Quem ama não mata

0

O covarde assassinato da cabeleireira Ângela Maria pelo ex-marido Edival Nunes, ocorrido sábado passado em Socorro, mostra que a mulher continua sendo uma das grandes vítimas da violência urbana. Lamentavelmente, a maioria desse tipo de crime não chega ao conhecimento da sociedade, enquanto outra boa parte não passa do registro de boletim de ocorrência, que termina sendo arquivado, muitas vezes, a pedido da própria vítima. A idéia machista de que “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher” contribui para esconder agressões verbais e físicas, estupros ou violência carnal e ameaças de morte. Os registros nas Delegacias de Sergipe mostram que a coisa é muito mais séria do que se pensa. Em 2009, 2.548 mulheres registraram queixas, número que saltou para 2.917 em 2010, e este ano já são 1.232 boletins de ocorrência. Ressalte-se que muitas vítimas não procuram a Polícia, pois sabem que se o fizerem voltarão a ser espancadas ou até mesmo mortas, como ocorreu com Ângela. Portanto, precisamos sim meter a colher nessa briga para mudar esse quadro dantesco.

Mala preta

A sessão de hoje da Assembléia Legislativa promete: é que o deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) promete apresentar em plenário um balanço de sua gestão enquanto superintendente do Sebrae Sergipe. A decisão do peemedebista foi tomada depois que o líder da oposição, Venâncio Fonseca (PP), o chamou de “deputado babão e puxa saco do governo”. Segundo o pepista, Zezinho defende o governador Marcelo Déda (PT) com medo que este abra a caixa preta do Sebrae no tempo em que ele era superintendente. É bom colocar a turma do deixa disso de plantão.

Tucanos reunidos

Os tucanos sergipanos se reúnem hoje para ouvir do ex-deputado federal Albano Franco detalhes sobre a eleição do diretório nacional do PSDB, ocorrida no último final de semana. Embora tenha sido mantido como membro do diretório, Albano não esconde sua contrariedade com o partido, que deseja vê-lo presidindo os tucanos sergipanos. O que mais contraria o ex-deputado é a insistência da cúpula do PSDB para que ele se alie politicamente ao ex-governador João Alves Filho (DEM) e que rompa com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B).

Novas regras

Essa interessa a quem costuma usar o cartão de crédito: entram em vigor amanhã as novas regras para o dinheiro de plástico. Na tentativa de reduzir o endividamento do consumidor, o governo decidiu elevar o percentual de pagamento mínimo na fatura. A partir de amanhã, os clientes serão obrigados a pagar pelo menos 15% do total gasto no mês. Em dezembro, a fatia sobe para 20%. Até agora, cada banco tinha sua própria regra.

Visita ministerial

Quem está sendo esperada em Sergipe no próximo dia 8 é a ministra da Cultura, Ana Hollanda. Vem entregar o documento que registra a concessão do título de patrimônio da humanidade à Praça São Francisco, em São Cristóvão. É uma pena que, mesmo tendo conseguido título tão importante, a quarta cidade mais antiga do Brasil continue abandonada pela Prefeitura, que não sabe nem tirar proveito da certificação concedida pela Unesco.

Ausência notada

Foi notada a ausência do deputado estadual Gustinho Ribeiro na propaganda do PV sergipano veiculada ontem no rádio e na televisão. Embora seja o único parlamentar do partido no Estado, Gustinho irritou a cúpula verde ao anunciar seu desejo de se mudar para o embrionário PSD. Por causa disso, a cúpula do PV no Estado deseja vê-lo pelas costas.

Cantinho da Arte
  
Será às 18h da próxima sexta-feira a abertura da edição junina do Cantinho da Arte, promovido pela Unimed. O evento acontecerá no Centro Assistencial da Cooperativa, na rua Dom Bosco, 499 – Bairro Cirurgia. Arte, dança e música, que valorizam a cultura nordestina, serão apresentadas nesta edição. Estão previstas a demonstração do “Barco de Fogo” de Estância, a apresentação da Quadrilha Século XX e os shows de Joseane Dy Josa e Lourinho do Acordeon

Distorção salarial

A deputada estadual Ana Lúcia (PT), que votou contra o projeto de reajuste salarial linear para os servidores públicos, entende não ser possível continuar aprofundando uma política que gere distorções profundas entre servidores com a mesma formação profissional. Segundo ela, esta filosofia resulta sempre em melhoria na remuneração para poucos em detrimento da maioria dos trabalhadores do serviço público. Está certa!

Sem forró

Está pensando em ir hoje à noite para Areia Branca visando o evento São João de Pé no Chão? Pois desista. É que o juiz de Direito José Amintas Noronha de Meneses Júnior determinou a suspensão da festa. Atendeu a pedido do Ministério Público, que alegou haver irregularidades no processo de contratação das bandas Aviões do Forró, Forró Safado, Max & Lucas e Espinho de Mandacaru. Ao atender, em parte, o pedido de liminar, o magistrado estabeleceu multa diária de R$ 30 mil caso a Prefeitura não cumpra sua decisão.

Do baú político

No final da década de 70, os católicos sergipanos entraram em polvorosa por conta da inauguração da Igreja do Diabo, capitaneada por Luiz Howarth, que até hoje se intitula o Papa do Diabo. Construída no povoado Parque dos Faróis, em Socorro, o templo de Lúcifer tinha o formato de um caixão de defunto, era todo pintado de piche e para lá corriam todos aqueles que perderam a fé nas demais religiões. Pressionado pelo arcebispo de Aracaju, dom Luciano Cabral Duarte, o governador Augusto Franco, um católico fervoroso, resolveu acabar com o grande barulho feito pela imprensa nacional em torno da inusitada igreja. Mandou chamar Luiz Howarth em Palácio e propôs desapropriá-la, naturalmente pagando pelas benfeitorias. Após tudo acertado, o governador propôs a Howarth uma reunião entre eles e o arcebispo para comunicar o sucesso das negociações. Fala mansa, o cearense, que nas horas vagas ganha a vida como astrólogo, reagiu com firmeza: “Governador, não converso com padres, freiras, bispos, nem arcebispo. Eu sou o Papa do Diabo, portanto, se tiver que me reunir, terá que ser com o Papa deles”. A ideia da reunião foi abortada na hora e a igreja derrubada no dia seguinte.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários