A saga do aboiador que hoje encanta multidões

0

Desde criança, por ser criado num ambiente interiorano, mais precisamente dentro das fazendas onde seu pai trabalhava, o “menino travesso” entrava nas caatingas a correr vaquejada pela mata adentro. Após alguns anos, já homem feito, uma fatalidade atravessou seu caminho e ele acabou perdendo um olho num acidente durante corridas de vaquejada.

Como sempre foi considerado pelas redondezas devido sua bravura de vaqueiro, seus colegas deram outro ofício, que foi cantar aboios e toadas. Assim, ele se divertia nos ambientes que tanto gostava. Mais tarde, ao invés de pegar bois, passou a encantar multidões com versos e estórias de bravura e de dor. Esse menino, hoje, é Danielzinho da Banda Forrozão Quarto de Milha.

A BANDA – Com dois anos de estrada, a banda possui cerca de 21 integrantes, dentre músicos, equipe de produção, iluminação, além do vocalista principal, Danielzinho. Dentre seus sucessos, “Te Vi a Primeira Vez” e “Mulher Ciumenta” são tocadas constantemente nas rádios, e com isso, já rendeu a gravação de um CD e o primeiro DVD que foi gravado em dezembro passado. Caminhando para o segundo CD, a banda que carrega o slogan: “A Máquina de fazer forró” lançará, em meados de setembro, novos sucessos e promete gravar outro DVD com o título do próximo CD: “Vaqueiro da Mão Pesada”, além de sucessos passados.

ESTILO MUSICAL – A proveniência do nome da banda é devido ao estilo musical que é o “vaneirão”, também conhecido como “forró caceteiro”. Forrozão Quarto de Milha porque esse é o nome da raça de cavalos própria para correr vaquejada. Então a junção da raça de cavalos mais o estilo musical estão ligados ao nome da banda.

INSPIRAÇÃO – Como as músicas são toadas e aboios, a inspiração para as composições provém de contos ou principalmente estórias verídicas contadas por amigos ou até vivenciadas pelo cantor. A dor de um amor que partiu ou a morte de um cavalo estimado são exemplos de músicas.

MARCANTE – Durante a gravação do DVD no ano passado, a banda, apesar de ter um público fiel, se surpreendeu com a lotação no show. Cerca de sete mil pessoas lotaram a praça do município de Capela, onde a festa foi batizada como o segundo São Pedro daquela região. Outro foi a participação na maior vaquejada do país, em Serrinha (BA), onde irá participar neste ano pela segunda vez.

DIFICULDADE – A banda teve dificuldades no início da carreira, pois a divulgação dos seus trabalho foi através de um trabalho independente, contato boca-a-boca. Como não tinham condições de fechar contrato com as emissoras de rádio, eles iam cedo para as cidades onde haveria shows e distribuíam seus CDs. As viagens, sem recursos, em topiques, também constituíam outra dificuldade, hoje superada, pois possui ônibus próprio e plotado, uma equipe de produção. O investimento no conforto para os artistas durante a estada em hotéis de qualidade é outro ponto relevante. Até hoje eles distribuem CDs e DVDs durante seus shows.

PROJETOS – Com o reconhecimento do seu trabalho em todo o país, já tem propostas para participar de programas nacionais. Também haverá o lançamento do site da banda em meados de setembro que terá sua história, fotos, vídeos, agenda de shows, dentre outras novidades para que a legião de fãs os acompanhe constantemente. Durante os festejos juninos deste ano, já fechou a agenda para mais de 25 shows que serão realizados em Aracaju, Canindé do São Francisco, Propriá, Riachuelo, São Francisco, Cedro, Ilha das Flores, Amparo do São Francisco, Monte Alegre, Itaporanga, Indiaroba, Siriri, Itabaianinha, Muribeca, além de Penedo e Itapicurú, em Alagoas. 

Por Autimira Menezes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais