O presente do dia dos namorados que foi um mico

0

O desconto de 50%

 

O presente do dia dos namorados que foi um mico

 

O episódio de hoje conta o mico sofrido por Consuminho ao dar de presente do dia dos namorados uma sandália sendo que quando a namorada experimentou, embora fosse o tamanho do seu pé, a tira da sandália era tão pequena que não permitia dar a volta no tornozelo e ser abotoada.

 

Aproximava-se o dia dos namorados e Consuminho queria dar algo diferente para a sua namorada. Após pesquisar e andar bastante pelas lojas comprou uma sandália daquelas que estão na moda e que dá a volta no tornozelo ao abotoar. Antes de comprar, perguntou se a loja trocaria caso a sandália não correspondesse ao tamanho do pé da sua namorada, tendo o vendedor dito que caso fosse necessário, era só não fazer uso da sandália e levá-la à loja que efetuaria a troca. Assim, no dia ‘D’, Consuminho fez a entrega do presente. Era um momento especial, afinal de contas, era o dia dos namorados. Que pena, a sua alegria demorou pouco, não sabia ele o mico que iria sofrer.

 

A namorada de Consuminho achando bonita a sandália procurou logo experimentar e na hora de abotoar, ah, esse momento foi terrível…, a tira da sandália não alcançava o tornozelo e portanto não tinha como abotoar, foi uma grande mico.

 

No outro dia, já um pouco recuperado do mico, Consuminho e a sua namorada dirigiram-se até a loja para tentar trocar a sandália e diante do gerente demonstraram que a mesma tinha um problema, vez que, por ter a tira pequena, não permitia dar a volta no tornozelo para que pudesse ser abotoada. Assim, solicitaram a troca da sandália por uma outra semelhante. O gerente imediatamente rebateu a alegação de Consuminho e disse que o produto estava em perfeito estado e nesse caso a loja não tinha nenhuma obrigação de efetuar a troca.

 

Consuminho, inconformado e com vergonha da namorada, foi buscar ajuda no Código de Defesa do Consumidor e lá aprendeu que quando a gente compra algum produto e ele já sai da loja com problema, deve ser imediatamente trocado, principalmente quando esse produto é bem de consumo que compõe o vestuário e, portanto, para ser usado logo. Lembrou que tinha feito o pagamento através de cheque e que o mesmo ainda não havia sido descontado. Assim, sustou o pagamento do cheque no banco e enviou uma carta à loja comunicando a sustação do cheque colocando a sandália à disposição e solicitou a imediata troca do produto. 

 

Diante das medidas adotadas por Consuminho, principalmente a de denunciar a loja ao órgão de defesa do consumidor, a loja aceitou fazer a troca do produto, mas alegou que não possuía mais da mesma e que os modelos existentes no estoque eram bem mais caros, pois sofreram aumento após a venda do produto e Consuminho teria que complementar o valor pagando uma diferença de R$70,00 (setenta reais).

 

Consuminho recusou-se a pagar qualquer diferença alegando que a loja embora não tivesse culpa do processo falho de fabricação da sandália, era também responsável, pois foi quem vendeu o produto, além do que, esse ônus corresponde ao risco do negócio o qual é inerente à atividade da loja, foi quando então o gerente acatou os argumentos de Consuminho e efetuou a troca da sandália mediante o pagamento do valor do cheque sustado sem diferença decorrente do aumento do preço da sandália.

 

Faça você também como Consuminho, caso venha a comprar um produto e ele já saia da loja com problema, exija a sua troca imediatamente e, havendo recusa da loja, denuncie aos órgãos de defesa do consumidor. Agindo assim, estará contribuindo para a melhoria das relações de consumo.

 

 

 

Comentários