Os vodus do Sintese

0

Os deputados estaduais sentiram calafrios com as chibatadas aplicadas nos bonecos com as características deles e que foram posteriormente queimados em praça pública. Organizada pelo Sindicato dos Professores Estaduais (Sintese), a manifestação objetivou protestar contra a aprovação pela Assembléia do reajuste parcelado do piso da categoria. Os legisladores sentiram tanto a “surra” que, na sessão após o fogaréu, quase choraram em plenário. Achando-se afrontados, eles vão meter as mãos nos bolsos para custear uma peça publicitária visando explicar aos sergipanos que não votaram contra os professores. O reclame será verdadeiro se informar que eles, mais uma vez, disseram amém ao governo como, aliás, geralmente o fazem. Diferente dos vodus da magia negra, os bonecos-deputados do Sintese não tinham o poder de transferir para os parlamentares a dor física das chibatadas e pauladas. Os calafrios sentidos pelos governistas têm relação com o medo de que uma vigorosa campanha feita pelos professores resulte na perda de milhares de votos.

Sem líder

O Partido dos Trabalhadores está sem liderança na Assembléia. É que depois das escaramuças entre os professores e o Legislativo, a deputada Ana Lúcia renunciou à condição de líder do PT. Como Conceição Vieira é a 1ª secretária do Legislativo e Francisco Gualberto é o líder do governo, a liderança da bancada petista vai sobrar para o deputado João Daniel. Resta saber se ele aceita.

E o povo, ó!

A Assembléia aprovou requerimento convocando a delegada Danielle Garcia para falar sobre a recente operação “Castelo de Cartas”, coordenada por ela e que prendeu várias pessoas acusadas de manipular concorrências em prefeituras do interior. Os deputados ficaram ‘tiririca’ com a moça porque ela teria dito que entre os presos está um policial militar cedido ao Legislativo. Enquanto se queixam do Sintese por queimar bonecos com suas características e tentam desmoralizar uma delegada, os deputados deixam em 2º plano os problemas dos sergipanos.

Estão soltos

Os presos durante a operação “Castelo de Cartas” já estão em liberdade. É que o desembargador Luiz Mendonça acatou o pedido de liminar pela liberação da turma. Entendeu o magistrado que os acusados podem responder o processo em liberdade, pois possuem residência fixa, profissão definida e não são perigosos à sociedade.

Condenados

O Tribunal de Contas da União condenou os ex-presidentes da Deso, Arivaldo Ferreira de Andrade e Gilmar Mendes. Os dois terão que pagar multas por irregularidades detectadas na duplicação da adutora do São Francisco. Estas obras motivaram a deflagração da “Operação Navalha” pela Polícia Federal em 2007 e que resultou na prisão de 60 pessoas em vários estados. Entre os presos em Sergipe estava o conselheiro aposentados do Tribunal de Contas do Estado, Flávio Conceição, e o empresário João Alves Neto.

Marçonaria

Sergipe vai receber no próximo mês mais de 1,5 mil maçons de todo o Brasil e de alguns países da América do Sul. Eles vêm para Aracaju participar da XL Assembléia Geral Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil. A solenidade de abertura acontecerá no Teatro Tobias Barreto, e o evento em si será realizado no Hotel Radisson, na Orla de Atalaia.

Descompensado

No café da manhã, oferecido quarta passada pela presidente Dilma Rousseff (PT) aos governadores do Norte e Norteste, o sergipano Marcelo Déda (PT) se queixou sobre as dificuldades econômicas enfrentadas pelo Estado. Em dado momento, o petista afirmou: “Pense, presidenta, num governador descompensado”. Ao discursar posteriormente, Dilma rebateu: “Dedinha, pense numa presidenta descompensada”, para ouvir do aliado: “Prefiro nem pensar, presidenta”.

Tapa na macaca

Essa interessa à galera da fumaça: uma regra da Lei de Drogas ainda pode ser usada por promotores e juízes para barrar a realização de marchas pela legalização da maconha. Em um de seus artigos, a lei afirma que a pessoa que induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga pode ser punida com três anos de prisão e multa. O relator do processo que liberou as passeatas, ministro Celso de Mello, do Superior Tribunal Federal, admite que “os juízes, a rigor, poderiam, buscando fugir do efeito vinculante do julgamento, usar essa regra”. Será?

Audiência pública

Sergipe será o primeiro estado a realizar audiência pública visando discutir o Plano Nacional de Educação – PNE, decênio 2011 – 2020. A escolha de Aracaju foi motivada por requerimento apresentado à Comissão Especial da Câmara que discute o PNE pelo deputado federal André Moura (PSC). "Sergipe terá uma oportunidade singular de contribuir diretamente com projetos para a Educação do Brasil, que será empregada nos próximos 10 anos", explica André.

Uso do FGTS

A resolução que fixa novos limites para financiamento de imóveis com o uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) já foi publicada no Diário Oficial da União. O limite da renda familiar mensal bruta para financiamento na área de habitação popular passa de R$ 3,9 mil para R$ 5,4 mil nos casos de regiões metropolitanas, capitais ou municípios com população igual ou superior a 250 mil habitantes.

Do baú político

Os ex-vereadores aracajuanos Pedro Firmino e José Antônio de Souza, o “Sargento Souza” sempre tiveram como principal reduto eleitoral o bairro 18 do Forte e adjacências, mas nem por isso eram inimigos. Davam-se bem, embora disputassem voto a voto daquele colegiado. Certo dia, ao entrar no plenário da Câmara, o vereador José Lopes encontrou os dois colegas conversando, sendo que “Sargento Souza” ajeitava cuidadosamente o nó da gravata de Pedro Firmino. Quando começou a sessão, Lopes fez questão de elogiar o bom relacionamento dos dois parlamentares. Foi então que “Sargento Souza” pediu um aparte e tascou essa: “Que nada colega, eu estava avaliando a firmeza da gravata de Pedro para o caso de ter que enforcá-lo”. Uma estridente risada ecoou no plenário e nas galerias, obrigando o presidente José Lopes a acionar várias vezes a sirene da mesa para pedir silêncio.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários