Pesquisa de sindicato denuncia superfaturamento pela Seed

0

Joel Almeida denuncia superfaturamento
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) detectou em pesquisa que os preços de itens da merenda escolar comprados pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) no governo anterior estão com os preços acima dos praticados nos supermercados da capital.

A pesquisa surgiu depois de o sindicato averiguar as planilhas de preço fornecidas pelo Departamento de Alimentação Escolar (DAE) ao Conselho Estadual de Alimentação Escolar.

Para o Sintese há indícios fortes de que além de os alimentos não chegarem às escolas houve superfaturamento na compra. “É muito estranho encontramos tamanha disparidade de preços. Como achar normal encontrar nos supermercados que vendem no varejo preços menores que os vistos no pregão eletrônico onde os produtos são vendidos no atacado”, questiona o presidente do Sintese Joel Almeida.

Os indícios de superfaturamento vêm após a denúncia de desvio de 123 toneladas de carne bovina tipo bife e músculo feita pelo Sintese e pelo CAE. “A situação da merenda escolar em Sergipe fica cada vez mais grave, primeiro o desvio de carne agora indícios de desperdício de dinheiro. Se soluções drásticas não forem tomadas, os alunos da rede pública estadual podem ficar sem merenda escolar no ano de 2007”, afirma Joel.

A pesquisa

A pesquisa foi realizada nos últimos dias 4 e 5 de janeiro nos supermercados G. Barbosa Atacado, Extra, Bompreço e Makro. Foram pesquisados 24 itens e os valores comparados com os preços adquiridos pela Seed através de licitação. De acordo com a pesquisa, há casos em que a diferença de preço chega próximo aos 380%.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais