Transporte público: fiscalização da gratuidade será reforçada

0

A partir da próxima semana a Setransp irá intensificar a fiscalização do uso da gratuidade nos ônibus e nos terminais de integração. O objetivo da campanha intitulada ‘Não Pague o Pato’ é coibir quem utiliza a gratuidade de forma indevida.

De acordo com o superintendente do Setransp, José Amâncio, 25% dos usuários que se utilizam deste direito deveriam pagar.  “Se conseguirmos que esse percentual passe a pagar, no final do ano diminuirá a pressão sobre a tarifa e conseqüentemente o aumento do valor cobrado será menor”, explica.

O presidente do Setransp, Adierson Monteiro, ressalta que no final das contas é a sociedade que paga pela gratuidade concedida a alguns. “Esta campanha é para que toda a sociedade tenha consciência de que não existe gratuidade, alguém vai pagar a conta no final”.

Adierson ao lado de Amâncio
Ele fez duras críticas a projetos que prevêem a ampliação da gratuidade, a exemplo de um que tramita na Câmara de Aracaju que, segundo ele, propõe que seja concedida a gratuidade a idosos a partir de 60 anos, e não mais de 65. “Isso é fazer festa com o chapéu alheio”, afirmou.

A fiscalização será feita pelos próprios idosos acima de 65 anos que estão sendo contratados pelo Setransp. Eles irão atuar abordando idosos para pedir a identificação e fiscalizando os motoristas e cobradores. Além disso, serão contratados também estudante que deverão fiscalizar a utilização da carteira de meia-passagem.

Desoneração de custos

Durante o lançamento da campanha, Adierson apresentou algumas propostas de desoneração de custos que poderiam reduzir a tarifa do transporte coletivo em até 40%. Dentre as propostas estão a redução no valor do óleo diesel, redução de alíquota de ICMS para veículos e de outros tributos e maior participação do município no custeio das passagens dos estudantes. “Essas são propostas sérias e embasadas e que se fossem colocadas em prática iriam contribuir para a melhoria do transporte coletivo”, afirmou.

Comentários