Saga: galeguinho e o jeguinho ganancioso

0

  “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Conta a lenda, que num reino distante, a escassez de carne foi tão grande que os moradores começaram a matar o principal animal que servia de transporte pessoal e de carga: o jegue.

Em polvorosa os jegues começaram a tentar fugir do reino para escapar da matança. Um deles, conhecido pela vaidade e ganância – que conversava mais do que trabalhava – recebeu uma proposta de uma mascate galego que de tempos em tempos passava pelo reino vendendo todo tipo de mercadoria, inclusive roupa.

O galego propôs ao jegue vaidoso que fugisse com ele para um local distante do reino onde poderia não só se salvar da matança, mas também comandar outros jegues, já que era esperto e sabia ludibriar muita gente.

E assim foi feito. O jegue esperto fugiu alegre e vaidoso, acreditando que tinha encontrado no mascate galego um verdadeiro amigo que lhe daria uma nova vida.

Depois de uma árdua jornada, o jegue e o galego chegaram a um local distante. Lá o galego reinava. Realmente encontrou outros jegues, porém, descobriu que todos não estavam livres, estavam presos no cabresto e trabalhando numa pedreira, amarrados uns aos outros numa fila puxando grossas pedras durante todo o dia numa enorme carroça.

O mascate galeguinho cumpriu a promessa. Botou o jeguinho récem chegado para comandar os outros quatorze jegues puxando a marcha da carroça. O cabresto do jeguinho era o mais bonito puxando todos os outros. Além do cabresto, uma roupa foi colocada pelo galeguinho no jeguinho.

Moral da história: a ganância e a esperteza quando são demais, viram bicho e comem o próprio dono. Pensem nisso!

Pelo twitter, Fábio Reis diz que grupo está com Jackson há 20 anos e lamenta jogo sujo
O deputado federal reeleito Fábio Reis (PMDB), postou no twitter ontem diversas declarações sobre a possibilidade da deputada Gorete Reis (tia dele) ser desconvidada para participar da chapa da ALESE, como vice-presidente. “Configura uma tremenda falta de respeito e uma ofensa…Estamos juntos com @jacksonbarreto_ há 20 anos e compomos histórias de muita luta, suor e sofrimento. Nunca deixamos de lutar com ele!”

Espaços políticos
Fábio Reis lembrou que o grupo que ele faz parte cedeu espaços políticos em busca de um projeto ainda maior. “Agora participaremos da construção de um novo Sergipe, mais justo e melhor para toda a população. Se @gorettireis não é digna da confiança do Governo, eu também não sou”, desabafou,  afirmando que espera que o jogo sujo do poder não destrua o que foi construído com muito suor, trabalho e sofrimento ao longo desta parceria de 20 anos.

Pequenos produtores denunciam calote da empresa de laticinios Buril
O blog recebeu um e-mail de pequenos produtores da região de Poço Verde desesperados por conta do calote que receberam da empresa de laticinios Buril. Segundo eles entregara o leite por várias quinzenas e não receberam o devido pagamento.

Santo Amaro: professoras realizam passeata
Cansados do descaso da prefeitura de Santo Amaro das Brotas em relação ao magistério, os professores da rede municipal foram às ruas da cidade, na última quinta-feira, 15, reivindicar o pagamento do salário de dezembro de 2014.

Recepção
Liderados pelo Sintese, os professores se concentraram da praça da Matriz e saíram em caminhada pelas ruas da cidade em uma marcha que teve uma boa recepção por parte da população em geral.

Chileno pagou a quem quis
A categoria reclama que o prefeito Luis Herman Mancilla Gallardo (PSL), popularmente conhecido como Chileno, pagou o salário do mês de dezembro a apenas alguns professores, sem nenhum tipo de critério de escolha. Além disso, a categoria ainda denuncia a situação precária em que as escolas do município se encontram e reivindicam o pagamento do retroativo do piso de 2012.

Ofício
A deputada estadual e professora Ana Lúcia já enviou ofício à prefeitura solicitando o pagamento do salário do mês de dezembro aos professores que ainda não receberam, ressaltando que os direitos do magistério devem ser respeitados, e que não deve haver nenhum tipo de perda para a categoria.

PELO TWITTER

www.twitter.com/chicoandradef  A Veja e a Folha são a favor de qualquer liberdade de expressão.Contanto que não seja contra elas.Curioso,não?

www.twitter.com/AntonioSamarone  A desconstrução moral do PT foi facilitada pelo arrivismo de boa parte dos seus líderes.

www.twitter.com/WilliamFonseca  O que a vida tem de melhor a oferecer é justamente hoje. Ontem, só boas memórias e amanhã só esperanças.

www.twitter.com/frednavarro  Quase sempre, quem se mete a ardoroso defensor público da família é porque não está cuidando da sua.

www.twitter.com/gabriel_chalita  Precisamos tomar cuidado com discursos de limpeza da sociedade por meio da pena de morte. Há maneiras mais eficazes de reparar um erro.

ARTIGO

Tudo Salvo – Clipping Digital Por Walter Costa *

As redes sociais vêm alcançando, cada vez mais, um grande público em Sergipe. Isso tudo faz parte de um movimento que vem crescendo no Brasil. As pessoas estão abrindo os olhos, a mente, e clareando suas opiniões através do acesso à internet e às redes sociais.

Em Sergipe não tem sido diferente. Pessoas, empresas e políticos descobriram as redes sociais e viram que ela pode se tornar uma grande fonte de divulgação de informações e opiniões. As empresas querem colocar no inconsciente do cliente sua marca e seus produtos.

Nos últimos 10 anos, a internet cresceu 40% entre a classe média e a tendência é que esse número cresça ainda mais no Brasil com as Olimpíadas de 2016 e eleições municipais.

O mesmo está acontecendo com a classe política que viu que as redes são aliadas – quando usadas na medida certas – na divulgação dos seus atos e suas opiniões. Por isso, para acompanhar o que vem sendo divulgado, aquele antigo clipping de recorte de jornal foi substituído pelo clipping digital que acompanha a tendência do mercado.

Hoje com a diversidade de programas de radiojornalismo, emissoras de televisões, diversos jornais impressos e inúmeros sites e blogs, fica difícil o cidadão acompanhar as notícias, visto que a cada minuto novos fatos surgem, imagine para uma marca, órgão público ou pessoa pública acompanhar o que é de seu interesse.

Pensando nesse mercado de trabalhado, em Sergipe, surgiu mais uma empresa de clipping digital. A Tudo Salvo faz o acompanhamento de tudo o que é divulgado pelo seu cliente/assessorado na imprensa e nas redes sociais. Todo o material é entregue de forma digital e o serviço é ágil e moderno.

Torna-se um novo produto em um mercado que esta escasso no estado proporcionando tranquilidade ao cliente que terá as notícias do seu interesse na palma da mão, em seu aparelho de celular. A empresa Tudo Salvo, encontra-se nas seguintes redes sociais: Twitter: @Tudo_Salvo e Facebook.com/TudoSalvo

Acesse, curta e solicite um orçamento de acordo com suas necessidades!

Entre em contato através de nosso email: http:// contatotudosalvo@gmail.com , ou via telefone: (079) 9636-1120 Walter Costa

*Assessoria de Mídias Digitais e Fotos – 9636-1120 / 8816-8975

ARTIGO 

Estudo sobre Gastos com Advogados Dativos em Sergipe – Associação dos Aprovados no Concurso da Defensoria Pública do Estado de Sergipe – 2012

Estudo revela que o Estado de Sergipe gastou R$ 7.250.124,93 (sete milhões, duzentos e cinquenta mil, cento e vinte e quatro reais e noventa e três centavos) com Advogados Dativos em 2014. Somente 10 Advogados Dativos receberam um total de R$ 1.119.471,74 no ano (um único Advogado chegou a receber mais de 200 mil reais em honorários). 
Elaborado pela Associação dos Aprovados no Concurso da Defensoria Pública de Sergipe – 2012, o estudo colheu dados na Procuradoria Geral do Estado de Sergipe, que atuou em 3.453 processos de execução de honorários de Advogados Dativos contra o Estado de Sergipe em 2014.
A principal conclusão do estudo é que o Estado de Sergipe gasta mais com Advogados Dativos do que gastaria com Defensores Públicos em 16 das 39 (41%) comarcas de Sergipe. Assim, caso tivesse sido feita uma ampliação planejada do quadro da Defensoria Pública de Sergipe e maiores investimentos na instituição para, estrategicamente, atuar nessas 16 comarcas, o Estado de Sergipe teria economizado R$ 1.395.937,98 em 2014 e teria prestado um serviço de qualidade bastante superior. Outros dados do estudo:
O que foi gasto com Advogados Dativos em 2014 pagaria a remuneração anual de 39 Defensores Públicos;
Um total de R$ 2.525.359,08 em gastos com Dativos concentrou-se em 6 comarcas, o que representa 40% das despesas;
As comarcas onde o Estado gastou mais que o valor dos serviços de 1 Defensor Público e apenas 1 Defensor Público supriria a demanda são: Riachuelo, Itaporanga, Aquidabã, Itabaiana, N. S. das Dores, Boquim, Maruim, Carira, Itabaianinha, Cristinápolis, Gararu, Simão Dias, Pacatuba, Arauá, Poço Verde, Capela;O acréscimo mensal de despesa com pessoal do Estado de Sergipe caso fosse criado 1 cargo de Defensor Público seria de apenas 0,0002%;
Em 2014, o orçamento fixado para o Ministério Público foi 4 vezes maior que o da Defensoria Pública e o orçamento do Tribunal de Justiça foi 12 vezes maior;
Um Advogado Dativo contratado para exercer a função de um Defensor Público custa em média, por atuação, R$ 815,65 aos cofres públicos. Os serviços da Defensoria Pública custam R$ 162,39 por atuação. Ou seja, 5 vezes menos;
Cada Defensor Público prestou, em média, em 2.439 atendimentos no ano de 2014. Ou seja, um número de 3,6 Defensores Públicos prestaram o mesmo número de atendimentos de todos os Advogados Dativos de Sergipe.

ARTIGO

As prisões dos agentes do CENAM e os direitos humanos  por Thiago da Silva Santana*

Para quem acompanha minimamente o noticiário sergipano, são  recorrentes as reportagens sobre as péssimas condições das unidades  geridas pela Fundação Renascer, tanto para os agentes, quanto para os  adolescentes internos. Tais fatos se tornam públicos principalmente  pelas rebeliões dos jovens e pelas denúncias dos agentes – sobretudo  relacionadas às condições de trabalho – e dos defensores de direitos  humanos – especialmente aquelas relacionadas aos maus tratos aos
adolescentes.

Há poucos dias, o CENAM mais uma vez foi notícia nos jornais por conta  das prisões de 9 agentes, sob a acusação de torturas. Dentre as provas  nos autos do processo, constam vídeos e relatos de agressões ocorridas  em Setembro/2014, principalmente contra dois adolescentes internos.  Todos os agentes que trabalharam na noite dos fatos foram presos.  Nesse contexto, as recentes prisões dos agentes foram comemoradas por  parte dos defensores de direitos humanos como sendo um fato digno de  reverência, resultado de várias denúncias, exprimindo um sentimento  aliviado de que “finalmente o Poder Público agiu contra os  malfeitores”.

Expresso, aqui, minhas ressalvas quanto a essa conclusão.  É que, além dos agentes que, de fato, torturaram os adolescentes, o  Ministério Público denunciou também outros agentes contra os quais não  há ao menos uma prova de participação nas torturas, a exemplo de  Sidney Guarany, o qual é referido na denúncia como sendo “conivente” com as agressões, apesar de não estar sequer presente em tais  momentos.

Ademais, Sidney Guarany, que é o atual presidente do sindicato da  categoria, tem um histórico público de atuação contra tais práticas,  inclusive já tendo denunciado tais procedimentos à imprensa e aos  órgãos competentes. Quem está na trincheira dos direitos humanos em  Sergipe sabe que o sindicalista sempre esteve incansavelmente à  disposição para contribuir com diagnósticos sobre a realidade das  unidades, dos adolescentes e dos trabalhadores.  Ou seja, ao invés de ser coerente com a defesa de direitos  fundamentais, a reverência às prisões de maneira generalizada  significa: a) considerar todos os denunciados como sendo ou
torturadores ou indiferentes à tortura; b) atribuir o rótulo de “violadores de direitos humanos” mesmo àqueles agentes que foram  injustamente denunciados e que atuam diuturnamente contra tais  práticas vis.

São, portanto, dois erros evidentes: primeiro, por sacralizar a  denúncia do Ministério Público, admitindo que a generalização  corresponde à realidade; segundo, por cristalizar a dicotomia “direitos humanos x agentes”, o que dificulta sobremaneira qualquer  avanço na execução de medidas socioeducativas, como disposto no ECA.  Afinal, não haverá avanço se, além da repressão aos excessos
cometidos, não houver igualmente a valorização daqueles agentes que  tratam com dignidade e respeitam os direitos dos adolescentes.  Valoriza-los significa reconhecer seus esforços no sentido de  desempenhar suas atribuições funcionais sem abusos.  Reverenciar as prisões de maneira generalizada termina por admitir
como legítima a repressão a alguns desses agentes que cumprem com  honradez suas atribuições, a exemplo de Sidney Guarany.

Contraditoriamente, na honrosa sanha de defender os direitos humanos  dos adolescentes, louva-se a violação de direitos de alguns agentes.  Enfim, não é simples a missão de defender direitos humanos. Fazê-lo  exige rechaçar as análises maniqueístas, simplórias, e adentrar na  complexidade das situações, sob o risco de, com o discurso dos  direitos humanos, referendar outras violações de direitos.

advogado*

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun  

Frase  do Dia

“Ninguém possui outro direito senão o de sempre cumprir o seu dever.” Auguste Comte, filósofo francês,nasceu em 19 de Janeiro 1798 e morreu em 1857.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários