Proposta indecente

0

Proposta indecente

O líder de um partido governista condicionou a aprovação do nome de Belivaldo Chagas (PSB) para o Tribunal de Contas do Estado à reeleição da presidente da Assembléia, Angélica Guimarães (PSC), já agora em fevereiro, portanto, a um ano da data prevista. O governador Marcelo Déda (PT) teria considerado a proposta indecente e uma violência à estabilidade do Parlamento. Setores governistas entendem que o líder político foi longe demais ao tentar colocar a faca no pescoço do governador, fato que poderá decretar o rompimento político entre ambos. Garantem, inclusive, que se o moço não reduzir sua voraz sede pelo poder, a aliança política não sobrevive a junho próximo, quando acontecem as convenções para escolha dos candidatos a prefeito.

Caravana petista

Petistas sergipanos viajam amanhã à Brasília para participar do aniversário do PT, que está completando 32 anos sexta-feira que vem. Na quinta acontecerá reunião dos diretórios e no dia seguinte um encontro de prefeitos e deputados estaduais petistas para discutir as estratégias políticas para as eleições deste ano. O governador Marcelo Déda, que participa amanhã no Rio da posse da nova presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, só chegará a Brasília na sexta para a festa petista.

Circo voador

O circo Portugal, instalado no Shopping Jardins, encontrou uma forma diferente para divulgar seus espetáculos. Um aviãozinho (deve ser um teco-teco) passa boa parte do dia sobrevoando Aracaju e informando que o ingresso custa apenas R$ 10 para todos. Não revela quais as atrações do circo, mas que o aviãozinho chama a atenção do público, isso chama.

A fonte secou

Durante quase quatro horas, auxiliares do governo ouviram ontem do governador Marcelo Déda e do secretário da Fazenda, João Andrade, que a fonte secou, a crise é feia e que todos devem economizar até água e cafezinho. O quadro da economia estadual pintado pelos dois é dos piores. A orientação é para reduzir desde horas extras até diárias e passagens aéreas. Teve gente que saiu da reunião querendo abrir mão do salário. Misericórdia!

Bota fora

Secretários, presidentes e diretores de autarquias e empresas estatais que pretendem disputar as próximas eleições devem deixar os cargos até o Carnaval. A orientação foi passada ontem pelo governador Marcelo Déda, que pretende promover as substituições e remanejamentos até março próximo.

Água, por favor!

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, recebeu ontem uma comitiva de prefeitos e parlamentares sergipanos. Eles foram pedir socorro para seus municípios, que enfrentam uma prolongada estiagem. Todos revelaram que o principal problema é a falta de água, pois a ‘Operação Pipa’ não alcança todos os flagelados. Para se ter uma idéia, em Poço Redondo paga-se até R$ 150 aos caminhoneiros por uma pipa d’água. Bezerra serviu água gelada, cafezinho e prometeu providências para aliviar a sede dos sertanejos.

Braços cruzados

Os servidores da administração geral do Estado cruzam os braços nesta quarta-feira. A greve objetiva pressionar o governo a mandar para a Assembléia o Plano de Cargos e Salários da categoria. A paralisação afeta diretamente o funcionamento de escolas, Centros de Atendimento ao Cidadão (Ceac’s), e vários órgãos públicos. Depois do anúncio da greve, o governo convidou os líderes do movimento para uma reunião hoje à tarde no Palácio.

Sem memória

Sempre que pode, o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) tira uma onda com o primo e deputado federal Almeida Lima (PPS). Vejam o que ele postou no twitter: “Não gostei de ver meu nome lembrado por Almeida Lima, porque eu construí minha vida pública e nunca fui dependente. Dizer que não tem histórico de traição? Ou Almeida tem amnésia ou acha que o povo é desmemoriado. Eu não sou, e o povo também não”.

Não pago

O movimento “Não Pago”, criado por estudantes e trabalhadores contrários ao reajuste do valor da passagem de ônibus, promoveu ontem mais uma manifestação no centro de Aracaju. Eles condenam a proposta de 10% de aumento, feita pelo Sindicato da Empresas de Ônibus. Entre os cartazes expostos ontem pelos manifestantes, um se destacava: “Edvaldo Almofadinha, eu quero ver você andar no Tijuquinha”. Cruz Credo!

Do baú político

Em 1989, o deputado estadual Chico de Miguel (PFL) precisou se licenciar para tratamento de saúde. Ficou surpreso, no entanto, ao ser informado que para obter a licença precisava antes passar por uma junta médica, coisa nunca vista na Assembléia. O verdadeiro motivo da exigência não era saber se o pefelista realmente estava doente, mas impedir que o suplente Nelson Araújo (PMDB), critico radical do governo, assumisse por quatro meses. A tal junta entendeu que três meses de licença seriam suficientes para a recuperação de Chico de Miguel. E por que 90 e não 120 dias? Porque o suplente só assume quando o titular se afasta por, no mínimo, quatro meses. Insatisfeito, Nelson Araújo recorreu à Justiça, que concedeu liminar autorizando a licença de 120 dias para Chico de Miguel e determinou a imediata posse do suplente. O peemedebista passou quatro meses infernizando, com suas críticas fundamentadas, o governador Antônio Carlos Valadares e o ministro do Interior João Alves Filho.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários