Déda fala sobre TC, eleições e muito mais

0

Entrevista/ Governador Marcelo Déda

 

Eleições e pesquisas

 

Cláudio Nunes – As últimas declarações do ex-governador João Alves é uma tentativa de antecipar a campanha de 2010?

Marcelo Déda – Sem dúvida. Ele quer antecipar o debate porque quem está de fora quanto mais cedo antecipar o processo melhor. É um direito dele como oposição. Encaro com naturalidade porque ultimamente ele tem usado mais de agressões do que de propostas para divulgar o seu projeto político eleitoral.

CN – Mais as pesquisas estão dando um empate técnico.

MD –  Pesquisa eu sempre trabalho como uma ferramenta, um instrumento. Quero lembrar que venci as eleições por 6 pontos percentuais. Na verdade a gente tem pesquisa que dá 3 pontos, da quatro, da seis. As pesquisas fotografam determinado momento. Sergipe está com cerca de um milhão e trezentos mil eleitores, seis por cento daria cerca de 100 mil votos de frente. Se alguém acha pouco, eu não acho porque foi assim que ganhei na eleição passada. As pesquisas vão naturalmente registrar momentos distintos. Tem pesquisas sérias, têm metodologias diferentes, tem pesquisas que captam determinado momento que amanhã não é o mesmo. E tem pesquisas que às vezes se tornam instrumento e promoção política de quem as contratam. Me recordo que na eleição de 2006, que foi no dia primeiro de outubro, jornais do dia 30 de setembro davam na primeira página que eu estava derrotado. E no dia seguinte li estes jornais na festa da minha eleição.

 

Tribunal de Contas

 

CN – Como o senhor está avaliando este imbróglio que se tornou o problema do TC envolvendo Flávio Conceição e agora a nomeação de Clóvis Barbosa.

 

MD – Com preocupação, porque não é bom para o estado de Sergipe que uma instituição como o Tribunal de Contas tenha questionamento sobre sua composição. Isso trás insegurança jurídica, isso trás insegurança institucional. Por outro lado me preocupa a forma como alguns abordam este problema. De uma hora para outra o conselheiro Clóvis Barbosa vira um problema. Um homem que tem o currículo que Clóvis tem, que tem a reputação ilibada que Clóvis tem. Que tem a capacidade técnica que ele tem. Em alguns momentos fazem uma inversão de valores. Não foi Clóvis que criou o problema. Ele foi escolhido pela Assembléia Legislativa para ocupar uma vaga que nos termos da decisão do STJ existia. Todo mundo sabe que o Tribunal de Contas não poderá funcionar com a composição antiga mais. Porque a recomposição da situação anterior provocaria uma suspeição que seria levantada por dezenas de autoridades e órgãos. O processo foi amplamente divulgado as opiniões do conselheiro afastado são de conhecimento da opinião pública. Então é preciso ter clareza. Precisamos salvar a imagem e salvar o funcionamento das instituições em Sergipe. E a melhor solução é aquela solução que milite a favor de um Tribunal de Contas pacificado e funcionando sob o respeito da sociedade e com credibilidade para pronunciar os seus julgados. Eu acredito quanto mais cedo se resolver melhor para o estado de Sergipe.


Mudanças partidárias

 

CN – Estamos às vésperas do prazo final para filiações e mudanças de partidos para quem será candidato no próximo ano. Qual a orientação para os partidos da base aliada?

MD – A nossa conversa com os partidos aliados é no sentido de estimulá-los a fortalecer os seus quadros, filiando novos companheiros e criando condições para que as chapas proporcionais tanto para estadual como para federal, sejam as mais fortes e viabilizem a construção de uma maioria já durante o processo eleitoral. Portanto, estamos sendo informados que os partidos estão mostrando um movimento muito forte de adensamento eleitoral da nossa base e já se percebe certa anemia dos partidos de oposição. Acredito que ao fim deste processo as possibilidades das chapas proporcionais da nossa base sejam extraordinárias, criando condições para uma hegemonia muito significativa nas eleições 2010 tanto na Câmara dos Deputados como na Assembléia Legislativa e espero também na eleição majoritária do Senado.

CN – Preocupa o governador estas filiações e a manutenção da base histórica que foi responsável pela sua eleição em 2006?

MD – Quem está filiando mais são os partidos da base histórica. O PDT está filiando, o PMDB, o PSB, ou seja, todos os partidos estão filiando. Tem alguns partidos que têm regras mais complexas, mas todos os partidos da base estão buscando oportunidade de trazer quadros novos para incluir entre seus filiados.

 

Candidatura de Ciro Gomes

 

CN – A possível candidatura de Ciro Gomes a presidente da República pode prejudicar a aliança do PT com o PSB em Sergipe?

MD – O ideal é que nós tenhamos chapas que tenham uma unificação nacional. Para nós o ideal era que o PSB estivesse incorporado a chapa de Dilma e ao projeto de continuidade do governo Lula, mas a política tem certas particularidades que precisam ser respeitadas. O PSB tem todo direito de lançar candidato a presidente e fortalecer o seu projeto. O fundamental é que nós tenhamos a compreensão do que somos membros do mesmo projeto nacional, mesmo tendo duas candidaturas distintas. O Ciro é ex-ministro e o PSB é aliado e faz parte da base no Congresso. Mesmo que tenhamos uma disputa no 1º turno fatalmente estaremos juntos no 2º turno. Acredito que essa possível candidatura do Ciro não vai inviabilizar alianças históricas que o PSB tem com o PT em alguns estados brasileiros, entre os quais o de Sergipe, onde a aliança é bastante sólida, de longa duração e acredito que não terá reflexo aqui.


Candidatura de Dilma

 

CN – E o desempeno de Dilma nas últimas pesquisas? Existe uma possibilidade do PT mudar o nome para suceder Lula?

MD- Não. Não há problema, acho que essa oscilação em pesquisas é perfeitamente natural nesta fase. É importante que a gente abra a pesquisa para lê-la. Hoje vários blogs nacionalmente examinaram a fundo os números do Ibope. Porque às vezes o desejo do Montenegro (dono do Ibope) de tirar a Dilma da disputa é mais forte do que o desejo popular. O mesmo Montenegro que há quatro anos disse que Lula não se reelegeria, provocando um comentário do jornalista Nerval Pereira, colunista do “O Globo que não era mérito para ninguém derrotar Lula porque ele estava tão fraco que qualquer um poderia derrotá-lo. E nós vimos no que deu. As pesquisas devem ser vistas com tranqüilidade porque elas retratam um determinado momento. E número de pesquisa não pode ser lido com desejo. Não é o que você deseja, mas pelos números que nós vimos as coisas estão andando. Serra perdeu nas pesquisa e ninguém botou. A pesquisa mostrou um empate técnico entre Ciro e a Dilma. É um momento muito cedo da campanha. Essa campanha será definida na hora que o presidente Lula entrar na campanha. Na hora que ele sair pelo Brasil mostrando que a Dilma é a responsável pela permanência e a continuação da política social e econômica que o presidente Lula implantou no Brasil e produziu resultados magníficos. Hoje (24) a revista americana News Week, na manchete principal de política internacional publica “é o mais popular da terra” sobre Luiz Inácio Lula da Silva, quer dizer que a performance de Lula na presidência é reconhecida não só pelos brasileiros, mas pelo mundo inteiro. E todo mundo sabe se Lula é bom governando, como mostrou que é, imagine no palanque tendo muito o que mostrar ao povo brasileiro.

CN – O senhor acredita no poder de transferência eleitoral de Lula para Dilma?

MD – Eu nem chamo de transferência, é um poder de liderar a reflexão do povo brasileiro. De mostrar com clareza que é outra vez a disputa entre dois projetos. Um projeto que Fernando Henrique Cardoso cumpriu há oito anos atrás e um projeto que Lula vem cumprindo nestes oito anos. Quando este debate se instalar as pessoas vão questionar o que Serra representa. Ele representa o retorno o PSDB e do PFL, dos políticos que governaram junto com FHC e o retorno da política das privatizações e política econômica conservadora. E Dilma representa a continuação dos programas sociais, como o da bolsa família, dos programas que têm alavancado 25 milhões de brasileiros para a classe média. Que devolveu ao dicionário da sociologia a expressão ascensão social. Um governo que recuperou o prestigio internacional do Brasil, o governo que deu estabilidade econômica definitiva, porque nós enfrentamos a pior crise desde 1929 e fomos o último país a receber a crise e seus efeitos e seremos o primeiro a sair. Quando esses dados forem colocados na disputa darão uma vantagem a Dilma. Há uma tendência muito grande que tenhamos um 2º turno entre Serra e Dilma. Independente do que a pesquisa diga hoje, Dilma estará fatalmente no 2º turno.

 

Clínicas em Itabaiana

 

CN – No blog os leitores de Itabaiana questionam muito o não funcionamento das clínicas de saúde. O que falta para que elas estejam funcionando?

MD – Falta a vontade política do prefeito de atender os seus munícipes. Quando assinei o terceiro convênio, Luciano Bispo já era prefeito eleito. Se ele discordava do programa ele tinha o dever de não ter assinado como testemunha o terceiro termo. Porque todos os municípios podem e Itabaiana não pode? O que há por trás disso: Será que é o medo do governador ir lá inaugurar? Será que é a incapacidade de reconhecer que aquilo é uma parceria? Será que é o interesse político-eleitoral prevalecendo sobre o interesse do povo de Itabaiana? Não há problemas que não podemos resolver. Quem licitou não foi o governo do estado. Nesse programa o governo põe na conta da prefeitura o dinheiro da construção da clínica e do equipamento e exige um padrão, já que o projeto é fornecido pelo governo estadual. A obrigação da prefeitura é colocar os médicos e o pessoal para atender o povo, já que a atenção básica é obrigação do município. Poderia não ter feito uma clínica, mas todo ano tem prefeito pedindo emenda parlamentar para fazer posto de saúde no município. E quando o governo federal repassa dinheiro para investimento na saúde, não sustenta a clínica. Quem sustenta é o governo municipal. Todos os municípios têm que dedicar 15% da sua receita corrente para a saúde. O governo federal repassa fundo a fundo dinheiro para a atenção básica para as prefeituras. O que o governo estadual está fazendo é sem ser a sua obrigação é dar uma mão aos municípios no investimento. Nós garantimos o investimento e depois o município assumem o custeio. É só pedir as prefeituras do interior que façam as clínicas que precisam fazer, elas não terão dinheiro para o custeio e nem para o investimento. O estado resolve a parte do investimento e o município usa o recurso que tem para a atenção básica. Já inauguramos 11 clínicas sem problemas.

CN – Até o momento o único problema encontrado foi em Itabaiana?

MD – Até o momento o único criado por prefeito é na cidade de Itabaiana. Aliás, o que tenho encontrado de problema é que tem prefeito querendo mais clínicas. E a gente tem um limite e o projeto não passará de 102, porque é o planejado de recursos para os quatro anos de governo.

 

NOTAS

 

Geru: computadores devolvidos

Vários computadores da Escola Estadual Pedro de Balbino, em Tomar do Geru, serão devolvidos depois de 2 anos por falta de espaço físico. Será que custa muito caro construir uma sala ou laboratório? Ou é preferível perder os computadores? 

 

Augusto em inauguração do governo

Vê se pode. Na última segunda-feira, o governador entregou 100 casas em Frei Paulo. Quem estava lá, não no palanque, mas tentando capitanear os frutos do empreendimento? O deputado Augusto Bezerra. Aquele mesmo que é oposição ferrenha ao governo…

 

Itabaiana: prefeito dará coletiva em Aracaju

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Itabaiana informou que no início da próxima semana o prefeito Luciano Bispo vai conceder uma entrevista coletiva a imprensa em Aracaju, onde mostrará com documentos e vídeo os motivos pelos quais as clinicas de saúde não estão funcionando naquele município.

 

Edvaldo anuncia concurso para a Semasc

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, convoca a imprensa para uma  entrevista coletiva nesta sexta-feira, às 8h30, no auditório do Centro  Administrativo Prefeito Aloísio Campos, para anunciar a realização de  concurso inédito para contratar 210 profissionais (assistentes  sociais, psicólogos e educadores sociais) para a Secretaria Municipal  de Assistência Social e Cidadania (Semasc).

 

Compromissos

Esta sexta-feira vai ser vai uma vez muito movimentada na agenda do governador Marcelo Déda. Às 11h ele participa do X Encontro Estadual do PSB na Assembléia Legislativa. À tarde ele segue para Porto da Folha, onde inaugura diversas obras. Às 16 horas ele visita as obras de pavimentação da rodovia Porto da Folha-Ilha do Ouro, investimento estadual de R$ 3,3 milhões.

 

Porto da Folha

Às 17h Déda inaugura a 12ª Clínica de Saúde da Família no centro de Porto da Folha, de onde segue para visitar as obras da Delegacia Cidadã na cidade. Já às 17h30 o governador entrega a sexta base do Samu e segue para inaugurar as obras de infraestrutura do residencial Caraíbas.Por último, Deda inaugura a reforma do Ginásio de Esportes “Elói Poderoso Lima” e depois faz a abertura oficial da 39ª Festa do Vaqueiro da cidade, na praça da Matriz.

 

Nova Indústria I

O governador Marcelo Déda anunciou ontem a chegada de mais um grande investimento para Sergipe: a Indústria Altenburg. Especializada na produção de artigos de cama, mesa, banho e decoração, a indústria será instalada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro. O grupo deve investir quase R$ 30 milhões e gerar 190 empregos diretos. A expectativa é que a fábrica comece a funcionar em 90 dias.

 

Nova Indústria II

Déda destacou que a chegada da Altenburg é fruto de um esforço do Governo do Estado. “Trabalhamos a atração desta empresa, as condições de mercado e discutimos a política industrial ao longo dos últimos seis meses. Mais uma marca de prestígio aporta em nosso estado. Isso significa confiança no Governo, credibilidade e valorização das condições oferecidas por Sergipe e pelos sergipanos”, disse. Ao falar rapidamente na solenidade, o secretário Jorge Santana (Sedetec), ressaltou o trabalho de toda equipe da secretaria e citou os nomes de Anselmo Oliveira e João Lima.

 

Longe e perto I

A conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Isabel Nabuco, está licenciada do cargo para tratar de um grave problema de saúde na família. Mas, apesar disso, os processos e ações administrativas da sua responsabilidade continuam sendo tocados normalmente, sem atrasos ou protelações.

 

Longe e perto II

Ontem mesmo o conselheiro-substituto, auditor Alberto Leite, apresentou ao Pleno do TCE proposta elaborada pela equipe técnica do seu gabinete para autuação processual da Sociedade Eunice Weaver, entidade que recebeu grande soma de recursos públicos e que até agora não ofereceu explicações convincentes à sociedade. A proposta do gabinete da conselheira Isabel Nabuco foi aprovada por unanimidade.

 

Encontro

Lideranças do PSB de Sergipe se reúnem hoje, 25, a partir das 9hs, no plenário da Assembléia Legislativa de Sergipe, no 10º Encontro Estadual de Lideranças do partido. Lideranças nacionais como o deputado federal pelo Distrito Federal, o sergipano Rodrigo Rollemberg e a deputada federal baiana, Lídice da Mata, já confirmaram presença. O PSB está presente em 71 municípios de Sergipe, com 10 prefeitos, 11 vice-prefeitos e cerca de 90 vereadores.

 

Cadê o MP de Carmópolis?

Quem visita o município de Carmópolis acha que não existe Ministério Público naquele local. Lá, quase todos os prédios públicos têm nome de políticos vivos, principalmente do ex-prefeito Wolney Leite, em tudo que é local. Que tal mudar o nome da cidade para Wolneylopolis?

 

I Seminário de Economia da Cultura

O I Seminário de Economia da Cultura: Integração para o Desenvolvimento Criativo, realizado pelo Governo de Sergipe por meio das secretarias de Estado da Cultura (Secult) e do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e do Turismo (Sedetec), em parceria com outras instituições, começou ontem, 24, no auditório do SEBRAE-Aracaju. O evento é o marco inicial de mudanças importantes para Sergipe, objetivando estruturar o arranjo produtivo local, enxergando a cultura como forte aliada no desenvolvimento do Estado.

 

Cultura como novo ângulo da economia

Para Eloísa Galdino, secretária de Estado da Cultura, é preciso observar a cultura por esse novo ângulo da economia, porque ela vai bem além do seu conteúdo simbólico, da sua importância na formação da identidade de um povo, a cultura também pode e deve estimular a economia. “Cultura é um vetor de desenvolvimento para o Estado, que gera emprego e renda. Nossa proposta com o seminário é formatar um projeto, em parceira com as outras instituições, que trabalhe um modelo de APL (Arranjo Produtivo Local) para as cidades de São Cristóvão e Laranjeiras. Colocar isso em prática já faz valer à pena a passagem de todos que fazem essa gestão pela Secult”, orienta a Secretária.   

Plano Nacional de Cultura I

A secretária de Estado da Cultura, Eloísa Galdino, iniciou sua fala comemorando a aprovação do dispositivo de emenda constitucional, PEC 150, e o Plano Nacional de Cultura. O primeiro passa a regulamentar que o Governos Federal, Estaduais e Municipais terão um percentual de 2, 1,5 e 1%, respectivamente, para a área da cultura a partir da arrecadação desses entes, e o último representa a regulamentação do sistema e plano nacional de cultura, a ser executado nos próximos dez anos.

Plano Nacional de Cultura II

“Ontem foi um dia de celebração na área da cultura, e hoje, continuamos com essa celebração, pois a PEC aprovada é de fundamental importância para esse novo momento da cena cultural do país. Ela representa a possibilidade concreta daqueles que sempre sonharam e atuaram como militantes na área da cultura. Para esse novo momento, estamos trabalhando a mudança das ferramentas que dispomos para que possamos atuar em consonância com esse cenário nacional. A cultura é o conjunto de todas as manifestações e as tradições, portanto, celebramos essas conquistas realizando esse seminário, que representa o início de uma série de projetos e investimentos voltados à área cultural”, afirma Eloísa Galdino.Através do TWITTER do PORTAL DE EVENTOS DIVIRTA-SE, você poderá acompanhar a cobertura das palestras, debates e apresentações de toda programação do evento. CONFIRA no www.divirta.se.gov.br e no http://twitter.com/divirtase

Espaço do leitor

Devido a entrevista com o governador o espaço do leitor não foi publicado hoje, mas retorna normalmente amanhã, 26.

 

Participe ou indique este blog para um amigo: 

claudionunes@infonet.com.br

 

Frase do Dia

“E por não ser ambicioso que não tenho convicções, como as entendem as pessoas do meu século. Não há em mim nenhuma base para uma convicção. Há sempre uma certa covardia ou moleza nas pessoas de bem. Só os aventureiros têm convicções. De quê? – De que têm de vencer. Por isso vencem”. Baudelaire (1867).

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários