PROCESSO SUCESSÓRIO

0

É verdade que é prematuro falar do processo sucessório a quase dois anos da realização do pleito. Até outubro, os candidatos majoritários não devem por a cabeça de fora e trabalham nos bastidores para a fixação dos seus nomes. Durante esses nove meses, muita coisa vai acontecer, para que se definam posições partidárias, formação de composições sólidas, votação da reforma política e um série de decisões que caracteriza pressa decidir candidaturas e divulgar posições de possíveis competidores. Evidente que o governador João Alves Filho (PFL) só não será candidato se não quiser, porque tem direito à reeleição e condições de disputa-la. O prefeito Marcelo Déda (PT), que é outro nome que se fala, ainda terá que passar pelo estágio da desincompatibilização e pensar muito se vale a pena concluir seu mandato, disputar o Senado ou sair para tentar o Governo do Estado.

Um apressado deputado vinculado ao prefeito Marcelo Déda declara que ele realmente é candidato à sucessão estadual nas eleições de 2006, enquanto o próprio prefeito prefere divulgar que o seu pensamento não está voltado para candidatura políticas nesse momento. O objetivo principal é realizar um bom trabalho em 2005 e manter a administração municipal dentro de um ritmo mais acelerado de obras e atribuições. Segundo o parlamentar, as afirmações de que o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) pretende encabeçar a chapa majoritária, não passa de boato para enfraquecer a oposição: “não tenho a menor dúvida que o candidato será Marcelo Déda e digo isso porque tenho participado das conversas entre o prefeito e o senador Valadares”. O deputado desconfia que estão querendo dividir a oposição, “mas estamos preparados e entendemos que, para ganhar a eleição, a oposição tem que estar unida. Digo com certeza que a bola da vez é Marcelo Déda. Todos nós temos consciência disso. Acompanho o comportamento de Valadares e ele também concorda”, disse.

Aparentemente é certo que o candidato ao Governo pelas oposições é o prefeito Marcelo Déda, tanto que o deputado acrescenta que o senador Antônio Carlos Valadares já declarou seu apoio à candidatura que ele entende como a mais lógica da oposição ao Governo do Estado: “não tenho menor dúvida do compromisso de Valadares com a candidatura de Déda. Não observo outra postura dele que não esta” O deputado tem razão, o senador Antônio Carlos Valadares tem dito, de forma segura, que apóia o prefeito de Aracaju ao Governo e não abre mão disso. Entretanto, algumas lideranças do interior, dois ou três deputados estaduais, prefeitos de algumas cidades de médio e grande portes, além de vereadores, acham que Valadares tem um melhor relacionamento com as bases e conversa mais à vontade com esse pessoal, que ainda tem pouco acesso a Marcelo Déda. Existe esse movimento, já exposto inclusive por pessoas influentes na política sergipana, que gostaria de ver Déda disputando o Senado ou concluindo o mandato para o qual foi eleito.

Lógico que é uma decisão do prefeito, porque ele lidera a oposição, mas há um pensamento forte quanto à possibilidade de Valadares disputar e, se eleito, apoiar Marcelo Déda em 2010.

Uma iluminada figura da oposição realmente confirma que o senador Valadares é um político de posições definidas e não abre mão da candidatura do prefeito Marcelo Déda ao Governo do Estado, entretanto “não resistirá a montar no cavalo, se ele passar selado”. Nota que está havendo um perfeito entendimento entre o senador e o ex-governador Albano Franco (PSDB) e isso é sempre uma possibilidade de conversas mais experientes e bem articuladas, quanto ao processo sucessório estadual de 2006. Desconfia-se que Albano pretenda disputar o Senado pelo bloco, mas não chegaria lá caso seja essa a candidatura de Marcelo Déda. Mas, há de se analisar que o deputado Heleno Silva (PL) luta pelo Senado, indiferentemente de quem seja o candidato, o que seria um problema para o bloco oposicionista. Mas está muito cedo, há muito que se conversar, uma enchente de definições a passar sob a ponte e um mar de discussões para se chegar a um consenso. As eleições estão longe, mas as conversas de bastidores são intensas…

RETORNO
O governador João Alves Filho (PFL) desembarcou ontem à noite em Aracaju, procedente do Rio de Janeiro, depois de ir a Washington, Paris, Madrid e Portugal. João Alves Filho ficou no Rio para uma audiência com o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), junto com o deputado federal José Carlos Machado (PFL).

TRABALHO
Neste final de semana o governador terá muita coisa a resolver, a começar dos primeiros contatos sobre a reeleição da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa. Também deve reunir o secretariado para uma série de decisões e cuidar de manter a unidade da equipe, quebrada com divergências pessoais entre alguns deles.

BOSCO
O deputado federal Bosco Costa (PSDB) participou, ontem, da reunião da Executiva Nacional do partido, em São Paulo. O senador Eduardo Azeredo assumiu a presidência. Bosco disse que o governador de Minas, Aécio Neves, comparece e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também.

ALBANO
O ex-governador Albano Franco (PSDB) compareceu à convenção já no final, apenas para cumprimentar o pessoal e conversar sobre a situação do partido. Albano não participou de toda a convenção porque teve que se ausentar para um almoço com o empresário Mario Amato.

UNIDADE
O deputado Bosco Costa voltou a falar sobre a situação de Sergipe e disse que deseja que o senador José Almeida Lima (PSDB) se integre ao bloco que compõe o tucanato em Sergipe. Bosco acrescentou que o PSDB está precisando primeiro “fazer o dever de casa, se reorganizar para depois para uma disputa maior”.

ALMEIDA
O senador José Almeida Lima está no mais absoluto silêncio em relação ao PSDB, recusando-se a tratar do assunto nesse momento. Um dos seus aliados disse que só a partir de março é que o senador vai se manifestar, dentro do que ficou definido com a Direção Nacional do partido.

VENÂNCIO
O deputado Venâncio Fonseca (PP) declarou que a obra de transposição do São Francisco “não vai terminar nunca, porque até agora Lula não fez nenhuma obra neste país”. Venâncio considera que se trata de uma obra de uma complexidade muito grande, que não cabe no modelo administrativo do presidente.

GUALBERTO
O deputado Francisco Gualberto (PT) pediu a Venâncio Fonseca que sugerisse ao governador João Alves Filho para entrar com uma ação na justiça contra a transposição. Venâncio emendou: “para a ação ter mais força político poderia ser assinada pelo presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, e pelo prefeito Marcelo Déda. Se eles assinarem, o governador acompanha”.

CONTRA
O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), já declarou que é contra a transposição do rio São Francisco, sem que seja feita a revitalização. Acrescentou que não é por ser contra que vai participar de manifestações contra uma decisão do presidente Lula e nem levantar dúvidas quanto à licitude da obra.

ASSEMBLÉIA
O deputado Venâncio Fonseca acha que não é justo reeleger todos os membros da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa. Defende que haja uma mudança de 50%. Ele diz que é uma forma de dar oportunidade a outros deputados de exercerem cargos na direção da Assembléia.

PAIXÃO
Na reunião da bancada federal do PPS, ontem em Brasília, o deputado Ivan Paixão votou pelo respeito ao princípio de proporcionalidade para eleição da Mesa da Casa. Ivan também aprovou o indicativo para a formação de um bloco partidário do PPS com PDT, PSB, PCdoB e PV, após discussão interna no partido.

SERGIPE
Em Sergipe, esse bloco formado pelo PPS, PDT, PCdoB e PV, também defendido por Ivan Paixão só seria possível se o PPS passasse a apoiar o prefeito Marcelo Déda. Como o próprio Ivan Paixão e os demais membros do PPS são aliados do governador João Alves Filho, o bloco se torna inviável.

VÍRGÍLIO
O deputado Virgílio Guimarães (PT-MG) candidato independente à Presidência da Câmara Federal, virá a Sergipe na próxima semana. Vai conversar com deputados federais de Sergipe, para conquistar votos. A candidatura de Virgílio preocupa o presidente Lula.

Notas

PROBLEMA
Um deputado federal de Sergipe, que pediu omissão do nome, revelou que o grande problema do Governo Federal junto à Câmara dos Deputados, “e porque poucos parlamentares ainda acreditam em acordos feitos pelo presidente e seus ministros, que geralmente não são cumpridos”. Segundo a mesma fonte, o crescimento da candidatura de Virgílio Guimarães juntos aos deputados federais, principalmente do baixo clero, é porque esse pessoal quer dar uma resposta ao Palácio do Planalto.

EMENDAS
Apenas para dar um exemplo, o deputado sergipano denunciou que as emendas parlamentares que foram prometidas ser liberadas aos municípios em novembro, até o momento não foram pagas e não há previsão para isso. “Os prefeitos cobram é dos deputados em suas regiões”, disse. O Governo está com tanto receio de perder as eleições que está tentando levar as eleições para o voto aberto na Câmara Federal. Não vai conseguir porque o Regimento Interno da Câmara não permite isso.

BANESE
A criação da Diretoria de Desenvolvimento do Banese surgiu por determinação do acionista majoritário (Governo do Estado) após diversos contatos com o representante da Diretoria Executiva, com o objetivo de ver complementado o trabalho iniciado nos dois primeiros anos da atual administração. Outro fator que contribuiu para a decisão, foram as conquistas junto a instituições financeiras, ministérios e organismos bilaterais, que justificam a medida e atende ao maior acionista em relação aos destinos do banco.

É fogo

Adesivo exposto no pára-brisa traseiro de alguns veículos que circulam em Aracaju: “acesse este site – www.deda.gov.bom.se”.

A Prefeitura de São Cristóvão vai realizar um carnaval de antigamente. A iniciativa é do secretário da Cultura, Antônio Leite.

No carnaval de São Cristóvão vai predominar o frevo e a marchinha que animará blocos de sujo e outras manifestações dos carnavais passados.

O deputado Ivan Paixão (PPS) diz que o governador João Alves Filho não interfere em seu trabalho na Câmara dos Deputados.

A deputada Angélica Guimarães (PSC) está engajada na campanha em favor da revitalização do rio São Francisco.

O deputado Ulices Andrade compareceu à Assembléia na sessão contra a Transposição, mas teve que se retirar por problemas na garganta.

O deputado federal José Carlos Machado considera um crime fazer a transposição do rio São Francisco sem a revitalização.

O nome do deputado Antônio Passos (PFL) é o único, até o momento, confirmado para concorrer a presidente da Assembléia Legislativa.

Está praticamente certo que o Pré-Caju de 2006 retornará à avenida Beira Mar. O deputado Fabiano Oliveira está animado com a possibilidade.

A renda média do trabalhador não acompanhou o movimento de recuperação do mercado de trabalho em 2004. Teve uma queda de 0,8%.

Operar por meio de vôos charter nas linhas que não tiverem ocupação mínima de 50% pode ser uma das alternativas para a Vasp não perder a concessão de vôo.

O volume de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) alcançou em dezembro o maior nível desde setembro de 2002.

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários