Inquérito concluiu que criança era abusada pelo avô há três anos

0
De acordo com a polícia, o crime foi praticado de forma continuada (Foto: Pixabay)

A Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis de Lagarto (DAGV) concluiu o inquérito policial sobre o estupro de uma criança de 10 anos, abusada de forma continuada mediante ameaças desde os seus sete anos pelo seu avô. O autor do crime é um homem de 49 anos. A autoridade policial representou pela prisão preventiva, que foi decretada pelo Judiciário de Lagarto.

Conforme apurado nas investigações policiais, o suspeito cometia os abusos às escondidas e a família não desconfiava, até que a criança conseguiu contar, depois de sofrer ameaças por anos.

A vítima foi ouvida em depoimento especial gravado em áudio e vídeo em que contou de forma detalhada como o seu avô praticou o crime considerado hediondo contra a dignidade sexual.

O laudo pericial do Instituto Médico Legal (IML) constatou o crime. O indiciado fugiu para outro estado quando o crime veio à tona na família, mas com a decretação de sua prisão e após saber que estava sendo procurado entregou-se à polícia e poderá ser condenado a uma pena de 8 a 15 anos de reclusão.

“É importante divulgar esse tipo de prisão para que a vítima ou seus familiares tenham coragem de procurar a Polícia Civil. Esse crime tão grave não pode ficar impune. Nem todos os casos deixam marcas físicas, mas mesmo sem vestígios materiais a palavra da vítima tem uma relevância especial, pois é um delito cometido às escondidas” disse a delegada da DAGV de Lagarto, Marcela Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais