Mudanças na pesquisa do Google

0

Embora tenha deixado de ser fã incondicional do Google, ela ainda continua me surpreendendo. O

Wonder Wheel

pessoal do Google.com (ainda não está disponível no .br) adicionou uma série de elementos que podem ser aplicados nas pesquisas que fazemos. A figura ao lado, por exemplo, é um recurso chamado de Wonder wheel, que permite ver o relacionamento entre o assunto pesquisado e outros assuntos. Na pesquisa original coloquei a palavra carro e depois cliquei no assunto relacionado Ferrari. É realmente um recurso interessante para achar relacionamentos da pesquisa.

O recurso Timeline, permite visualizar graficamente como as palavras chaves tem relevância ao longo dos anos. Colocando Obama na pesquisa podemos ver que o atual presidente americano aparece muito pouco antes de 2008, que foi quando efetivamente foi para a grande mídia. Veja nesta figura. Ainda na linha “tempo”, existe o recurso de pesquisar “quando”. Pode ser pesquisado tudo o que foi publicado nas últimas 24 horas, na última semana, no último ano ou ainda publicações realmente recentes (de alguns minutos a algumas horas). Este é um recurso realmente bastante útil quando se quer informações “frescas” sobre um determinado assunto, por exemplo, quero saber o que foi publicado sobre gripe suína nas últimas 24 horas.

Evolução das publicações sobre Obama

 

 

 

 

 

Um filtro interessante é permitir fazer pesquisas somente em vídeos. Alguém poderia dizer que isso já existe no youTube. Sim, realmente existe, Porém, na pesquisa do Google vem outros sites (alguns que nem sabia que tinham serviços de vídeo), aumentando consideravelmente o número de respostas da pesquisa. Além disso é possível filtrar ainda pelo tamanho do vídeo: pequeno (até 4 minutos), médio (de 4 a 20 minutos) e grande (acima de 20 minutos). Show de bola. Falando em pesquisa de vídeo, com uma dica de meu amigo Benjamin, quando tiverem um pouquinho de tempo façam uma pesquisa por “improváveis”. Os improváveis é um grupo humoristico realmente acima da média. Os videos mais engraçados são aqueles cujo título tem “só perguntas”. Vale a pena perder um tempinho assistindo.

 

 

 

Mudança a vista

Parece que o apareceu o primeiro grande player a mudar a forma de distribuição de filmes. A Saraiva lançou na semana passada o que ela chamou de Saraiva Virtual, que permite alugar ou comprar filmes pela web. Embora o Brasil ainda tenha uma banda larga bastante questionável e em algumas regiões tenha que pagar muito caro por uma conexão razoável, a iniciativa é bem interessante. Não lembro quantos anos tem que aluguei um filme, mas passa a ser uma opção interessante, desde que o acervo esteja atualizado e o preço competitivo. A tecnologia utilizada DRM (gerenciamento de direitos digitais) para restringir as cópias de conteúdo. Será interessante assistir essa batalha entre a distribuição tradicional, a distribuição por streamming e os programas P2P.

 

 

Cinform na web

Na semana passada, após a leitura da nossa coluna por Adriano Bonfim, que é Diretor Comercial do Cinform. Ele me explicou que o foco do jornal realmente mudou com a chegada da web, pois eles não tinham como competir com os grandes portais quando o assunto era nacional ou internacional. Adriano falou ainda que o foco eram as noticias locais e inclusive me passou um link bem interessante. Clique aqui e veja. Não deixa nada a desejar de outros grande portais de conteúdo. Parabéns!


 

Sistema Educacional Tradicional

O autor do livro Wikinomics, Don Tapscott, deu uma entrevista para a INFO, que perguntou sobre o sistema educacional tradicional e a nova geração de garotos que cresceu junto com a web. Eis a resposta: “o modo tradicional de educação é inapropriado para eles. Ter alunos isolados em suas tarefas e um ambiente centrado apenas no professor, com uma aula igual para todos, não funciona mais. O papel do professor não deve ser o de um transmissor de informações. Hoje os garotos crescem colaborando entre si e precisam interagir. O modelo atual é errado, precisa mudar e não vejo uma força de transformação mais poderosa para isso do que a força dos próprios estudantes.” Quem se habilita a executar tal mudança? Com a palavra… Os colégios!

 

Live@Edu

Já tinha comentando no ano passado que a Universidade Tiradentes tinha firmado uma parceria com a Microsoft para disponibilizar a plataforma Live@Edu para os seus alunos. A partir desta semana a Unit estará entregando folders explicando o funcionamento e as vantagens de utilizar este ferramenta de colaboração. Estou usando o Live@Edu desde o semestre passado com meus alunos e tenho tido surpresas bastante agradáveis. Se você é aluno da Unit não deixe de se cadastrar. Na próxima semana conto mais detalhes.

 

 

Caixa de Entrada: vazia (por Hugo Doria)
Recebo, em média, cerca de 40 emails por dia – entre emails diretos, de projetos e relacionados ao trabalho. Se para ler e responder cada email eu levasse 5 minutos, então eu gastaria mais de 3 horas por dia apenas fazendo isso. Se contar as listas de discussão que participo de verdade esse número triplica. Definitivamente não dá para responder todos os emails e algo sempre acaba esquecido ou indo para a lixeira.

Por causa disso resolvi procurar uma forma mais eficaz de gerenciar minha caixa de entrada e, consequentemente, ganhar tempo. Encontrei um site com diversas dicas legais e, à partir de hoje, estarei colocando aqui informações – baseadas no site e na minha rotina – sobre como gerenciar melhor sua caixa de entrada e tirá-la do buraco negro que se encontra. No final das contas você terá um email que funcionará quase que como uma lista de tarefas.

Antes de você começar a limpeza é preciso deixar uma coisa bem clara: a principal mudança acontecerá em seus hábitos e, assim como qualquer outra mudança deste tipo, quanto mais cedo você começar, melhor. Não adianta esperar o dia X ou a lua se alinhar com os anéis de saturno em 74 graus. Além disso, não tente aplicar as dicas aqui descritas se você achar que não precisa. Algumas pessoas se espantam quando recebem mais de 10 emails por semana, outras quando recebem menos de 100 por dia. Cada caso é um caso. Sabendo disso, vamos ao que interessa.

O primeiro passo a ser feito talvez seja o mais radical de todos: responda as mensagens importantes (importantes de verdade!) e em seguida jogue todas as outras para uma pasta qualquer. Nomeie a pasta como quiser. Pode ser algo como, por exemplo, “inbox2008”, “inboxantiga” ou “ladonegrodaforça”. Se você usa Gmail então crie uma nova Label (etiqueta) e arquive todas as mensagens nela. Mas atenção: não remova as mensagens, apenas arquive-as ou mude-as para outra pasta.


Agora que você está com a caixa de entrada vazia poderemos trabalhar em um método eficaz de mantê-la assim. Isso vai permitir que você separe e identifique as mensagens mais importantes e urgentes, e tenha facilidade pra depois consultar aquelas que podem demorar a serem respondidas. Mas isso fica para a coluna da próxima semana. Até lá.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários