Caso Laysa: DAGV funcionará 24h após crime contra transexual

0
Local atende público vulneráveis (Foto: arquivo Portal Infonet)

A assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou na manhã desta terça-feira, 23, que a Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) começou a funcionar em regime de plantão, atuando 24h, de segunda a segunda.

A mudança aconteceu após reunião entre o secretário de Segurança Pública, João Eloy, e militantes da causa LGBTQ, realizada na última segunda-feira, 22. De acordo com a SSP, a demanda foi solicitada pelo grupo após o assassinato da transexual Laysa Fortuna, ocorrido na quinta-feira, 18.

Reunião entre SSP e militantes LGBTs aconteceu ontem (Foto: SSP)

Segundo a SSP, uma equipe específica de agentes, escrivães e delegados treinados para agir em crimes contra mulheres, negros, idosos e demais públicos vulneráveis passarão a atuar no local.

Entenda

Laysa Fortuna foi atacada na noite da quinta-feira, 18, entre as ruas Estância e Itabaiana, no centro da cidade de Aracaju. A transexual acabou não resistindo e indo a óbito na sexta, 19, no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

O homem, identificado como Alex da Silva Cardoso, foi preso em flagrante, mas o delegado plantonista confeccionou um Termo de Ocorrência Circunstanciado, considerando o crime como ameaça, com lesão corporal de natureza leve. Com isso, o suspeito obteve o direito de ser solto e responder em liberdade.

O caso foi encaminhado ao Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) e a delegada Meire Mansuet, entendendo que houve uma tentativa de homicídio, pediu ao Poder Judiciário que decretasse a prisão do acusado.

Alex foi detido no sábado, 20, mesmo dia em que o corpo da vítima foi sepultado, no Cemitério São João Batista.

Laysa Fortuna foi esfaqueada no dia 18(Foto: Linda Brasil)

por Yago de Andrade

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais