O melhor presente

0

Você já parou para pensar por que o momento atual se chama de presente?
Se ainda não fez esta reflexão, vamos fazer agora?

Imagine-se com um calendário na mão, perceba que ali existem, devidamente registradas, três situações diferentes:

1.O ontem, a semana, o mês, o ano, a década que se foi  etc.;
2.O tempo que está passando, momento atual, o hoje, o agora; e,
3.O tempo que ainda vai chegar, o amanhã…
Ou seja: o passado, o presente e o futuro.

O ontem não existe mais. Embora tenha sido um momento precioso perdeu a sua validade, agora, neste instante, ele é apenas passado. Dele só podemos ter a lembrança e o efeito de nossa atuação naquela breve passagem. Nada, no entanto, podemos fazer no dia que passou. Se nós atuamos bem ou mal, será com este bem ou mal que continuaremos sem nenhuma autorização ou puder para alterá-lo. Ele foi importante elo que ligou a nossa existência. Sem embargo, concluímos mui facilmente que ninguém pode prescindir dele, nunca mais teremos um dia exatamente igual, mas passou.
Porém, Deus na sua infinita bondade, nos assegura sempre um novo, uma nova oportunidade, um futuro, uma realidade nova, desconhecida e também uma entidade separada, ainda não visitada, ainda não vista e experimentada à qual todos nós ansiamos chegar. Mesmo sabendo que, neste caso, quanto mais dias temos menos tempo possuímos, pois a todo instante estamos chegando e partindo, chegando e partindo e, às vezes, pouco valorizando, pouco fazendo. Trata-se de uma passagem breve logo outro futuro se apresentará, enterrando aquele momento precioso nas lamas da estrada do andarilho, lamentavelmente, na maioria das vezes nada fazemos de bom com este momento, passamos, usamos aquela dádiva sem, porém, nela atuar diligentemente. Mas, fazer o quê, é a vida, temos que ir em frente, afirmamos para nós mesmos.

É exatamente entre o ontem, passado e o futuro, amanhã que reside o hoje, o grande PRESENTE de Deus. Nosso Pai Celeste é tão justo e democrático que por mais importante ou simples que seja o seu filho, nenhum recebe um presente diferente, a nem um deles Ele dá mais ou menos do que ao outro: rico ou pobre, importante ou simples, grande ou pequeno, todos recebem igualmente um dia cheio de dádivas, e  composto por 24 horas, 1.440 minutos, 86.400 segundos. Não há ninguém, por mais importante que seja que possa usufruir de 24 horas e um segundo a mais ou outro, por maior que seja sua indigência que receba um segundo a menos. Todos, sem exceção, recebem igualmente.   Esta é a justiça Divina. Todos iguais, todos com os mesmos direitos e os mesmos deveres, recebendo os mesmos PRESENTES.
A única coisa que diferencia um do outro é a atitude de cada um em relação a este que é, indubitavelmente, o maior PRESENTE do mundo.

O que você fez, está fazendo ou pretende fazer com ele? Responda para você mesmo.

PENSE NISSO E UMA FELIZ SEMANA!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais