Encontro discute o direito do cidadão ao Seguro DPVAT

0
Ricardo Xavier tira todas as dúvidas (Fotos: Portal Infonet)

Sergipe realiza até esta sexta-feira, 19, o V Encontro do Mercado de Seguros, com o tema “A Evolução do Setor de Seguros do Nordeste”. O encontro que está sendo presidido pelo Sindicato dos Corretores de Seguro de Sergipe (SINCOR-SE), também marca os 25 anos do Sincor/SE.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Corretores de Seguro de Sergipe (SINCOR-SE), Erico Melo, o objetivo do encontro é discutir as perspectivas e tendências para o mercado de seguros em Sergipe.

“Estamos crescendo muito nos últimos anos principalmente no nordeste e o que queremos é adentrar ainda mais neste mercado. Se olharmos a penetração do mercado de seguro no Brasil está em torno de 5% a 6% do PIB. Aqui em Sergipe não temos ainda essa penetração e a nossa ideia é discutir tendências para que o seguro fique a cada dia na vida das pessoas. Nos últimos anos a seguradora líder vem fazendo campanhas de divulgação e o nosso desafio é partir para o interior onde existe o atravessador que causa danos tanto ao sistema porque as fraudes são grandes, quanto às pessoas porque eles cobram pelo serviço, sendo que as pessoas não precisam pagar para ter acesso ao seguro”, afirma.

Erico Melo diz que 

Na oportunidade, Ricardo Xavier que é diretor presidente da Seguradora Líder – DPVAT ministrou a palestra “Seguro DPVAT: Uma Conquista Brasileira – Transformando a Percepção do Cidadão”. Ricardo Xavier conversou com a equipe do Portal Infonet e esclareceu algumas dúvidas que permeiam a população brasileira quanto à garantia do seguro. Confira a entrevista:

Portal Infonet- Quem tem direito ao benefício?

Ricardo Xavier– É um seguro que a gente pode dizer que é o mais abrangente do país, porque ele cobre todo mundo. Hoje pagamos em média cinco indenizações por minutos. Quem paga o seguro é o proprietário do veículo, mas quem tem direito a indenização é qualquer pessoa. Até mesmo a pessoa que nunca teve um carro, se ela vier a ser atropelada ela tem direito a indenização.

Infonet- Como proceder? Precisa de advogado?

Encontro acontece nesta sexta-feira, 19 

R. X– Esse é o principal recado a dar. Não precisa de ninguém. A documentação é muito simples. O que precisa é a identificação da vítima como identidade, CPF, onde mora e uma conta para receber o dinheiro. A gente só credita através de depósito em conta da vítima ou dos herdeiros em caso de morte. Se a pessoa não tiver a conta, nós abrimos a conta poupança sem nenhum custo para a pessoa para garantir que o dinheiro vai ser entregue. Ela [pessoa] ainda tem que levar o boletim de ocorrência que tem que ser por acidente de trânsito de veículo automotor via terrestre e o documento que qualifica o tipo de indenização. Se for morte a certidão de óbito, se for invalidez permanente um laudo de avaliação do grau de invalidez do IML ou de um médico acompanhado de alguns documentos.

Infonet- De quanto é a indenização?

R. X– Ele tem três coberturas, como indenizações em caso de morte que é R$ 13.500 reais por vítima e são pagos diretamente aos beneficiários e os herdeiros legais. Em caso de invalidez permanente é até R$ 13.500 mil reais proporcional ao grau de invalidez, ou seja, se a pessoa perdeu o movimento de dois dedos da mão ganha um valor, se perdeu as duas pernas é outro valor. Tem também o valor calculado e o reembolso de despesas médicas ou hospitalares que é de até R$ 2.700 reais.

Infonet- Onde fazer?

R.X– A pessoa pode procurar qualquer ponto de atendimento oficial. Temos hoje quase 8 mil  pontos de atendimento no Brasil. Em Sergipe temos 93 pontos, como a seguradora credenciada, os Sindicatos dos Corretores de Seguro de Sergipe, alguns corretores parceiros e agências dos correios de todo o país.

Infonet- Até quando o segurado pode dar entrada no benefício?

R.X- Até três anos ela pode dar entrada no seguro que é o tempo que a gente chama de prescrição do direito. Nós pagamos o benefício em até 30 dias. Se a pessoa quiser ela também pode ligar para o nosso 0800-022-1204 que é 24 horas por dia e a pessoa vai te explicar como dar entrada e o que precisa levar.

Infonet- É preciso saber de quem foi à culpa?

R.X– O importante do seguro é que não precisa apurar a culpa, ou seja, de quem foi à culpa pelo acidente. Independentemente de quem for o culpado, todos tem direito a indenização mesmo se o motorista, ele causou o acidente, ele também tem direito a indenização. O seguro cobre independente da culpa e isso facilita muito, porque imagina você entrar com um processo judicial, perícia e isso leva anos para você descobrir quem causou o acidente, então ele tem essa facilidade.

Infonet- E se o veículo não tiver regular?

R.X– Se o seguro está contratado direitinho tudo certo. Agora se o veículo não tiver licenciado, o carro tiver irregular e o motorista causou um acidente, todas as vítimas  vão receber a indenização que nós vamos pagar, só que eu posso entrar com uma ação contra ele  que a lei me garante, cobrando  dele que eu indenizei a vítima.

Infonet- E as fraudes?

R.X- Esse é o grande problema porque tem de toda natureza, desde a pessoa reclamar de uma indenização decorrente de um acidente que não é de trânsito, até forjar uma determinada situação. É importante que o cidadão tenha consciência disso porque quem paga a fraude no final das contas é todo o cidadão

Abaixo segue um vídeo orientando o pedestres a evitar acidentes.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais