Audiência pública em Itabaiana discute questão de protéticos irregulares

0

Foi realizada nesta terça-feira, 11, em Itabaiana, uma audiência pública entre o Ministério Público Estadual (MPE), o Conselho Regional de Odontologia (CRO) e a vigilância sanitária da cidade com o intuito de discutir a questão dos protéticos e dentistas irregulares que atuam no município.

 

O promotor de justiça da comarca, Emerson Andrade, propôs Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que pede ações que coíbam as irregularidades. No prazo de 24h, os protéticos que também atuam como dentistas terão que retirar todos os equipamentos de odontologia e parar de atender ao público. “Eles devem trabalhar apenas prestando assistência a dentistas”, esclarece Augusto Tadeu, presidente do CRO.

 

Um outro prazo, de 30 dias, foi estabelecido para que essas pessoas realizem um cadastro no Conselho. Para tanto, terão que apresentar um cirurgião dentista, odontólogo ou técnico em prótese como responsável pelo laboratório. Eles também deverão se inscrever, no prazo máximo de 90 dias, em cursos técnicos de formação para protéticos.

 

“Enquanto estiverem no curso, que dura em média dois anos, eles poderão trabalhar no laboratório, desde que o mesmo esteja registrado e com a supervisão de pessoa também registrada”, explica Augusto Tadeu.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais