Ana Lúcia apresenta dados sobre jovens brasileiros

0

Deputada Ana Lúcia (Foto: Maria Odília)
Na manhã desta quinta-feira, 12, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) fez pronunciamento, na Assembleia Legislativa, enfatizando o Dia Internacional da Juventude, comemorado hoje. A parlamentar apresentou dados, publicados em fascículo a partir da 1ª Conferência Nacional da Juventude, que demonstram o comportamento do jovem brasileiro em relação à política, mídia, organização, cultura, entre outros.

A parlamentar considerou os avanços do Governo Lula para a juventude e destacou a importância da conferência nacional, realizada em 2009, em Brasília, bem como das conferências prévias (estaduais e municipais) que mobilizaram mais de 400 mil jovens em todo o país.

“Pela primeira vez, neste país, o Governo Federal, através do presidente Lula, conclamou a juventude a participar do debate, a dizer as suas necessidades, seus desejos, a mostrar caminhos para os problemas que a juventude enfrenta. A Conferência Nacional da Juventude foi exitosa, pois culminou nos encaminhamentos para as políticas públicas deste país”, afirma Ana Lúcia.

A deputada Ana Lúcia falou ainda da necessidade de desmistificação da realidade mentirosa que coloca a juventude como protagonista da violência e conclamou à sociedade sergipana “a ter outro olhar sobre jovens, crianças e adolescentes, para que tenham não apenas o direito de sonhar, mas de verem realizadas políticas públicas que atendam seus anseios e necessidades”.

Participação na política

Conforme os índices publicados nas revistas temáticas da 1ª Conferência Nacional da Juventude, realizada em 2009, 54% da juventude acha que a política é algo ‘muito importante’. Porém, 65% dos jovens não confiam nos partidos políticos, 64% não confiam nos deputados e senadores do Congresso Nacional, e 55% não confiam nos vereadores municipais.

Entre 2002 e 2006, aumentou em 39% o número de jovens entre 16 e 17 anos que retiraram seu título eleitoral. Dos jovens com idade entre 15 e 24 anos, 68,8% acreditam que o voto pode mudar a situação do país.

A grande maioria dos jovens (89,5%) acha que ‘é preciso que as pessoas se juntem para defender seus interesses’ e (87%) que ‘é preciso abrir canais de diálogo entre cidadãos e o governo’. Atinge 59% o índice de jovens que consideram que o melhor jeito para resolver os problemas do país.

As pesquisas demonstram ainda que treze milhões de jovens brasileiros participam ou já participaram de alguma forma associativa, como movimentos sociais, ONGs, sindicatos, partidos políticos, grupos culturais ou religiosos.

“Os dados demonstram que a juventude acompanha e participa da política. Nós precisamos escutar estes jovens e ter sempre ações positivas para eles, jamais ações de manipulação ou doutrinação”, ressalta a deputada Ana Lúcia.

Ela destaca que, principalmente neste momento de disputa política, o jovem precisa exercer sua cidadania de forma consciente. “O voto não pode ser mercadoria”, defende a parlamentar petista.

Mídia

Os dados sobre a mídia demonstram que 66,1% dos jovens entre 15 e 17 anos não têm acesso à internet. Mais de 77% dos jovens entre 15 e 29 anos, das classes D e E, não sabem usar o computador. Os números demonstram que 81,1% dos jovens brasileiros assistem televisão diariamente.

A deputada Ana Lúcia demonstra preocupação quanto aos índices relacionados à juventude e mídia e ressalta a responsabilidade da televisão para mudar valores que não são positivos para a sociedade. “A televisão contribui para a construção de valores, atitudes e hábitos dos jovens, e hoje, apenas sete famílias dominam a comunicação comercial da TV”, destaca Ana Lúcia.

Fonte: Assessoria da deputada

 


 

Comentários