Seca de idéias

0

Entra ano e sai ano sem que sejam adotadas medidas preventivas para atender os sertanejos quando o verão chega. Logo que o inverno acaba, os mananciais começam a secar e o poder público tira do armário o velho e caro paliativo: os caminhões-pipa. Para obter recursos federais, os prefeitos se apressam em decretar situação de emergência e a reclamar que a ajuda é pouca e demorada. Existe, na verdade, uma seca de boas idéias para amenizar o secular problema da estiagem. Os nossos homens públicos até parecem a cigarra, que passa o verão cantando em vez de armazenar alimentos para sobreviver ao rigoroso inverno. Pior é que o sofrido sertanejo insiste em continuar votando nesses parasitas.

Caiu fora

Nossa Senhora das Dores está sem vice-prefeito. É que o médico Gilberto Santos (PT) renunciou ao cargo alegando que o prefeito Aldom Luiz (PSB) não honrou os compromissos assumidos durante a campanha eleitoral. Ele se queixa, por exemplo, do fato de a esposa não ter sido indicada secretária de Saúde conforme tinha prometido Aldom. Estranho que Gilberto só tenha descoberto que o prefeito não é de confiança, três anos depois da posse.

Boa grana

Os royalties relativos à extração de petróleo e gás natural em Sergipe fecharam 2011 com crescimento de 24,2% em relação a 2010. O valor total de royalties repassados de janeiro a dezembro do ano passado atingiu R$ 132,1 milhões. Os principais municípios sergipanos na extração de petróleo e gás natural (Carmópolis, Aracaju, Rosário do Catete e Japaratuba) concentraram 70%, ou R$ 92,7 milhões, do valor dos repasses em 2011.

Tá decidido

A depender da vontade do ex-deputado José Carlos Machado (PSDB), o ex-governador João Alves Filho (DEM) será mesmo o candidato da direita a prefeito de Aracaju. O tucano garante que só um problema muito grave pode impedir a candidatura do demista. Questionado se deseja ser o candidato a vice na chapa do DEM, Machadão pediu tempo, alegando que o parceiro de Alves Filho será escolhido na hora certa. Aguardemos, portanto!

Camaleão

O PSDB está mais para camaleão do que para tucano. Quem pensa assim é o deputado federal Almeida Lima (PPS). Ele disse que, de acordo com a circunstância, o partido de FHC usa a cor de Albano Franco ou a de João Alves Filho. “Por gratidão a João e ainda por vinculação a Albano, o PSDB sergipanos não tomou ainda a decisão que precisa tomar”, fustiga Almeidinha. Misericórdia!

Esconde o jogo

Perde tempo quem tenta confirmar com Belivaldo Chagas (PSB) se ele vai deixar a Secretaria estadual da Educação para substituir a conselheira do Tribunal de Contas, Izabel Nabuco, que se aposenta em fevereiro. Quando questionado sobre o assunto, ele salta de banda: “Este assunto não está em pauta, até porque ainda não existe a vaga no Tribunal de Contas”, diz. Político experiente, Chagas sabe que a hora é de esconder o jogo.

Mais carros

A venda de carros pequenos, comerciais leves, ônibus, caminhões e motocicletas em Sergipe totalizou 52.551 unidades em 2011, registrando um crescimento de 6,1% em relação a 2010. Naquele ano foram vendidas 49.511 unidades no Estado. Somente de veículos e comerciais leves as concessionárias sergipanas venderam 23.432 unidades em 2011, o que significa crescimento de 5,6% em relação a 2010.

Paga a conta

A Advocacia Geral da União (AGU) vai cobrar dos prefeitos que forem cassados os custos das novas eleições para substituí-los. Após o administrador ser julgado definitivamente, o Tribunal Regional Eleitoral vai acionar a AGU para que sejam tomadas as providências necessárias visando cobrar as despesas geradas pela convocação do novo pleito. É justo!

Polêmica legal

Uma lei que acaba com a distinção entre trabalho dentro da empresa e à distância já está gerando polêmica entre empregados e empregadores. Sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) no final do ano passado, a lei diz que o uso de celular ou e-mail para contato entre empresas e funcionários equivale, para fins jurídicos, às ordens dadas diretamente aos empregados. Ouvida pela Folha de São Paulo, a Confederação Nacional da Indústria revela que a lei somente regula o trabalho à distância.

Do Baú Político

No início do século passado, a Assembléia Legislativa aprovava até ajuda financeira para jovens sergipanos estudarem fora de Sergipe. Isso pode ser comprovado nos textos do intelectual e político estanciano Gilberto Amado. Como tantos outros estudantes, ele recebeu essa ajuda para se bancar no Recife enquanto estudava Direito. “O presidente do Estado, Josino Meneses, não gostava de meu pai e, como também antipatizava comigo, ampliou a pensão a outros jovens sergipanos, principalmente a um de quem afirmava ter tanto ou mais merecimento do que eu. Essa pensão de oitenta mil réis por mês, se bem me lembro (que de resto foi logo suspensa por iniciativa minha, assim que dela não mais precisei no ano seguinte), confirmava o que dizia meu pai sobre o presidente do Estado.”, escreveu um queixoso Gilberto Amado, que foi deputado federal e senador por Sergipe, além de embaixador no Chile e delegado do Brasil na ONU.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais