Várias categorias mobilizadas por salários e condições de trabalho

0

Servidores do Sintasa paralisaram hoje
Como acontece no início de quase todos os anos, são várias as categorias de trabalhadores, em Sergipe, que entraram em greve ou estão na iminência de parar as atividades em busca de melhores condições de trabalho e reajustes salariais. Nesta terça-feira, 11, foram os servidores da Saúde de Aracaju que cruzaram os braços para pressionar a Secretaria Municipal de Saúde.

 

Na quinta, 13, às 17h, eles se reúnem com a secretaria. “Se não houver avanço, nós paramos”, disse o presidente do Sintasa. Também na quinta, às 8h, se reúnem os servidores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) para discutir a pauta de reivindicações e pedir uma audiência com o secretário, Nilson Lima.

 

Presidente do Sindifisco foi à AL esta semana expor dificuldades da categoria, greve já dura 14 dias 
Os auditores fiscais do Estado, também ligados à Sefaz, em greve desde o dia 27 de fevereiro, decidem ainda nesta terça se continuarão com o movimento ou aceitarão as propostas feitas pelo Governo do Estado. A paralisação deles foi considerada ilegal pela Justiça e determinada uma multa diária para o Sindifisco e outra para seu presidente, Cantidiano Novais.

 

Os advogados da União também tiveram seu movimento decretado ilegal pela Justiça Federal, ainda assim, eles continuam paralisados. De acordo com o presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado, Edgar Patrocínio, por conta dessas duas decisões os defensores ainda não entraram em greve. “Cumpriremos religiosamente todo o tramite previsto na lei de greve”, explicou. Assim, em 15 dias eles devem realizar nova

Faixa na sede da Advocacia Geral da União. Greve já duram mais de mês
assembléia para decretar a paralisação das atividades.

Nesta sexta-feira, 14, quem para o trabalho são os professores sindicalizados das redes municipais e estadual de Sergipe. A paralisação de advertência será feita em todo o país para pressionar o Governo Federal quanto à criação do piso salarial nacional da categoria.

 

Por Gabriela Amorim

Comentários