Abastecimento no Alto Sertão só deve ser regularizado no fim de semana

0

Moradores de Poço redondo invadiram sede da Deso em protesto
Os problemas de falta de água que atingem o Alto Sertão sergipano estão diretamente ligados às deficiências no fornecimento de energia para aquela região. Isso é o que aponta o assessor de comunicação da Companhia de Abastecimento de Sergipe (Deso), Fernando Fontes. Em algumas cidades, como Poço Redondo e Pinhão, a população enfrenta problemas há pelo menos 60 dias.

Na última segunda-feira, 4, moradores de Poço Redondo invadiram a sede da Deso no Município em protesto às deficiências no abastecimento que também havia atingido mais oito cidades – Frei Paulo, São Miguel do Aleixo, Porto da Folha, Monte Alegre, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora de Aparecida e Pedra Mole. A causa principal, de acordo com o assessor da Deso, foi uma falta de energia que durou quase 30 horas, em Porto da Folha, o principal ponto da Adutora do Alto Sertão, entre os dias 31/12 e 1º/01. “Até o dia 2, faltou energia pelo menos 25 vezes. E ainda há uma manutenção programada pela Energisa hoje”, disse.

Quando ocorrem problemas desse tipo, conforme explicou Fontes, a água demora a

Frei Enoque também reclamaou das faltas de energia / Foto: Arquivo Infonet
circular por conta da extensão da rede (cerca de 200km), um processo meramente técnico. A cada falta de energia, a demora aumenta. Ainda segundo ele, a Energisa recomendou que a Deso fizesse o uso de geradores, para que o abastecimento não fosse prejudicado. Hipótese refutada pela Companhia, principalmente pelos altos custos. “Assim como nossa obrigação é fornecer água, a da Energisa é fornecer energia”, critica.

Enquanto a situação se regulariza – a previsão é de que até o final desta semana, todas as cidades estejam com o abastecimento regularizado – haverá um rodízio entre os Municípios, compromisso firmado pelo próprio presidente da Deso, Max Montalvão, em visita àquela cidade.

O prefeito de Poço Redondo, Frei Enoque (PSB), confirma que a cidade também enfrenta problemas com o abastecimento de energia. Segundo Enoque, no povoado Santa Rosa do Ermídio – o maior do Município e um dos maiores do Estado, com população estimada em seis mil habitantes – a população já chegou a ficar quatro dias sem eletricidade. “Na última segunda, dia em que ocorre a feira, faltou pela manhã e o religamento só aconteceu por volta das 16h30. Quando se liga para o 0800, não adianta muito, até porque a base da Energisa mais próxima daqui fica em Nossa Senhora das Dores”, conta o prefeito.

Já a Assessoria de Comunicação da Energisa atribuiu os problemas de falta de energia às fortes chuvas, acompanhada de ventos, que vêm caindo naquela região. Um levantamento está sendo feito pela empresa para apurar todas ocorrências a partir do dia 15 de dezembro até a presente.

Obras na adutora do São Francisco foram finalizadas
Rodízio em Aracaju

Está completamente descartada a possibilidade de rodízio de água na capital neste verão. Ao contrário de 2008, Fernando Fontes disse que o nível do Rio Poxim está satisfatório e que as obras na Adutora do São Francisco já foram finalizadas, o que também dará um acréscimo importante ao fornecimento.

Quanto à falta de água em alguns bairros da Zona Norte, a informação é de que os problemas ocorrem por conta de diversos motivos. “Às vezes é até um rompimento na rede que motiva o desligamento. Ou, em algumas ocasiões, o incidente ocorre durante a madrugada e o conserto só pode ser realizado pela manhã”, explicou.

Por Diógenes de Souza e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais