Experiências de Atendimento

0

No decorrer de nossa vida passamos por muitas experiências de atendimento, algumas satisfazem a nossa necessidade e nos deixam felizes outras nos deixam frustrados e chateados. Sabemos que um serviço inadequado tem consequências graves afastando os clientes. Não bastam ter profissionais do atendimento sorridentes para satisfazerem os consumidores.

Os clientes desejam que os atendentes sejam atenciosos, tenham conhecimento do produto ou serviço e que estes sejam de qualidade. Que os façam se sentir à vontade, transmitam segurança, cumpram o prometido, resolvam os problemas e tenham empatia, tudo isso com o comprometimento da empresa, pois não adiante ter um bom atendente se a empresa for descompromissada e desorganizada. As organizações que se empenham para prestar um serviço de alta qualidade têm melhores resultados financeiros e os clientes que recebem o tratamento desejado ficam satisfeitos e fieis.

Como é importante ter bom atendimento! Essas experiências no nosso dia a dia faz com que tenhamos mais ou menos qualidade de vida, que sejamos mais ou menos satisfeitos e que algumas vezes nos trazem encantamentos e felicidade.

Eneida

Cada um de nós tem muitas histórias para contar de atendimento, colhi somente quatro casos de pessoas da nossa cidade. Se desejar mande para o meu e-mail: deniserambo@oi.com.br, algum relato que vivenciou.

A advogada ENEIDA CAMARGO fala da competência e profissionalismo do pessoal da Clínica Homo. Diz que há dez anos ela já tinha presenciado uma estrutura de atendimento organizada e que a clínica continua a esbanjar excelência no atendimento, com humanismo, qualidade dos serviços e consideração com o cliente.

O prof. RAFAEL SANTA ROSA CERQUEIRA exige um bom atendimento nos locais onde frequenta mas diz que muitas vezes encontra pessoal de má fé e sem calor humano. Uma das vezes que ele ficou chateado foi quando comprou um eletrodoméstico no G Barbosa do Shopping Jardins e não obteve a nota fiscal do aparelho porque a impressora estava com defeito. O gerente fez pouco caso e disse para ele voltar outro dia para pegar a nota. Ele se chateou bastante com o fato do gerente dar as costas a ele e sair sem tentar resolver

Rafael

o problema. Rafael exigiu uma solução e foi aí que o gerente voltou a dar atenção e consegiu obter uma nota fiscal eletrônica em outra máquina.
Ele comenta outra situação onde também se sentiu desvalorizado. Foi com o atendimento discriminatório na VIVARA do Shopping Jardins. No dia em que ele entrou na loja com roupas informais, bem à vontade, as atendentes não deram importância a ele e minimizaram as informações sobre o produto, mas num outro dia em que ele passou na loja vestido com roupas elegantes as atendentes demonstraram cortesia e boa vontade na demonstração dos produtos.

A vendedora VITÓRIA RÉGIA FREITAS comenta que as pessoas sempre a atendem mau, pois pensam que ela não tem dinheiro para comprar porque sempre está trajando roupas simples e portando uma sacola cheia de comidas típicas devido a sua profissão de vendedora ambulante. Certo dia, numa loja de móveis, próximo ao mercado não foi diferente. Teve de pedir atenção da vendedora para que ela viesse atendê-la e não encontrou nenhuma consideração. Pediu informações sobre um armário que gostou e a atendente respondeu sem dar importância. Vitória teve de dizer que tinha em mãos o dinheiro

Vitória

para a compra do armário à vista para que obtivesse atenção adequada. Comprou o armário mas ficou chateada pela discriminação e mau atendimento.

O design ANDRÉ HILLING vivenciou recentemente um atendimento de boa vontade quando foi computar as milhas adquiridas no balcão do aeroporto de Salvador. Ele tinha esquecido o cartão smiles e a atendente prontamente solicitou o CPF dele para localizar o número do cartão. André ficou satisfeito por ter encontrado essa atendente informada e prestativa.

André

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários