Jardim do Éden: mais um acusado se entrega à polícia

0
Operação prendeu seis pessoas (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Mais um suspeito do grupo preso na operação Jardim do Éden se entregou à Polícia Civil. Conforme o combinado, Saulo Amaral Costa se apresentou ao Departamento de Narcóticos na manhã desta quinta-feira, 30. O acusado remanescente, Lucca Shunk Lins Moura garantiu que iria à delegacia voluntariamente ainda hoje.

Na última quinta-feira, 29, quatro se entregaram: José Alberto Araújo Filho, Pedro Cerqueira Maynard Wendel, Pedro Alves Vieira e Wainer Schweter Ganda. Dois deles aguardam vagas e outros dois já foram encaminhados ao sistema prisional. Saulo está custodiado na delegacia.

Os acusados haviam sido beneficiados com o direito de aguardar o julgamento em liberdade, mas a liminar foi cassada pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) na última terça-feira, 28, durante o julgamento de mérito dos habeas corpus impetrados pelas defesas.

Ao Portal Infonet, os advogados dos réus já anunciaram que podem contestar as decisões tanto no próprio Tribunal de Justiça e quanto no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Jardim do Éden

Desencadeada pelo Denarc, a operação ‘Jardim do Éden’, visava desarticular uma associação criminosa que atuava com a comercialização de entorpecentes e drogas sintéticas em festas da capital.

O trabalho foi feito em conjunto com a Polícia Civil de Santa Catarina, de onde as drogas eram enviadas pelos correios. Em diversos eventos atuavam esses seis homens, que pertencem à classe média do Estado.

A operação foi batizada de ‘Jardim do Éden’ porque um dos investigados alegava que Aracaju  é um paraíso para comercializar drogas sintéticas, devido ao grande consumo desse tipo de entorpecente em festas, principalmente as eletrônicas.

Por Victor Siqueira

Comentários