Operação termina com seis pessoas presas

0

Seis pessoas foram presas em Itabaiana (Foto: Portal Infonet)
Dando continuidade ao trabalho de investigação começado em setembro de 2010, policiais civis, com o apoio do Grupamento Tático Aéreo (GTA), realizou na manhã desta quinta-feira, 23, uma operação denominada “Anjos de Pedras 2”, coordenada pelos delegados Fábio Pereira e Hugo Leonardo, na cidade de Itabaiana.

Operação

De acordo com o delegado Hugo, a operação começou com um intensivo trabalho de investigação. “Nós infiltramos policiais dentro da invasão com a intenção de colher todas as provas materiais com antecedência, já que no momento das prisões a gente não consegue pegar muita droga, já que ela é bastante volátil, circulando com muita rapidez”, explica.

Delegado Hugo Leonardo diz trabalho começou em setembro (Foto: Portal Infonet)
Após documentar todas as provas, os delegados solicitaram os mandados de prisão e apreensão, além dos mandados de buscas. “O trabalho de investigação é grande, já que colhemos vídeos, fotos, drogas que precisam ser encaminhadas para a perícia, para exames e só depois de todas as provas solicitamos junto a justiça os mandados”, pontua Hugo.

Mandados

Com os mandados em mãos, 90 policiais efetuaram durante o final da madrugada e início da manhã seis prisões e uma apreensão no bairro Luiz Conceição, mais conhecido como ‘Invasão’. “Dos 11 mandados de prisão nós cumprimos oito, sendo que um dos envolvidos era menor e será pedido a internação. Além dos 90 policiais, 13 delegados estiveram envolvidos diretamente na operação”,

Delegado Fábio Pereira diz que 13 delegados estiveram envolvidos na operação
relata o delegado Fábio Pereira.

A polícia conseguiu prender Alisson Marcelo de Jesus, 20 anos, conhecido como Alissinho; José jailson Almeida da Silva, 29 anos, conhecido como Gago; Alessandro Santos Marciel,24 anos, vulgo ‘Gordinho’, Alan Santos Santana,20 anos; Antônio Carlos Santos Correia, 34 anos, conhecido como ‘Gordo’ e Edvaldo dos Santos Silva, vulgo ‘Sinval’ de 40 anos.

Os delegados ainda explicaram que três pessoas estão foragidas, inicialmente identificadas conmo “Cruel”, “Kevinho” e Daniel de Jesus, que conseguiram se evadir do local, antes da chegada dos policiais.

Frank (Superior esquerda) morreu na troca de tiros. Cruel, Kevinho e Daniel estão foragidos

De acordo com a polícia “Cruel” é forte distribuidor de crack,que recebe drogas em quantidade de um fornecedor maior (até agora desconhecido) e a distribui a traficantes menores.

Ainda de acordo com a polícia, Daniel é um traficante intermediário, mas que tem dois distribuidores(“aviões”). O traficante tem uma moto marca Yamaha e uma motoneta, marca Shineray,ambas de cor vermelha, que são utilizadas para o tráfico .

Segundo os delegados ‘Kevinho’ também é  traficante intermediário, já que se supre através do ‘Gordo’ e ‘Cruel’.

Troca de tiros

Segundo o delegado Fábio Pereira, durante a operação Frank Jesus de Lima, 20 anos, acabou morrendo. “Nós chegamos à residência e encontramos, ele e uma mulher, na cama, então os policiais pediram para ela sair e para que ele se levantasse. No momento em que ela saia da cama ele se virou e pegou uma arma embaixo do colchão e disparou contra os policiais, que r

Duas motos foram apreendidas (Foto: Portal Infonet)
eagiram e acabaram matando Frank”, revela o delegado Fábio.

Segundo os delegados, a vítima ainda chegou a ser encaminhada ao Hospital de Itabaiana, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) foi acionada para resgatar o corpo.

Apreensão

Com os sete detidos a polícia ainda encontrou certa quantia em dinheiro, que de acordo com o delegado deverá ser contabilizada até o final da manhã, além de duas motos e pequenas quantidades de drogas. “Estamos fazendo todo o levantamento do que foi apreendido, vamos ouvir ainda algumas pessoas e apenas a tarde teremos o valor exato em dinheiro”, explica Fábio.

Um revolver, dinheiro e drogas foram apreendidos (Foto: Portal Infonet)
Anjos de Pedra

Segundo as informações dos delegados, a primeira operação aconteceu porque o tráfico na região envolvia crianças e adolescentes, que revendiam drogas, em especial o crack, pela quantia de R$ 10. Cada criança ou adolescente recebia dos traficantes a quantia de R$ 1 por cada pedra vendida. “Nós realizamos aquela operação e o menor que na época foi apreendido já está solto vendendo drogas novamente. Por isso é que esses traficantes buscam envolver os menores, já que logo eles são soltos e voltam ao crime”, ressalta o delegado Hugo Leonardo.

Por Alcione Martins

*Matéria  atualizada às 13h03 para acréscimo de informação

Comentários