Doença de Crohn parte II

0

Alterações Psicológicas

Nos últimos anos, se estabeleceu uma conexão entre alterações nervosas e respostas psicológicas, ou seja alguns nervos do sistema vegetativo (que controlam funções independentes de nossa vontade e essenciais para a vida) tem efeito inibitório ou estimulador no sistema imunológico, foi então percebido que as células nervosas do cérebro não somente regulam o sistema imunológico mas, informações originadas do sistema imunológico alcançam os nervos e o cérebro

Um eixo importante de formação e regulação hormonal vai do cérebro às glândulas drenais, por exemplo corticoides, insulina, hormônios do crescimento e hormônios sexuais são regulados e estimulados da mesma forma.

A reação do tipo antígeno-anticorpo é também influenciada por um sistema parecido com este, e estimula o sistema imunológico a aumentar a produção de glicocorticóides, desencadeando então uma contra reação endógena à imunização, por isso as citoquinas, muito importantes na transmissão da informação entre as células inflamatórias (linfócitos e monócitos),são também envolvidas neste processo

De qualquer forma, um objetivo de grande interesse  são as respostas do sistema imunológico humano ao stress psicológico, alguns estudos nestes campos voltam-se para as pessoas que sofrem de depressão, com a perda de seus padrões de vida ou que tenham sido expostas a outros tipos severos de stress psicológico.

A ligação entre o cérebro e o processo imunológico envolve uma rede muito complexa de fatores bioquímicos, neurohormonais e componentes imunológicos, os quais afetam tanto o sentido de emotividade quanto o sistema imunológico do paciente com Crohn.

Por isso, em muitos casos, o ataque da doença inflamatória é exacerbada pelo stress psicológico, e, muitas vezes, o tratamento do problema psicológico permite uma melhora na sintomatologia da inflamação intestinal,por isso as discussões psicoterapêuticas, relaxamento, psicoterapia individual ou grupal, e treinamento podem melhorar os sintomas físicos e as condições gerais dos pacientes portadores dessa doença.

A gestante com doença de crohn

Como a doença pode ocorrer em qualquer idade e, inclusive, pode-se manifestar em mulheres na idade fértil, mas sabe-se com bastante segurança que  esse distúrbio não afeta o transcurso da gravidez,o que se observa, muito pelo contrário, é de que que pacientes portadoras de Crohn durante a gravidez, apresentam melhora nos seus sintomas que parece estar correlacionada ao status hormonal da mulher.

Inclusive, na maioria dos casos, tem sido possível a redução de medidas para tratar a inflamação durante a gravidez., e se ela se desenvolve, já existem medicamentos relativamente seguros para o tratamento, como a mesalazina ou os corticóides, além disso tem se encontrado uma probabilidade de parto normal e filhos sadios  idêntica entre pessoas portadoras ou não do mal de Crohn.

É extremamente importante para o sucesso da gestação uma estreita colaboração entre o ginecologista e o médico que trata do processo inflamatório , no sentido de detectar precocemente qualquer tipo de alteração clinica..

Tratamento

As doenças inflamatórias intestinais crônicas, que incluem a doença de Crohn e a colite ulcerativa, são entidades clínicas cujas causas ainda não foram determinadas de forma conclusiva,por isso não dispomos de medicamentos específicos para tratar a causa, por isso uma forte parceria precisa ocorrer entre o médico e o paciente, caracterizada pela experiência subjetiva da doença que o paciente possui e o conhecimento e a experiência do médico que o trata. Não é infrequente a diferença entre os objetivos do tratamento para o médico e a sensação subjetiva do paciente. Todos os pacientes atravessam longos períodos nos quais a doença é melhor aceita, tolerada, e controlada, assim como outros períodos estressantes, nos quais, muitas vezes eles crêem perder a capacidade para lutar contra a enfermidade. Até que melhores métodos de tratamento estejam disponíveis, o tratamento médico limita-se à melhoria da sintomatologia e da qualidade de vida dos pacientes. Uma dieta adequada, um grande número de diferentes fármacos, assim como o tratamento psicológico e cirúrgico, fazem parte de um amplo espectro de métodos disponíveis para os médicos.

É lógico que o tratamento irá depender da localização, e da severidade da doença,além de uma boa avaliação das  complicações e das respostas aos tratamentos anteriores, sempre com o objetivo de reduzir a inflamação, corrigir deficiências nutricionais e aliviar os sintomas, isso pode  incluir medicação, complementos nutricionais, cirurgia ou até uma  combinação das três. Os medicamentos mais usados são imunodepressores como aminosalicilatos e os  corticosteróides. A conduta cirúrgica, faz-se com a retirada das áreas mais atingidas pelo processo inflamatório, o que, sem sombra de duvida, melhora o prognóstico dos casos mais graves.

Algumas pessoas sofrem de intolerância alimentar, muitas vezes à lactose, comida picante, chocolate, álcool, café, leguminosas e especiarias; assim, o regime alimentar deve ser individualizado, para isso deve-se encaminhar o paciente a um Nutricionista, para que Ele através de sua orientação abalizada, consiga  manter ou aumentar o peso através da utilização de hidratos de carbono de absorção rápida, e de gorduras numa quantidade bem tolerada.

Os aminosalicilatos são usados com algum sucesso no seu controle, mas em menor frequência do que na retocolite ulcerativa, além deles se usam os corticosteroides, imunossupressores (azatioprina) e mais recentemente medicamentos biológicos (Infliximab e Adalimumab).

O controle dos sintomas com a medicação adequada pode prolongar o período de inativa de ou mesmo anular os períodos de atividade. Há casos em que o paciente passou a não tomar mais remédios, apenas controlando sua doença com a dieta, depois de tratado com os medicamentos corretos. Em alguns casos mais raros o paciente pode necessitar  ser submetido a uma intervenção cirúrgica.

Outros medicamentos também estão disponíveis para o tratamento da doença de Crohn, como o metronidazol , azatioprina , mercapitorina e ciclosporina, em geral eles devem ser utilizados por curtos espaço de tempo e na agudização severa da enfermidade.

Finalmente, o objetivo de todo o tratamento da doença de Crohn é debelar o processo inflamatório tão eficazmente quando possível. O tratamento médico, a dieta apropriada, o acompanhamento psicológico estendem a fase de remissão da doença ao máximo possível, tornando os episódios de ataque agudos raros.

Os pacientes tornam-se assintomáticos e podem continuar sua vida normal, obtendo uma alta qualidade de vida.

Um boa e saudável e semana……

Comentários