ELEIÇÕES NA SOCIEDADE MÉDICA DE SERGIPE

0

Há duas semanas os médicos elegeram seus novos conselheiros para os próximos cinco anos, em

Petrônio Andrade Gomes
disputada eleição. Voltam às urnas nesta quinta-feira, 28 de agosto, dessa vez para escolher os novos dirigentes da Sociedade Médica de Sergipe, a mais antiga entidade médica do Estado em funcionamento, fundada há 71 anos. No mesmo dia, elege a diretoria da Associação Médica Brasileira. Em ambas, apenas uma chapa concorre, para comandar os destinos das entidades nos próximos três anos.

Na AMB,  consolida-se a liderança de José Luiz Gomes do Amaral, anestesista, para um segundo mandato. Na sua chapa, Sergipe estará mais uma vez representado pelo atual presidente da Somese, Roberto Gurgel, que deixará o cargo após dois mandatos, sendo reconduzido à importante diretoria de Defesa Profissional. Na Somese, teremos sangue novo, o neurocirurgião Petrônio Andrade Gomes, que teve o nome anunciado há seis meses pelo consenso dos ex-presidentes da entidade. Ele conseguiu consolidar a sua candidatura através de intenso trabalho pessoal, angariando apoios importantes, costurando alianças, terminando por formar um expressivo grupo, de forte representatividade, ao compor com as diversas especialidades médicas e recebendo, por fim, a adesão da atual diretoria.

Com idéias fortes e animadoras, quebrando paradigmas, questionando a ordem vigente, chega animado, mesmo sabendo das dificuldades que irá enfrentar, em função da conjuntura e do desinteresse da categoria, tão aviltada nas suas prerrogativas. E leva uma grande vantagem. Livre de amarras e de compromissos com outros interesses, de ordem pessoal, política ou partidária, que possam a vir se sobrepor aos interesses dos médicos, ele tem todas as condições de fazer a diferença, o novo, resgatando a confiança e o orgulho dos discípulos de Hipócrates, tão abalados nos últimos tempos.

Com a eleição de Petrônio, a reeleição de Zé Menezes para o Sindicato ( também é candidato único), a vitória ( incontestável) de Henrique Batista no Cremese, o prestígio cada vez mais consolidado da Academia Sergipana de Medicina e a força cooperativista da Unimed Sergipe , tão bem dirigida pelo colega Adelson Chagas, encerra-se o ciclo eleitoral iniciado em março.  Ocorreu exatamente o que vaticinei em 14 de dezembro de 2007, no jantar de confraternização da Academia Sergipana de Medicina, que aconteceu no Restaurante Buana. Agradecendo a homenagem que generosamente recebia dos meus confrades naquela memorável noite, divulguei seus nomes, frutos de discussões prévias, pessoas que souberam construir uma história  de compromisso com a classe médica, com seriedade, transparência, dedicação e respeito. Por uma conjunção de fatores, a aposta deu certa.

O momento agora é de  unir forças em prol do interesse comum, criando uma verdadeira “Ordem dos Médicos de Sergipe”. Se nacionalmente ela não passa de um discurso crônico, meio engavetada, poderemos dar ao Brasil mais um exemplo de grandeza e determinação.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários