Saúde na rede privada

0

 

Depois de conversar com alguns médicos este espaço resolveu traçar um pequeno diagnóstico da rede privada de saúde em Aracaju. Como este espaço tem muitos leitores na área da saúde, em várias profissões, deixa claro que o objetivo é contribuir e não apenas criticar. O espaço abre debate sobre o assunto que é de interesse de parcela significativa da população.

 

  Pelo levantamento, hoje em Aracaju existem 5 hospitais que atendem urgência e emergência ditos “da rede privada”: Hospital São Lucas, Clínica Renascença, Hospital de Cirurgia, Hospital São José e o da Hapvida (arrendamento da Clínica São Domingos Sávio). Não estão incluindo o Hospital do Coração e a Clínica Santa Helena por serem de especialidades (cardiologia e obstetrícia respectivamente).

 

 No caso do Hospital São Lucas, um dos mais concorridos da chamada rede particular, grande parte dos médicos, ressalta o dinamismo, integridade, profissionalismo e humanidade de toda sua diretoria, quanto a quanto a tudo que se relaciona ao atendimento dos usuários. Não é preciso dizer que manter sua estrutura é muito onerosa e a carga tributária que as empresas sofrem para manter funcionários em número adequado faz com que qualquer empresário no país tenha que fazer inúmeras contas para manter seu “negócio”.

 

Em todos esses hospitais listados acima existem dificuldades em preencher as vagas de plantonistas. Especialidade básicas (clínico geral, pediatra, ortopedista e cirurgião geral) estão cada dia mais reféns da especialização que a medicina moderna exige. Pois bem, acredito que não há vilão nessa história e os “donos de clínicas” também têm amargado maus momentos.

 

Na opinião de vários profissionais da área, os planos de saúde representam um verdadeiro entrave nas relações comerciais (necessárias na nobre profissão de tratar o próximo) com sua relações de glosas (o não pagamento de faturas médicas), a utilização de tabelas defasadas, o atraso de repasses e, acredite se quiser, caro leitor: pagamentos a médicos credenciados com cheques sem fundo! Isso mesmo, sem fundo.Sem falar que o não credenciamento de alguns profissionais que retornam de residência médica com imenso prejuízo para os usuários que perdem a oportunidade de aumentar o leque de opções de tratamento com profissionais atualizados e praticantes de novas técnicas que, há alguns anos atrás, forçariam o usuário a viajar para nossa irmã Bahia ou o “sul maravilha” em busca  de ajuda.

 

Dentro desse quadro ainda poderiam ser acrescentados os tributos que são impostos às cooperativas médicas que prestam serviço aos referidos hospitais tornando os plantões em pronto-socorro pouco interessantes do ponto de vista de remuneração. É um assunto amplo, que estas mal traçadas linhas propõem abrir um debate limpo e transparente, sem questiúnculas pessoais ou corporativas. O objetivo deve ser guiado sempre tendo por objetivo o atendimento adequado e com responsabilidade dos enfermos que a cada madrugada procuram estes serviços em busca de saúde para eles e seus entes queridos. Está aberto o debate.

 

Obra do viaduto do DIA

No último sábado, 24, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), fez uma visita a obra do viaduto do DIA, ao lado do governador Marcelo Déda (PT). A obra do viaduto foi planejada na administração de Déda ainda na Prefeitura e, se não fosse pela polêmica dos pequenos espaços do estacionamento do Teatro Tobias Barreto e da Codise já estaria construída. A construtora Celi deve adotar os canteiros de jardinagem que ficam embaixo do viaduto. Na visita a atuação da Emurb, através de toda equipe, foi destacada pelo engenheiro Luciano Barreto. O interessante é que o viaduto é uma obra com uma visão moderna de circulação, através da ciclovia. Hoje, o governo estadual já está fazendo quase 10 quilômetros de ciclovias, na reforma da rodovia da Barra/Atalaia Nova e também na ponte do rio do Sal.

 

Qual o motivo que o Terminal do DIA não foi reformado?

Quando do início da obra do viaduto estava definida a reforma do Terminal do DIA, numa concepção moderna. Porém, a SMTT não realizou a obra e o viaduto será inaugurado com o terminal feito, com a pintura desgastada e tudo mais. Parece que o projeto de reforma estava pronto, mas o novo superintendente da SMTT, preferiu contratar outro. É mole?

 

Região Metropolitana terá Linha Vermelha

No próximo ano, o governador Marcelo Déda anunciará a construção da Linha Vermelha. Será uma grande rodovia, com ciclovia, ligando desde a Zona da Expansão no Aruana, passando pelo Santa Maria, pelos conjuntos Orlando Dantas e Santa Lúcia até chegar a São Cristovão, perto da UFS e do conjunto Eduardo Gomes. Outra rodovia será a continuação da Avenida São Paulo, chegando até a BR-235. Serão duas novas portas de entrada e saída para Aracaju. E mais: será construindo uma grande Central de Abastecimento.

 

Samarone tenta justificar calçada privatizada

Em conversa com este jornalista o superintendente da SMTT, tentou justificar a retirada de parte da calçada da rua Álvaro Silva, ao lado da Academia Sport Connection. Disse que a lei permite. O problema é que a rua é estreita e o estacionamento nos dois lados da via fica inviável. Com isso o pedestre será sacrificado ficando com um pedaço da calçada. É a inversão do projeto calçada livre. A coluna vai publicar uma foto mostrando como o local dificultará a vida dos pedestres. Aliás, tem um bar no mesmo trecho que após às 17h coloca mesas na calçada e de quebra ainda coloca cones na rua. É uma privatização total. Com certeza, se o prefeito Edvaldo Nogueira passar no local depois das 17h ele manda tomar uma providência. Ou não?

 

Ipes sem tratamento de reumatologia

Desde junho que os assistidos pelo Ipes Saúde estão sem tratamento de reumatologia. Tem paciente que faz tratamento há dois anos e não tem como pagar a consulta particular. Todos sabem que o portador de artrite não podem ficar sem atendimento. Sem falar em outras especialidades como dermatologia que também existe dificuldades para conseguir uma consulta.

 

Falta de diálogo no Banese

O presidente do Sindicato dos Bancários, José Souza depois de todo episódio que ocorreu na semana passada, dividindo opiniões, alertou que o principal foco do sindicato é a defesa e a luta dos interesses dos baneseanos. Os baneseanos, através do Sindicato, tentam há várias semanas negociar uma pauta com o Banese. Em 19 de outubro tiveram uma reunião com toda diretoria e de lá para cá, apenas mais uma com um dos diretores que não tinha delegação da presidência para decidir nada. A coluna vem recebendo diversas denúncias sobre perseguições no Banese. Está analisando todas para publicar um artigo nos próximos dias. Já tem gente com saudade de Jair Araújo… É mole? Este jornalista chegou a ser processado pelo então presidente…

 

Texto de Clóvis demonstra discriminação com Bope

Este espaço já elogiou alguns artigos do advogado Clóvis Barbosa, mas o que foi publicado no último domingo, no Jornal da Cidade demonstra uma discriminação com a polícia, mas de perto o Bope, do Rio de Janeiro.  O artigo, denominado “O capitão Nascimento, a Noite dos Cristais e o labelling approach”, é um primor na dialética filosófica e na retórica do certo e do errado, porém não se pode esperar uma polícia que entenda de filosofia para enfrentar os traficantes que comandam a maior parte das favelas cariocas. Não é função do Bope, prender os grandes. A função do Bope é conter rebeliões, subir morros e acabar com conflitos. Comparar o Bope com o trabalho da Polícia Federal é um erro. Pior ainda é comparar com um oficial nazista. O capitão Nascimento foi treinado para ser do Bope e não Policial Federal. É o mesmo caso do que comparar um advogado, que sempre atuou na chamada “porta de delegacia”, com o advogado Clóvis Barbosa. Cada um, em sua profissão tem sua função. E cada uma delas deve ser respeitada, na sua forma de atuação.

 

Carro na calçada não é multado

De um leitor: “Tem uma clínica dentária, na Rua de Campos, em frente ao número 616 (antigo restaurante), onde á profissional médica, ou seja, a dentista coloca o carro dele em cima da calçada, isto todos os dias, as pessoas tem que passar para o asfalto arriscando a sua vida. Não sei porque a SMTT até agora não resolveu este problema, é um absurdo o que acontece. Samarone, tome providências !!!!”

 

Campanha  “Quem dá esmola, não dá futuro”                                                                             

A coluna agradece os diversos pedidos de envio dos adesivos da campanha “Quem dá esmola, não dá futuro”. Todos os leitores que pediram receberão em suas casas nos próximos dias. A campanha é uma forma de apoiar outras, como a da Prefeitura de Aracaju, “Não dê esmola: dê cidadania”. Cada um tem que fazer a sua parte. Quem desejar receber o adesivo é só enviar o endereço para o e-mail: claudionunes@infonet.com.br

 

Conselheiro emprega, sem concurso, parentes no TCE

Parte de Matéria da FSP, de hoje, 26: Conselheiro vitalício do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo há quase 17 anos, Eduardo Bittencourt Carvalho, 65, mantém três filhas e um genro como funcionários nomeados em seu gabinete. Nem Bittencourt nem um funcionário dele nem o próprio tribunal confirmam se os quatro parentes efetivamente trabalham no órgão. Os respectivos salários também são mantidos em sigilo -apesar de as informações serem públicas. “Eu não sei [se trabalham no gabinete]”, diz o chefe-de-gabinete de Bittencourt, Marcos Renato Böttcher.

Vice-presidente do TCE, Bittencourt foi indicado para o cargo pelo ex-governador Orestes Quércia (PMDB) no início de 1991. Ainda nos anos 90, ele contratou, sem concurso, as filhas Cláudia, Carolina e Camila e o genro Adriano Mantesso.Os salários dos funcionários estão entre os mais altos do Estado. O conselheiro tem remuneração mensal de pelo menos R$ 30 mil. O salário inicial de agente de fiscalização é R$ 5.335,87. Já um auditor ganha o mesmo que um juiz de primeira instância, cerca de R$ 18 mil. Desconhecidos pelos funcionários do TCE, as três filhas e o genro de Bittencourt são citados com freqüência em diferentes edições do “Diário Oficial”. Há diversos registros de nomeações, promoções, férias e licenças-prêmios.

 

Colete usado por vaqueiros

De um leitor: “Acho que a Polícia Federal acertou na mosca quando batizou essa última operação na Bahia, em Sergipe e em Alagoas de “Jaleco”. É que o jaleco vem a ser também uma espécie de colete usado por vaqueiros do sertão nordestino para se proteger dos espinhos, os quais também costumam usar chapéu de couro para se proteger do sol inclemente. Pelo jeito, para algumas pessoas deste Estado, o jaleco rasgou e o chapéu furou, agora não tem couro grosso que resista à luz da justiça e ao fio da “Navalha II”. Vai ser um Deus nos acuda, haja Lexotan!!!!!!!”

 

COREN-SE: Nota de esclarecimento a imprensa I

A coluna recebeu o seguinte e-mail:  A Comissão Eleitoral do Conselho Regional de Enfermagem COREN-SE, entendendo a necessidade de esclarecimentos por parte de seus membros, a respeito do processo eleitoral que está acontecendo na instituição, comunica à Imprensa e a opinião pública em geral, pontos relevantes acerca da impugnação da CHAPA 2 encabeçada pela Sra Irene do Carmo Ferreira Alves, baseados no RELATÓRIO TÉCNICO CE/SE Nº 02/2007. A Comissão Eleitoral do COREN/SE, instituída pela Portaria COREN/SE Nº 007/2007, reuniu-se em 01 de novembro de 2007, objetivando lavrar o Relatório Técnico, exigido no artigo 19, do Código Eleitoral dos Conselhos de Enfermagem, aprovado pela Resolução COFEN Nº 209, publicada no DOU Nº 91, de 15/05/98. O presente Relatório Técnico, sob o Nº 02, refere-se a chapa que protocolizou pedido de inscrição, no dia 17/10/2007, que tem como representantes as Dras. Irene do Carmo Alves Ferreira e Farahide Diniz Porto Pereira, respectivamente representantes efetiva e suplente.

 

COREN-SE: Nota de esclarecimento a imprensa II

Continua o e-mail: Cabe aqui ressaltar, que esta Comissão teve que analisar, ao longo dos últimos dias, uma série de documentos. Contamos, neste período, com o apoio operacional de uma Assessoria Jurídica, especialmente contratada para nos apoiar, bem como de servidora administrativa, ambos designados pela Portaria COREN/SE Nº 008/2007. Pautamos nossos atos, pelo estrito cumprimento da Norma Eleitoral, de conformidade com as regras previstas na mesma, aliás como previsto no próprio Edital Eleitoral Nº 01, publicado em Jornais de Circulação Regional, no Estado de Sergipe, dia 08/10/2007. Abaixo, (a coluna não tem como publicar o extenso dispositivo que tomaria todo o espaço) reproduzimos alguns dispositivos do Código Eleitoral que, de pronto, entendemos como importantes na análise da matéria, in comento, ou seja: avaliação do deferimento, ou não, do pedido de inscrição que foi efetivado pelas Dras. Irene do Carmo Alves Ferreira e Farahide Diniz Porto Pereira, no dia 17/10/2007: Portanto, certo de estarmos cooperando com a democratização da informação visando alcançar ainda a democratização ao   processo eleitoral das eleições COREN-SE, que acontecerão em junho de 2008, agradecemos a atenção, estando à disposição para mais esclarecimentos. (Assessoria de comunicação do COREN-SE).

 

Frase do Dia

“A Guerra é justa quando necessária, e as armas são sagradas onde não há esperança senão nas armas”. Nicolau Maquiavel.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários