Montevidéu (URU): Feira Tristán Narvaja aos domingos

0
De tudo se encontra na feira Tristán

Tá com saudade de uma feira, né? A série “Em casa também se viaja” continua trazendo as curiosidades do Uruguai e passeia pela denominada TN, ou feira Tristán Narvaja. De tudo se tem um pouco e não decepciona os visitantes que gostam de quinquilharias, antiguidades e curiosidades locais. Conta a história que já são mais de 100 anos de existência, quando populares começaram a trocar o que não precisava mais por outros itens necessários. O negócio hoje rende quarteirões inteiros, no bairro Condón, em Montevidéu, das 9h às 15h, todos os domingos. Mas é bom saber que nem todos as ruas são dedicadas às antiguidades.

Objetos de decoração e arte

A feira se estende das primeiras quadras da avenida 18 de Julio às ruas Uruguay e Paysandú, principalmente. Tradicionalmente, plantas, frutas, legumes, filhotes de animais e pássaros (sobretudo nas primeiras quadras, próximas à avenida 18 de Julio), isso mesmo…, animais vivos cobrem as ruas transversais da avenida. Ambulantes com água quente abastecem as cuias dos uruguaios preservando o hábito do consumo do chá mate, mesmo que a temperatura mire nos 30 graus. Pouco ou quase nunca se ver comercializando outros tipos de bebidas ou bares e restaurantes na região.

Tribos se encontram a frente de livrarias, antiquários e muita arte

Vende-se de tudo, desde utensílios de cozinhas, de carro, roupas, tudo se encontra num emaranhado sem ordem de distribuição, até chegar aos mais procurados: os artigos de decoração e antiquários. Se conversar no pé de orelha com um uruguaio dirá que a feira abastece muitas outras feiras desse gênero da América Latina. Não se sabe se é uma lenda, mas a olhos vistos percebe-se que não é bem assim. A feira realmente é gigantesca, porém muitos quarteirões são cobertos por gêneros alimentícios. A maioria dos frequentadores são locais, mas há também turistas perdidos ou achados flanando pelas ruas.

De tudo um pouco encontra pelas ruas da feira

As antiguidades se encontram em apenas duas quadras, entre a Uruguay e a Paysandú. É quando o chá mate e os animais vivos dão lugar às banquinhas de especialistas neste ou naquele item de coleção, além de diversos livros estendidos sobre a rua. É incrível ver a quantidade de livros e de azulejos oferecidos como azulejos antigos de todo o mundo.

Livrarias e antiguidades ficam em espaços reservados

Preste atenção também nas lojas e livrarias que ficam nessa quadra. Observe que grandes antiquários funcionam em porões abarrotados de objetos. Um pouco antes dos antiquários ficam os sebos, também um ao lado do outro, que valem a pena a visita. Observe a decoração. Perceba que muitos deles têm décadas de funcionamento.

Livros, azulejos e artes pelas ruas

Como todos os visitantes que vão até lá, logo o cansaço bate e se quer mesmo um banquinho à beira da calçada para relaxar, ver o tempo passar e saborear um bom aperitivo uruguaio, esquece ao menos na feira. Poucos são os locais que vendem comidinhas, mas se quiser um bom chimarrão (mate, em castejáno) acompanhando com a empanada uruguaia, aí sim, encontrará facilmente, mas para consumir em pé. Ou seja, conhecer a feira vale e muito a pena para se observar o dia a dia dos uruguaios e viajantes do mundo todo em visita à localidade. Também vale muito a pena garimpar um objeto de arte ou artesanato original nos porões das lojas e em algumas barraquinhas. Diferente do Mercado del Porto, também em Montevidéu, completamente turístico, a feira Tristán Narvaja respira ainda o dia a dia dos uruguaios. Uma boa pedida para se conhecer pós-pandemia, ao ar livre, e com todos os cuidados de proteção.

Objetos de arte, decoração, quinquilharias e material de casa e construção

Dicas de viagem

A feira não está funcionando por conta do coronavírus no mundo, mas quando planejar a viajem, aproveite para ver o prédio da Universidad de la Republica, na 18 de Julio com Tristán Narvaja, e a Plaza de los Treinta y Tres Orientales, três quarteirões à direita, saindo da Feira.

Veja também o Palácio Municipal e Intendência de Montevidéu (prefeitura) do lado direito. A Fuente de los Candados, do lado esquerdo, mais a frente, também é a fonte dos namoradores.

De tudo um pouco na feira. Turistas e uruguaios se encontram entre quinquilharias

Percorrendo ainda mais a avenida 18 de Julio, conhece-se muitos dos principais pontos turísticos de Montevidéu até chegar a famosa e fotografada praça da Independência (Plaza Independência), com o Palácio Salvo.

Não há muitos pontos de vendas de comidinhas na feira, mas paralelo a ela, pode-se encontrar cafés e restaurantes. Prefira ir logo cedo e com tempo e disposição para perambular pelas ruas.

Gastroterapia

Empanadas de carne, frango e queijo
Empanadas são encontradas na feira

Empanadas são as especialidades encontradas nos países do oeste da América Latina, a exemplo do Chile, Uruguai e Argentina. Feitas artesanalmente com farinha de trigo e leite, lembram o pastel de forno brasileiro, recheados de carne, frango ou queijo, com acompanhamento de azeitona roxa. Geralmente são assadas ao forno.

Siga nossas redes sociais: Insta      Facebook Silvio Oliveira       Tô no Mundo
Comentários