Deso investe em recursos humanos

0

Evento presidido por Max Montalvão/Foto: Ascom Deso
A Deso inaugurou nesta quinta-feira, 20, as novas instalações do Serviço Social do setor de Atenção à Saúde do Empregado. Após a bênção do espaço físico feita pelo padre Rinaldo Rezende, foram assinados nove convênios com clínicas, hospitais e atendimento psicológico e o contrato do Programa Deso Aprendizes com o Centro de Integração Escola Empresa (CIEE), visando oferecer oportunidade de profissionalização para adolescentes de famílias que possuem baixa renda.

Para o presidente da empresa, Max Maia Montalvão, o novo espaço do Serviço Social é uma conquista dos funcionários. “Vamos continuar trabalhando para melhorar a cada dia as condições de trabalhos de todos o que fazem essa empresa, pois isso resulta em mais satisfação e, conseqüentemente, na prestação de um melhor serviço aos sergipanos”, frisou. Max ressaltou que as ações desenvolvidas pela Deso são fruto do apoio e da liberdade que o governador Marcelo Déda dá à diretoria da estatal. Para ampliar ainda mais o atendimento no setor de Atenção a Saúde do Empregado, foram assinados nove novos convênios com clinicas, hospitais e consultório médico.

Adolescentes Aprendizes

O Programa Adolescente Aprendizes Deso objetiva  oferecer profissionalização, na área administrativa, para adolescentes entre 16 e 18 anos, inserindo-os, na condição de aprendizes. “Estamos criando oportunidades para os jovens e investindo na inclusão social através do aumento da empregabilidade”, explica Max Montalvão. O jovem candidato a aprendiz tem que está matriculado e freqüentando regularmente a escola do ensino médio e possuir baixa renda familiar. Foram selecionados 29 jovens. A jornada de trabalho é de quatro horas por dia e as férias devem coincidir com as férias escolares.

Sob orientação e supervisão direta, os aprendizes vão realizar funções simples e rotineiras, de pequena responsabilidade, autonomia e complexidade, de apoio administrativo às atividades gerais em todas as unidades da Deso. O contrato é de dois anos e o aprendiz tem todas as garantias trabalhistas asseguradas.  “Ao aderir uma ação pró-ativa dessa envergadura, a Companhia abre oportunidades de trabalho destinadas aos adolescentes aprendizes, possibilitando-lhes o desenvolvimento das competências básicas para o trabalho e cidadania, explica Isabel Cristina Alves, gestora da Unidade Estratégica de Recursos Humanos.


 

Comentários