriam ser condição única para os seus mandatos. Outro, diz: -“Estou me sentindo isolado e posso mudar de lado”. Esquece de todos os compromissos assumidos por ambas as partes, e que uma delas atendeu os seus pedidos, como cargos e indicações. Outros, não escondem que mesmo estando num agrupamento de aliados e de sustentação política, dizem escancaradamente, que não importa qual o lado poderão está. Tanto faz um lado ou o outro. O que interessa é se darem bem. Esta é a relação que existe em muitos de nossos políticos. Cabe ao eleitor, dizeres nas urnas se aprovam ou reprovam certas atitudes. Costumo dizer que o mais difícil é a primeira eleição, pois o político estará apresentando o seu suposto projeto. Já a reeleição, essa sim será a aprovação ou não do seu trabalho, em prol da sociedade no geral e não nos interesses pessoais, vendendo-se para aqueles que dão mais. E o pior. Como na vida das prostitutas, não se conhece a origem do dinheiro. Poderão até ter vindo em carretas do Paraná. Será que os fins justificam os meios? Com a palavra, os que assim agem. Apenas um lembrete: “Isso não é e nunca foi política. É prostituição mesmo”. Messias Gonçalves.

 

 

Fichas Sujas? Onde estão?

Do leitor Dinho Santana: “Diz você no seu blog: Os eleitores poderão consultar pela internet, nas eleições deste ano, a “ficha criminal” dos candidatos. Diz seu xará Claudio Humberto na coluna dele: Relatório dos EUA cita Arruda e Sarney – O documento afirma que a corrupção no Brasil é “preocupante”. O estudo cita o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), e o governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, como exemplos de casos de corrupção no País. Digo eu; a OAB, celeiro dos mais variados pilantras com suas Fichas Sujas, é sem sombra de dúvidas a articuladora de todo esse imbróglio reinante na Justiça do país… Ver e ouvir o novo presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, Ophir Cavalcante, afirmar que: ou o Brasil acaba com a corrupção ou a corrupÊ §ão acaba com o Brasil? Eu particularmente faço uma paródia: ou a sociedade brasileira se uni contra a OAB e seus advogados Fichas Sujas, já que eles se arvorando de defensores dos direitos… Fazem o descrédito na sua instituição! Os advogados do governador Arruda, criticaram a atitude da OAB, por estar assumindo papel acusador, próprio de promotores. Dentro em breve teremos uma OAB totalitária, acima de tudo e de todos, a exemplo do congresso (com raras exceções), os tri – presidente José Sarney comanda seus 80 soldadinhos e o Michel Temer seus 512, numa total dilapidação dos impostos aos quais temos que trabalhar cinco dos dozes meses para essa corja, a qual somos obrigados a comparecer nas urnas para legitimar os chefes dessas Ganges! Não se dão ao trabalho de invocar o Voto Facultativo por quê? Ficha criminal de político será o mesmo que a nossa justiça pedir as facções Comando Vermelho – CV e Primeiro Coma ndo da Capital – PCC, detalhadamente o teor e a situação de eventuais assaltos e crimes praticados. O perigo não está nos Fichas Sujas do crime nem da política e sim nos Fichas Sujas da OAB, que em tudo se mete se diz independente mais para encobrir seus pares solicita ajuda da Polícia Federal nas irregularidades nos exames de São Paulo. Afinal a ordem é quem defende toda essa pilantragem”.

 

 

Participe ou indique este blog para um amigo: 

claudionunes@infonet.com.br

 

Frase do Dia

“Quando eu era criança / Mamãe dizia / Bilu bilu bilu bilu-tetéia / Pegava eu no colo

Mostrava pra vizinha / Bilu bilu bilu o biluzinho-tetéia / Que me segurava / Dizia que gracinha / Bilu bilu bilu bilu-tetéia / O tempo foi passando / Eu fui crescendo / Bilu bilu bilu bilu-tetéia / E de fazer bilu / Mamãe foi se esquecendo / Bilu bilu bilu bilu-tetéia / Agora eu tô moço / Tô barbadinho / Não encontro mais ninguém / Pra me fazer um biluzinho”. Mauro Celso na música Bilu-Tetéia.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários