Vigilantes públicos da educação entram em greve

0
Vigilantes deliberaram greve para o dia 26 (Foto: Portal Infonet)

Durante assembleia realizada na manhã desta sexta-feira, dia 15, os vigilantes públicos que atuam na rede pública de ensino decretaram uma greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira,26.

A categoria reivindica a implantação do Plano, Cargos, Carreira e Vencimento (PCCV) dos servidores, bem como o pagamento de 30% do auxílio periculosidade.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes do Setor Público do Estado de Sergipe (SINDIVIPSE), Ferreira Júnior, a categoria aguarda o cumprimento dos benefícios. “A greve é por tempo indeterminado já que o governo não cumpriu nem sequer a implantação do plano de carreira e nem os 30% do auxílio periculosidade alegando mais uma vez está no limite prudencial, só que já estamos em maio e até agora nem sequer um reajuste inflacionário foi dado. No entanto, o governo volta a questão da terceirização”, afirma.

Ferreira Júnior diz que os vigilantes não são valorizados 

Greve foi decretado em assembleia (Foto: Sindvipse)

Ainda segundo Ferreira Júnior, os vigilantes públicos da educação continuam não sendo valorizados. “Os vigilantes estão recebendo menos que um salário mínimo e ainda perdendo espaço para a vigilância terceirizada, já que o Governo do Estado não se preocupa em capacitar seus funcionários. De domingo até hoje, aproximadamente cinco escolas sofreram tentativa de arrombamento, sendo que os vigilantes públicos evitaram esse arrombamento. O secretário não fez nenhuma propaganda quanto a isso, já quando um terceirizado vem evitar o arrombamento, o governo propaga a terceirização como sendo a melhor solução. Não entendemos assim, pois seria com treinamento adequado aos servidores efetivos e com a valorização dos vigilantes”, afirma.

Ainda no dia 26 de maio, os vigilantes farão um ato em frente ao Palácio de Despacho para chamar atenção do Governo do Estado para a reivindicação da categoria.

SEED

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de comunicação da SEED que informou não ter conhecimento da greve e que aguardará a SEED ser comunicada para ver quais as medidas a serem tomadas.

Por meio de nota, a Seplag informa que: "O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), informa que a respeito da periculosidade dos vigilantes, todas as providências para a formalização já foram tomadas e o processo para concretização está em fase final. Com relação as demais reivindicações, o Governo informa que está  tomando todas as medidas  possíveis para contornar a crise financeira e concretizar o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores Públicos do Estado (PCCV). Entre as ações do Governo para redução de despesas de custeio estão os ajustes nos gastos com pessoal e cortes como, por exemplo, a determinação da redução de gastos com passagens aéreas e diárias e a criação do grupo de Trabalho Técnico para Acompanhamento de Gastos Públicos".

Seplag

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), informou que a respeito da periculosidade dos vigilantes, todas as providências para a formalização já foram tomadas e o processo para concretização está em fase final.

Com relação as demais reivindicações, o Governo informou que está  tomando todas as medidas  possíveis para contornar a crise financeira e concretizar o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores Públicos do Estado (PCCV).

Ainda de acordo com a Seplag, entre as ações do Governo para redução de despesas de custeio estão os ajustes nos gastos com pessoal e cortes como, por exemplo, a determinação da redução de gastos com passagens aéreas e diárias e a criação do grupo de Trabalho Técnico para Acompanhamento de Gastos Públicos.

Por Aisla Vasconcelos

A matéria foi alterada às 17h14 para acréscimo de nota enviada pela Seplag.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais