Os Transtornos no nosso trabalho

0

Rodrigo

As inconveniências e os transtornos em nosso ambiente de trabalho causam chateações e dificuldades impedindo a execução das tarefas de modo eficiente. Essas dificuldades podem se tornar um grave problema quando estiverem presentes na maior parte do tempo, indicando estresses e começando a prejudicar a saúde física e mental. O que será que tira a tranquilidade?
Conversei com algumas pessoas para saber como elas se sentem quando acontece algo indesejado que afeta negativamente a vida delas:

RODRIGO MAYNARD – Gerente de Banco
Ele acha inconveniente quando há transferência de responsabilidade na execução das tarefas. Algumas pessoas são descompromissadas em passar para outra pessoa uma obrigação que era dela, inclusive quando antecede problemas. “É primordial na organização dos trabalhos, a distribuição das tarefas e consequentemente, o comprometimento das responsabilidades”. Outro fato constrangedor de conflitos entre os colegas é quando existem pessoas que não sabem se relacionar, cometendo discussões

Colegas de Flávia (última aluna do lado direito da foto)

desnecessárias, sendo mal educadas e muitas vezes com distúrbios de bipolaridade. Rodrigo enfatiza também sobre alguns clientes que não  têm paciência quanto aos prazos bancários, pois em muitos momentos, ele não tem autonomia para resolver os problemas no tempo em que o cliente deseja, inclusive quando as solicitações são de última hora.

FLÁVIA FERREIRA – Estudante
Fica indignada quando encontra na sala de aula professores ignorantes que não ouvem, não tiram as dúvidas e não compreendem o aluno. Muitos deles, são faltosos e demoram a entregar o resultado das provas. Ela também fica furiosa quando há roubos na sala de aula entre os alunos.

ALISSON CRUZ MACHADO – Engenheiro Ambiental
O descaso do ser humano com a natureza o deixa indignado. Isso acontece quando faz o

Alisson

monitoramento em campo e encontra o meio ambiente danificado pelo homem. Nos rios, ele encontra desmatamentos da mata ciliar, observando que algumas empresas só se preocupam em retirar os recursos naturais descuidando da preservação. Ele prima pelo cumprimento das tarefas com a utilização das ferramentas necessárias para a segurança e quando não há suporte necessário de material para execução, ele se sente oprimido, por não realizar o trabalho com perfeição.

MADALENA GUIMARÃES DOS SANTOS – Agente de Limpeza
Quando Madalena entra num banheiro para limpar, muitas

Madalena

vezes fica perplexa com tamanha sujeira que encontra naquele local: papel encima da tampa do coletor de lixo, vaso sanitário sem a descarga efetuada, tampas do vaso sujas de fezes, sangue e urina, além de água e papel espalhados pelo chão.
Não entende como alguns seres humanos ainda procedem com esses modos aparentando civilizados.

ERCÍLIO COSTA – Sonoplasta
Fica chateado quando está operando os aparelhos de som devidamente testados anteriormente e aparece interferências de última hora. Ele fica de mãos atadas, pois não pode parar o evento para examinar o equipamento defeituoso causador dessas interferências. Alguns desses problemas são causados pelas emissoras de rádio e de pessoas que não utilizam o aterramento (tomada de três

Ercílio

pinos). “O jeito é trabalhar com o ruído”.

Valdenice

VALDENICE MARQUES – Enfermeira
Quando aparecem pessoas chorando, com depressão e doloridas, ela tenta ajudar da melhor maneira possível, aplicando medicação, oferecendo repouso e conversando bastante para aliviar a tensão e dor do paciente. É decepcionante quando toda dedicação não viabilizou a boa saúde do paciente.

Suellen

SUELLEN MORRANA – Técnica em Enfermagem
Ela fica angustiada quando aplica o medicamento prescrito pelo médico e o paciente não apresenta melhoras. Por exemplo: O paciente sentindo dor porque o remédio não fez efeito, deixando-a aflita por não ter sanado o problema daquele enfermo.

João Leandro

JOÃO LEANDRO – Programador de Sistema
O que mais chateia esse Gestor de Projetos é quando não há disponibilidade de internet nos equipamentos de tecnologia para efetuar os serviços.

VALDEMIR DE OLIVEIRA SANTOS – Taxista
Ele fica chateado com a falta de fiscalização para com os taxis clandestinos. Teve de colocar em seu carro a faixa luminosa para combater a clandestinidade, mas ainda encontra muitos rodando na cidade

Valdemir

e tomando os

passageiros. Sente-se indignado quando encontra fiscais sem preparo e mal educados que só pensam em aplicar multas. “Temos deveres, mas não temos direitos”. Valdemir encontra sempre pessoas com carros e principalmente com motos que estacionam nas vagas para taxistas. Ele fala também da inconveniência de trabalhar na rua sem banheiros e nem coberturas nos pontos de taxi.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários