Professores deflagram greve por tempo indeterminado

0
Professores reuniram-se em assembleia nesta terça-feira, 10 (Fotos: Portal Infonet)

Professores da rede pública de ensino do Estado deflagraram greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira, 16. A decisão foi tomada no fim da tarde desta terça-feira, 10, durante assembleia da categoria realizada no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.

Reivindicando o cumprimento da lei que exige que o governo promova o reajuste de 22,22% para os professores de todos os níveis, a categoria foi às ruas logo após a assembleia, com o objetivo de protocolar simbolicamente no Ministério Público, no Tribunal de Justiça e na Assembleia Legislativa (Alese), o documento que garante a realização da greve.

De acordo com Joel Almeida, diretor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese), apenas os professores de nível médio receberam o aumento do governo, que por sua vez deveria ter concedido a todos os níveis o reajuste de 22,22% retroativo ao mês de janeiro.

Após assembleia, categoria realizou caminhada pelas ruas da capital

“Reivindicamos o valor previsto pela lei de piso salarial, e que nenhum nível do magistério seja prejudicado com o não recebimento do reajuste. O governo, além de não conceder o aumento, quer que a categoria aceite o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 6,5%, de modo que os professores recebam o mesmo reajuste que os demais servidores públicos do Estado”, alegou o diretor de comunicação.

Mobilizações

Na segunda-feira, 16, além de iniciar a paralisação, os professores irão acampar durante todo o dia na praça em frente à Alese. Ainda no mesmo dia, às 8h, a presidência do Sintese irá participar da comissão de educação da Assembleia.

Por Monique Garcez e Janaina de Oliveira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais