Mais de 1,6 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas em Sergipe

0
Defesa Civil contabiliza os estragos das chuvas em Sergipe (Foto: ASN)

Dados divulgados nesta quarta-feira, 17, pela Defesa Civil indicam que 1.670 foram afetadas diretamente pelas chuvas em Sergipe. De acordo com a Defesa Civil, 19 municípios sofreram consequências preocupantes, deixando 956 pessoas desalojadas e outras 714 desabrigadas. Pela estatística da Defesa Civil, duas pessoas morreram [uma em Estância e outra em Porto da Folha] e uma permanece desaparecida [em Itaporanga D´Ajuda].

Pelos cálculos da Defesa Civil, 220 casas ficaram danificadas e outras 75 foram destruídas pelas chuvas nestes 19 municípios mais afetados pelos efeitos das inundações registradas na semana passada.

Conheça a situação de cada município afetado neste link.

Situação de emergência

A Defesa Civil Estadual emitiu parecer pela homologação da situação de emergência decretada por mais três municípios sergipanos em consequência dos estragos causados pelas chuvas ocorridas na semana passada em Sergipe, além do município de Riachuelo que já está apto a receber mais de R$ 600 mil do Governo Federal. Até o momento, apenas a situação de emergência de Riachuelo foi reconhecida pelo Governo Federal, mas há outros decretos municipais que ainda estão sendo avaliados pelo Governo do Estado.

No último balanço realizado nesta quarta-feira, 17, conforme informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Inclusão Social, a Defesa Civil emitiu pareceres pela homologação dos decretos de situação de emergência assinados pelos prefeitos dos municípios de Japaratuba, Santa Rosa de Lima e Rosário do Catete.

Conforme a assessoria da Secretaria de Inclusão Social, o município de Salgado também decretou situação de emergência nesta quarta-feira, 17, em decorrência dos efeitos das chuvas, mas a Defesa Civil ainda não se manifestou, está analisando se as condições no município estão inclusas nos critérios legais para a homologação do decreto municipal.

Cada parecer da Defesa Civil está sendo encaminhado para o governador Belivaldo Chagas, que dará seu aval para homologar [ou não] os decretos municipais e, apenas depois desta fase, a situação de emergência poderá ser ou não reconhecida pelo Governo Federal.

por Cassia Santana

Comentários