“Plenário”, por Diógenes Brayner

0

Cansados de esperar A grande discussão do país, neste momento, é a fome. Há uma preocupação (para não dizer vergonha) generalizada, que tomou conta de segmentos da sociedade, em conseguir formas de se encontrar o melhor caminho para reduzir essa situação de um índice alto de brasileiros que não tem o que comer. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), como um cidadão que tem uma visão ampla da situação do Brasil, principalmente do Nordeste, voltou a defender a inclusão do alimento entre os direitos sociais previstos no Antigo 6º da Constituição Federal. A proposta de Emenda à Constituição, de sua autoria, já foi aprovada no final do ano passado, por unanimidade, pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal e no próximo mês será submetida a plenário. Antônio Carlos Valadares entende que sua proposta contém as aspirações de todos aqueles que, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, desejam erradicar a pobreza, extinguir a miséria e fazer Justiça Social. O senador considerou relevante que a posse do presidente da República tenha devolvido ao debate nacional a discussão sobre a fome. Valadares destacou que no Brasil, um terço da população é mal nutrida e 9% das crianças morrem antes de completar um ano de vida. Ele relembrou dados de uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas que mapeou a fome no Brasil, constatando que existem 50 milhões de miseráveis e que 29,3% têm renda inferior a 80 reais per capita”. O senador destacou o empenho e compromisso do presidente Luís Inácio Lula da Silva para resolver essas questões prioritárias e citou como o passo mais importante o projeto da fome zero. O senador Valadares, realmente, está preocupado com uma solução definitiva para o problema da fome. Isso se estende, como já comentamos, a segmentos importantes da sociedade, mas hoje, não se pode negar, há uma certa frustração com o Governo do presidente José Inácio Lula da Silva, que fez promessas excessivas e incabíveis a um povo carente de esperança. O Partido dos Trabalhadores não pode se arvorar de ter feito um presidente. Ocasionalmente, Lula é seu filiado. A população caiu na receita mais triste de ilusões e transformou Lula numa onda nacional. Foi um fenômeno idêntico ao ex-presidente Fernando Collor de Melo, que explodiu em todos os segmentos sociais, com o engodo do caçador de marajás. Se analisarmos bem, Lula foi fruto de um projeto de marketing bem articulado, voltado apenas para elege-lo. Projeto que saiu da cabeça de um marqueteiro habituado a fazer nomes enganando o eleitorado. Foi esse mesmo cidadão que orientou, durante muito tempo a direitona. Esteve com Paulo Maluf, colaborou com a imagem de Fernando Henrique Cardoso e não modificou o seu estilo quando assumiu a campanha de Lula. Até pelo contrário: modificou o candidato petista, que sempre perdeu com dignidade, mas que agora se elegeu jogando às favas sua identidade. Foi uma campanha de muitas promessas imediatistas, impossíveis de coloca-las em prática com a rapidez que ele anunciava. E a população acreditou. Agora já sabe que não terá o salário ideal para sobrevivência, que o Plano Fome Zero só se movimentou, no momento, apenas para repassar 30 mil reais a flagelados do Piauí, pagando 30 reais a cada pessoa, enquanto a inflação explode, os juros passam dos limites, o dólar vai à lua e a perspectiva de se encontrar uma saída fica cada vez mais difícil. A população começa a entrar no desespero, porque o aumento do desemprego é inevitável e a perspectiva de melhora é para muito longe. O Governo está absolutamente perdido, exatamente porque houve uma precipitação do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva, em cantar soluções milagrosas. Hoje se percebe que ele estava completamente desinformado da situação do país. É verdade que até o momento não explodiu sinais de corrupção, mas já aconteceu caso que não ocorreria no PT oposição, que foi a negociação para que não se levasse o caso da participação de Antônio Carlos Magalhães, no crime de grampo de telefones na Bahia, à Comissão de Ética do Senado. É bom torcer para que o PT acerte, mas já dá para se ver que o presidente eleito não tinha o menor conhecimento da realidade brasileira, como fez crer em suas aparições no programa gratuito de televisão. Lula é fruto de um marketing. Um marketing preparado para eleger a direita e caiu no projeto como um sapinho, que está de olhos esbugalhados pelas dificuldades que vem encontrando para dar um rumo a esse Brasil cansado de ter esperanças… EDUCAÇÃO Por iniciativa da primeira dama Maria do Carmo Alves, um professor de São Paulo virá a Sergipe para fazer palestras sobre Educação Afetiva. Serão direcionadas às professoras do Estado e o trabalho tem o objetivo de combater a violência através da Educação e do bom relacionamento entre professor e aluno. CARNAVAL O governador João Alves Filho e a primeira dama Maria do Carmo Alves desistiram de viajar durante o carnaval. Vão passar em Sergipe. Os dois vão prestigiar o carnaval nas cidades de Barra dos Coqueiros, Pirambu e Neópolis. Também descansa na Fazenda Jundihay. NICODEMOS O secretário geral do Governo, ex-deputado Nicodemos Falcão, está sem gabinete no Palácio dos Despachos. Para encontra-lo, só através do telefone celular, como informou uma secretária. A sala de Nicodemos foi ocupada, provisoriamente, pela vice-governadora, que está com seu gabinete em reforma. SALVADOR A quinta-feira foi boa para o camarote de Sergipe no corredor da folia em Salvador. A maioria dos trios pára e fala no São João do Estado e no nome do governador João Alves Filho. A cantora Ivete Sangalo falou muito bem de Sergipe… Ontem, em cima do trio elétrico Eldorado, os cantores Rogério e Amorosa circularam todo o percurso da folia cantando forró e convocando o povo para o São João de Sergipe. ALBANO O ex-governador Albano Franco (PSDB) ainda não decidiu, mas está pensando em retornar a Sergipe no final de março. A ex-primeira dama Leonor Franco continua em Maceió e só vai viajar a Paris, onde se encontra o marido, quando o neto completar seu primeiro mês. VALADARES O senador por Sergipe, Antônio Carlos Valadares (PSB), voltou a defender a inclusão do alimento entre os direitos sociais previstos no artigo 6º da Constituição Federal. A proposta de emenda à Constituição, de sua autoria, já foi aprovada no final do ano passado, por unanimidade, pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal e no próximo ano vai a plenário. REUNIÃO Vereadores de Sergipe fizeram reunião, quinta-feira, no Hotel Fazenda Boa Luz, com o objetivo de criar a União de Vereadores Sergipanos (UVS). O objetivo da entidade é promover uma maior integração entre os vereadores, que ainda não têm uma representação forte ao nível de Estado. REFINARIA O presidente do Tribunal de Justiça, Pascoal Nabuco, está levando o Poder Judiciário a também se engajar na luta em favor da instalação da Refinaria em Sergipe. Pascoal Nabuco considera a obra extremamente importante para o desenvolvimento do Estado e acha que é dever, de todos os segmentos, entrar nessa luta. COM MIRO O deputado João Fontes esteve com o ministro das Comunicações. Miro Teixeira (PDT), sozinho. Foi pedir para que ninguém da Bahia ocupasse a direção dos Correios em Sergipe. Quando conversam, Miro Teixeira ligou para o senador José Almeida (PDT) para tratar do assunto e ouviu uma ratificação da posição de Fontes, “que é a mesma de todos os sergipanos”. SEGURANÇA A sociedade está começando a cobrar do Governo do Estado, que seja mais enérgico no setor de segurança pública. Os ladrões estão gozando da cara dos policiais… Houve aumento da criminalidade e da ousadia, pois levar um caixa eletrônico de uma Secretaria, em uma cidade como Aracaju, realmente é brincadeira… PROJETO O deputado federal João Fontes (PT) está pensando em apresentar projeto de lei para cassar o político que fez promessas durante a campanha e não cumpriu. Bom, se este projeto já estivesse em vigor a maioria dos atuais eleitos já estaria sem mandato, inclusive o próprio presidente Lula da Silva. DISCUSSÃO João Fontes vai procurar reunir com sindicatos, entidades políticas e econômicas, para discutir a situação do país e ver como o pessoal está vendo o atual Governo. João diz que há muita preocupação de segmentos que apoiaram Lula, mas se anima porque a maioria está querendo ajudar. SEGURO A viúva do deputado estadual Joaldo Barbosa, médica Edla Cruz, já recebeu R$ 130 mil, referente ao seguro da União Nacional dos Legislativos (Unale). Edla deveria ganhar mais de R$ 300 mil e isso não aconteceu porque alguns deputados não foram eleitos e os novos ainda não haviam se filiado à entidade. SUSANA A deputada Susana Azevedo (PPS) disse, ontem, que vai movimentar o partido em Aracaju, saindo pelos bairros e fazendo palestras nas entidades de classe. Susana acha que é fundamental a unidade do partido e aqueles que não desejam trabalhar que se afaste e procure outra sigla. Notas COMISSÃO Já na primeira sessão depois do Carnaval, os partidos deverão indicar os integrantes da comissão que vai acompanhar as investigações sobre o assassinato do deputado Joaldo Barbosa. Depois de formada, os deputados vão conversar com o secretário da Segurança, Luiz Mendonça, para saber em que andam as investigações e se já chegaram a algum caminho. Quinta-feira completou 30 dias do assassinato do deputado Joaldo Barbosa e até agora a polícia não revelou nada à sociedade, que fica preocupada com a morosidade, ao avaliar que “se com um deputado é assim, imagina com o cidadão comum”. E GATO? Mas não é apenas o crime de Joaldo Barbosa que a sociedade que ver solucionado. Existem vários outros, como o do vereador Carlos Gato, por exemplo, que até o momento houveram atrapalhadas de todos os lados e não se chegou a assassinos ou mandantes do crime. O crime do irmão do ex-vereador Pedro Firmino, também não há qualquer indício de elucidação. Também tem o problema do agiota Motinha, que foi o crime de pistolagem mais aberto que se tem notícia, mas que até o momento continua no mais completo “esquecimento”. Tudo isso é preciso que a sociedade tenha uma resposta dos órgãos de segurança. VERDES O Partido Verde pode se transformar em uma das siglas mais fortes do Estado, caso os dissidentes do PPS se transfiram para lá. O deputado estadual Fabiano Azevedo (PPS) já anunciou que depois do carnaval tomará uma atitude e vai trocar de partido, porque não dá mais para esperar uma solução do Diretório Nacional. Fabiano pensa no PV. A ex-primeira dama Leonor Franco, que acompanha os dissidentes, se mantém em silêncio, mas é possível que todo o bloco tome uma posição para logo após o carnaval, possivelmente tentando uma outra sigla, possivelmente o Partido Verde. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais