Governo cederá terrenos para construção do viaduto do DIA

0

Obras do viaduto são necessárias, declara governador
O Governo do Estado irá assinar convênios com a Prefeitura Municipal de Aracaju liberando terrenos necessários para a construção do viaduto do Distrito Industrial (DIA). “Esta obra sofreu todo tipo de contestação, mas ela é indispensável para Aracaju”, diz o governador Marcelo Déda.

Ele ressaltou que atualmente passam 90 carros por minuto nos horários de pico, das 6h às 9h da manhã e das 17h às 19h. “E a PMA optou até pela obra mais cara, porque a outra opção seria um viaduto parecido com o do Francisco Porto que diminuiria a visibilidade do TTB”, diz.

O governador e o prefeito da capital, Edvaldo Nogueira, se reuniram na manhã de hoje, 3, e decidiram pela parceria da obra. “Solicitei que o procurador Geral do Estado e os secretários de Indústria e Comércio, Cultura formalizem os termos de convênio para liberação do terreno”, explica.

A formalização do convênio em que o governo estadual cederá cinco metros do terreno baldio da Codise e nove metros do estacionamento do Teatro Tobias Barreto (TTB) para a construção o viaduto do DIA.

A obra foi iniciada ainda na gestão de Marcelo Déda enquanto prefeito e tomou corpo na administração de Edvaldo Nogueira. Apesar de estar bastante avançada nos lados do supermercado Extra e do terreno da Igreja Universal do Reino de Deus, a construção estava mais lenta nas áreas da Codise e do TTB porque o ex-governador João Alves Filho havia se recusado a ceder os terrenos a despeito da comprovação da viabilidade técnica do projeto apresentado pela Prefeitura de Aracaju.

Do lado da Codise, cinco metros de terreno serão necessários para criar o desvio de tráfego de veículos entre as avenidas Tancredo Neves e Heráclito Rolemberg, o que permitirá a elevação dos pilares que já estão prontos no subsolo.

No TTB, a Prefeitura vai utilizar nove metros do estacionamento para criar um outro desvio e isso inclui também a calçada para pedestres. Num primeiro momento 20 vagas serão eliminadas, mas novas 70 serão construídas embaixo do viaduto.

O novo viaduto vai desafogar o intenso tráfego de veículos e organizar o trânsito entre as avenidas Adélia Franco e Heráclito Rollemberg, que ligam a cidade de norte a sul, e a avenida Tancredo Neves, que passa pela interseção delas, ligando a entrada da capital à avenida Beira Mar.

Bairros populosos como o Orlando Dantas, Santa Maria, Atalaia, conjunto Augusto Franco e a zona de expansão da Aruana, que inclui milhares de novas famílias moradoras do Programa de Arrendamento Residencial (PAR), serão beneficiados.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais