Dia da Conciliação reúne dezenas de pessoas

0

Várias pessoas tentaram solucionar os conflitos durante o evento (Fotos: Portal Infonet)
Está acontecendo durante toda esta terça-feira, 19, na 12ª Delegacia Metropolitana de São Cristóvão, o Dia da Conciliação. A iniciativa é do delegado Ronaldo Marinho em parceria com a Defensoria Pública, Departamento de Grupos Vulneráveis, Prefeitura e Conselho de Defesa do Direito da Mulher. Dezenas de pessoas compareceram ao local no período da manhã visando resolver conflitos e evitar que os casos sejam encaminhados à Justiça.

Segundo o delegado Ronaldo Marinho, é a segunda vez que a Delegacia de São Cristóvão realiza esses serviços. “Na primeira vez, em junho deste ano, nós conseguimos atender cerca de 100 pessoas. Geralmente são problemas de violência doméstica e crimes contra a honra, vias de fatos, brigas de vizinhos, que

Delegado Ronaldo Marinho: “Ofensa verbal pode desencadear em um crime”
podem ser solucionadas sem precisar ir para a Justiça e passar em média 180 dias até uma decisão final, por conta das intimações, audiências”, explica o delegado.

Para ele, a conciliação é uma oportunidade útil para a comunidade. “É um espaço que a comunidade tem a oportunidade de obter uma solução mais rápida para os problemas. Muitas vezes uma ofensa verbal por causa de discussões na vizinhança ou na própria família, brigas de trânsito, pode desencadear em um crime grave”, acrescenta.

“Aqui nós contamos com o apoio da prefeitura, que nos cedeu uma tenda e o lanche, os carros da Defensoria Pública e do Departamento de Grupos Vulneráveis, a parceria com o

Valdione Sá: “É um avanço no município”

Conselho de Defesa do Direito da Mulher”, enfatiza Marinho.

Prefeitura

O chefe de gabinete da Prefeitura de São Cristóvão, Valdione Sá, acompanhou os trabalhos na Delegacia na manhã desta terça-feira e comemorou o sucesso da iniciativa. “É um avanço muito grande aqui no município de São Cristóvão, onde as pessoas poderão minimizar os conflitos, solucionando as pequenas questões, porque as maiores vão para o Judiciário. Aqui o delegado chama as partes para o acordo”, diz.

Por Aldaci de Souza

 

 

Comentários