Projeto de SE é selecionado para receber financiamento internacional

0
A iniciativa liderada por jovens estudantes é responsável por dezenas de pesquisas de iniciação científica de cunho sustentável e impacto social (Foto: Divulgação Seduc)

O projeto de pesquisa científica do Centro de Excelência Professor Hamilton Alves Rocha, situado no conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão, foi selecionado para receber financiamento de uma instituição internacional, a Peace First, organização sem fins lucrativos dedicada a ajudar jovens de todo o mundo a se tornarem aptos a investir em suas ideias, compartilhando histórias de impacto social.

A iniciativa reúne cerca de oito estudantes do ensino médio em tempo integral que têm se destacado entre a comunidade estudantil, ganhando, consequentemente, reconhecimento em feiras de ciência em Sergipe e em outros estados da federação. O projeto envolve duas professoras, Patrícia  Fernanda e a Kátia Daltro, que é colaboradora. Ambas orientam os alunos Riclécio  Nascimento, Jonas Braz, Igor Santana, Milena Silva, Amanda Santos, Vítor Alves, Théofolo  Santos e Luís Felipe.  Nas experimentações, esses jovens cientistas desenvolvem dezenas de projetos de cunho sustentável com foco na resolução de uma problemática da comunidade.

Para o estudante Vitor Cardoso, jovem protagonista do Hamilton Alves Rocha, a seleção representa uma conquista muito significativa para a comunidade escolar. “É importante porque acaba quebrando um paradigma de que só adultos conseguem recursos para projetos. Jovens também conseguem”, frisou o aluno do ensino médio, informando que inicialmente o financiamento será no valor de R$ 1.300,00.

Além do recurso que financiará a iniciação científica do Hamilton Alves, a Peace First também ofertou uma oficina de gerenciamento financeiro e administrativo, pautado na liderança dos jovens estudantes. Para Vitor Cardoso, a conquista também é um estímulo para outras comunidades que trabalham a pesquisa em sua rotina. “Que outras escolas e outros projetos possam ser selecionados”, pontuou.

A professora Patrícia Fernanda Andrade, orientadora do grupo de pesquisa, destaca que os recursos adquiridos serão de grande importância para a manutenção dos trabalhos científicos e compra de material necessário, “como um liquidificador industrial para ser substituído por um moinho de facas, que é um equipamento muito caro, além de um conjunto de peneiras para fazer a separação dos grãos e que terá ganho significativo no processo final: a germinação”, declarou ela, referindo-se à pesquisa que utiliza substrato sustentável no processo de germinação de sementes.

Fonte: Seduc

Comentários