Procura por cursos de licenciatura cresce no Estado

0

Adelmo Menezes, pró-reitor de Ensino do IFS (Foto: Ascom IFS)

Na última década, as matrículas em cursos de licenciaturas presenciais tiveram um crescimento expressivo. Essa informação é baseada nos dados do censo da educação superior coletados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que mostra também um salto de 836,1 mil matrículas em 2000 para 1,2 milhão em 2005.

Ainda assim, segundo o Ministério da Educação (MEC), há um considerável déficit de professores de Matemática e nas disciplinas ligadas à área de ciência, como Biologia, Química e Física, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Suprir a demanda existente nessa área é um dos objetivos dos institutos federais, que auxiliam as universidades na tarefa de formar docentes nessas áreas.

O Instituto Federal de Sergipe (IFS), por exemplo, oferece as licenciaturas em Matemática e Química, no Campus Aracaju, e em Física, no Campus Lagarto. “O entendimento do governo é de que os institutos federais revelam forte intimidade com a área de Ciências, possui corpo docente com elevada qualificação e aporte laboratorial variado, elementos que os credenciam para atuarem nesse novo fazer”, explica Adelmo Menezes, pró-reitor de Ensino do IFS.

Importância

Segundo o professor Adelmo, os cursos de licenciatura tornam possível aos indivíduos em formação a reflexão sobre sua futura prática docente, de modo a permitir que eles examinem suas teorias implícitas, seus esquemas de funcionamento e suas atitudes. “Atualmente, as diretrizes curriculares dos cursos de formação de professores apontam para uma proposta crítica da intervenção educativa, assentada em pressupostos ideológicos, epistemológicos e pedagógicos sólidos e plurais”, diz.

Para ele, as opiniões são diversas entre os estudiosos da Pedagogia quanto à definição de um ‘bom professor’. “Ser ‘bom professor’ não é uma conquista perene, duradoura e transferível para qualquer circunstância, contexto ou época. É uma identidade em permanente construção”, defende o pró-reitor.

Ainda de acordo com Adelmo, o professor exerce uma função que vai além de apresentar teorias e modelos pedagógicos aos estudantes das licenciaturas. “Eles potencialmente podem contribuir com a definição do perfil profissional dos futuros docentes”, argumenta.

Fonte: Ascom IFS

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais