Festa de Natal participativa

0

Participação. Este ato propiciou a felicidade de crianças e adolescentes que residem no Abrigo chamado Projeto Esperança. A alegria e descontração estampadas nos rostos dessas adolescentes são gratificantes para todos, por constatarem que essas meninas que estão com vínculos familiares rompidos ou em situação de risco se sentiram amadas e valorizadas.

Não podemos mostrar diretamente o rosto dessas pessoas acolhidas no Projeto Esperança, mas indicarei pelas fotos e relatos, o quanto foi especial essa ceia natalina, recheada de delícias, brincadeiras e muita solidariedade.

Quem moveu esta ação que irá beneficiar dezenove Entidades de Acolhimento Institucional foi a Juíza de Direito, Vânia Barros e sua querida equipe da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça, com o Projeto “É Natal”, colocando à disposição de quem desejar participar.

O voluntário escolhe uma cartinha numas das árvores de natal montadas no shopping Jardins e no Palácio

da Justiça e realiza o desejo de uma dessas crianças comprando o presente desejado. Ele pode ainda colaborar com recursos para organização de um ceia natalina.

Os treze funcionários da Diretoria de Comunicação abraçaram essa louvável ação e conseguiram com os colegas do Tribunal e com amigos, ajuda para realizar a ceia natalina do Abrigo Projeto Esperança. O Diretor Euler Ferreira abriu caminhos junto com o empenho do Chefe de Jornalismo, Luciano Andrade para que as  pessoas se dispusessem a dar o melhor de si na organização.

Algumas pessoas colaboraram financeiramente, com presentes, cantando, na preparação de alimentos, fazendo a decoração, fazendo brincadeiras e apresentações, tirando fotos. Outras não puderam comparecer na festa mas participaram financeiramente para abrilhantar ainda mais essa confraternização.

Foram inúmeros os modos de ajuda, que compartilhados, resultaram na realização de um sonho de Natal, ou melhor, um sonho de vida, em  se sentir valorizado e amado. Muitos desses adolescentes se sentem esquecidos pela família e pela sociedade. A integração deles com a sociedade civil propicia apoio material e principalmente afetivo, permitindo uma melhor qualidade de vida.

Conhecemos e conversamos com as meninas abrigadas. Elas são maravilhosas, alegres e cantantes. São meninas bonitas, talentosas com muito potencial. Necessitam de mais estudo, o trampolim para o conhecimento e para o sucesso. Sinto uma carência na formação escolar e elas parecem não perceber a importância disso. A religiosidade está presente em muitas delas e faz com que seja percebido na aceitação da condição de vida, sem revoltas e traumas pelo abandono familiar.

Nessa Festa Natalina foram momentos de muita descontração e alegria, abraços e encontros de corações que buscam reconhecimento, amor e solidariedade e acolhimento.

Quem desejar participar procure uma dessas árvores de Natal e pegue uma cartinha. Doe recursos e presentes para a celebração da ceia natalina das outras dezoito Entidades de Acolhimento Institucional até o dia 19 de dezembro.
Mais informações podem ser obtidas na Coordenadoria da Infância e da Juventude pelos telefones 3226-3877 / 3878, pelo e-mail cij@tjse.jus.br ou pessoalmente, no 3º andar do Palácio da Justiça, localizado na Praça Fausto Cardoso, nº 112, Centro, Aracaju-SE.

O projeto Esperança fica localizado na Rua Claudionor Leite, nº 100 – Farolândia. Faça a sua visita e venha conhecer essas meninas. Telefone 3243-2652.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários